Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
149,00 143,00 144,00
GO MT RJ
139,00 134,00 145,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1350,00
Garrote 18m 1570,00
Boi Magro 30m 1940,00
Bezerra 12m 970,00
Novilha 18m 1160,00
Vaca Boiadeira 1380,00

Atualizado em: 18/10/2018 10:22

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

EDITORIAL: Um governo sem rumo

 
 
 
Publicado em 18/05/2005

O País assiste, paralisado, a uma situação sem precedentes desde a redemocratização: um governo que, por não conseguir reunir em suas próprias fileiras o número de votos necessários para aprovar sequer um projeto de lei, paralisa propositadamente todo o Legislativo e uma área econômica que, por não ter outra saída, exige ainda mais sacrifícios da sociedade brasileira sem ter o que oferecer em troca, sequer uma ilusão.

Sobre o problema do Legislativo, não há nada a acrescentar que já não seja do conhecimento público, pela farta cobertura da imprensa sobre o assunto. Temos um governo que não sabe (ou não quer) analisar o resultado das urnas, mesmo após quase 2 anos e meio de sua subida ao poder: o eleitor não deu um cheque em branco ao PT, pois não elegeu para o Congresso um número de parlamentares suficiente para que o PT aprovasse, sozinho, as matérias de seu interesse. Hoje, após todo este tempo, chega-se facilmente à conclusão que o PT não conseguiria unidade mesmo que fosse o partido dominante, já que seus quadros não se entendem nem em uma pauta de votações mínima - situação que culminou com a eleição de Severino Cavalcanti para a presidência da Câmara.

Por outro lado, vivemos hoje uma expansão sem precedentes dos gastos públicos correntes, aqueles compostos principalmente por salários e aposentadorias de funcionários públicos. Esta expansão foi causada pelo aumento de contratação de servidores por concurso público (sem contar as diversas nomeações para cargos de confiança), pelo governo atual em substituição às terceirizações da gestão FHC. Esta opção é danosa para o País porque, a longo prazo, ampliará os gastos (e, por conseqüência, o déficit) da previdência pública, pois estes receberão vencimentos integrais quando aposentados. Isto enquanto não for feita uma verdadeira reforma da previdência que delegue aos funcionários públicos a responsabilidade de sustentar o assombroso déficit de sua própria previdência.

Esta expansão de gastos se contrapõe ao enorme aperto monetário que vivemos, sem dúvida o maior em tempos de calmaria internacional. O mesmo governo que injeta reais na economia através de uma política fiscal expansionista os recolhe - a juros altíssimos financiados pelo contribuinte - através do aumento da taxa Selic como o que hoje foi promovido pelo Banco Central. Não é à toa que as empresas e pessoas físicas têm protestado cada dia mais contra a alta carga tributária a que o Brasil está submetido: um governo que arrecada mal, com gastos de péssima qualidade, sem direção econômica nem política e que não presta o mínimo de serviços ou contas desta arrecadação à sociedade.

Para a Pecuária nacional ainda há fatores a mais de complicação. Além da queda do dólar, que vem prejudicando os preços das commodities agrícolas aqui e os preços de nossas exportações lá fora e o lamentável estado da malha rodoviária brasileira, temos a alta nos custos dos insumos e, agora, a tentativa de aumento nos índices de produtividade das propriedades rurais patrocinada pelo ministro do Desenvolvimento Agrário. Esta tentativa é uma forma do governo Lula, mais uma vez, ceder às pressões do MST em detrimento das empresas rurais que, ao contrário do que pensa o ministro e o próprio movimento, também empregam milhares de pessoas pelo Brasil afora. Por outro lado, nada é feito para coibir a comercialização de lotes em assentamentos e não há uma maneira eficiente de controlar a produtividade nestes mesmos assentamentos, os quais deveriam obedecer às mesmas exigências de produtividade e juros bancários dos demais participantes do setor.

Todas estas questões deveriam ser resolvidas com a máxima urgência, começando pela constatação, ainda que tardia, de que o governo atual deve abrir espaços para outros setores da sociedade representados no Parlamento. Isto, aliado a um trabalho - não pela contratação e pelo aparelhamento da máquina pública - mas por sua maior eficiência, contribuiriam sobremaneira para a redução da carga tributária e do gasto público neste país.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/10/2018] - Queda da arroba ganha força
[18/10/2018] - Produtividade do boi de SP é maior
[18/10/2018] - Carne bovina salva balança comercial de carnes
[18/10/2018] - Cuidado ao aderir ao Refis do Funrural
[18/10/2018] - Deputados reagem a nova demarcação no Paraná

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[17/10/2018] - Senado prorroga adesão ao Refis do Funrural
[17/10/2018] - Arroba perde força e recua
[17/10/2018] - Brasil não aproveita cota para vendas à UE
[17/10/2018] - Justiça aceita recuperação judicial de frigorífico
[17/10/2018] - BRF tenta acordo de leniência
[17/10/2018] - Milho: preços despencam e travam vendas
[17/10/2018] - Bancada já indica nomes ao MAPA de Bolsonaro
[17/10/2018] - Políticos já falam em taxar o agronegócio
[17/10/2018] - Reposição ganha força no Maranhão
[16/10/2018] - Exportações devem bater recorde novamente
[16/10/2018] - EUA prevêem que Brasil exportará mais carne
[16/10/2018] - Arroba: confinamento chega e pressiona o boi
[16/10/2018] - Consumo de carne dá sinais de melhora
[16/10/2018] - Leite: longa vida cai no atacado e no varejo
[16/10/2018] - PF vê fraudes praticadas pela BRF
[16/10/2018] - BRF diz ter tolerância zero
[16/10/2018] - MAPA: vigilância contra aftosa em Roraima
[15/10/2018] - Abílio Diniz é indiciado pela Carne Fraca
[15/10/2018] - Incêndio fecha unidade do Marfrig
[15/10/2018] - JBS tenta levantar US$ 500 mi para rolar dívidas
[15/10/2018] - Arroba: frigoríficos estão testando o mercado
[15/10/2018] - Reposição: preços vão subir?
[15/10/2018] - Carne recua no atacado
[15/10/2018] - Milho: compradores se retraem e preço cai
[15/10/2018] - Leite: preço afasta pecuaristas da atividade
[15/10/2018] - Confusão sobre Refis do Funrural só aumenta
[15/10/2018] - STF mantém liberação de gado em Santos
[15/10/2018] - Invasão de índios à Funai termina em morte
[11/10/2018] - Exportações do Agro devem chegar a R$ 100 bi
[11/10/2018] - Exportações de carne bovina devem bater R$ 7 bi
[11/10/2018] - Arroba: frigoríficos pressionam e mercado trava
[11/10/2018] - CEPEA: preço do boi oscila com força
[11/10/2018] - EUA batem recorde na exportação de carne
[10/10/2018] - Aliado detalha propostas de Bolsonaro para o Agro
[10/10/2018] - Bancada vai ao RJ para dar apoio a Bolsonaro
[10/10/2018] - Arroba: confinamento pressiona cotação do boi
[10/10/2018] - Preço da carne não caiu
[10/10/2018] - Leite: primeira queda em sete meses
[10/10/2018] - Custo para produzir leite continua subindo
[10/10/2018] - Novas regras devem facilitar o SISBOV
[10/10/2018] - Mato Grosso bate recorde de exportação de carne
[10/10/2018] - Senado deixa Funrural para o último dia
[09/10/2018] - Arroba: frigoríficos testam o mercado
[09/10/2018] - Carne tem preço firme no varejo
[09/10/2018] - Abrafrigo: exportações bateram recorde histórico
[09/10/2018] - Exportação começa outubro mantendo ritmo
[09/10/2018] - UE comprará mais carne bovina dos EUA
[09/10/2018] - Exportação de couro cresceu quase 20%
[09/10/2018] - Leite: preço do longa vida continua recuando
[09/10/2018] - JBS dobra capacidade em duas unidades

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br