Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
146,00 131,00 142,00
GO MT RJ
142,00 131,00 141,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1280,00
Garrote 18m 1550,00
Boi Magro 30m 1910,00
Bezerra 12m 950,00
Novilha 18m 1170,00
Vaca Boiadeira 1320,00

Atualizado em: 13/12/2017 12:20

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

EDITORIAL: Um governo sem rumo

 
 
 
Publicado em 18/05/2005

O País assiste, paralisado, a uma situação sem precedentes desde a redemocratização: um governo que, por não conseguir reunir em suas próprias fileiras o número de votos necessários para aprovar sequer um projeto de lei, paralisa propositadamente todo o Legislativo e uma área econômica que, por não ter outra saída, exige ainda mais sacrifícios da sociedade brasileira sem ter o que oferecer em troca, sequer uma ilusão.

Sobre o problema do Legislativo, não há nada a acrescentar que já não seja do conhecimento público, pela farta cobertura da imprensa sobre o assunto. Temos um governo que não sabe (ou não quer) analisar o resultado das urnas, mesmo após quase 2 anos e meio de sua subida ao poder: o eleitor não deu um cheque em branco ao PT, pois não elegeu para o Congresso um número de parlamentares suficiente para que o PT aprovasse, sozinho, as matérias de seu interesse. Hoje, após todo este tempo, chega-se facilmente à conclusão que o PT não conseguiria unidade mesmo que fosse o partido dominante, já que seus quadros não se entendem nem em uma pauta de votações mínima - situação que culminou com a eleição de Severino Cavalcanti para a presidência da Câmara.

Por outro lado, vivemos hoje uma expansão sem precedentes dos gastos públicos correntes, aqueles compostos principalmente por salários e aposentadorias de funcionários públicos. Esta expansão foi causada pelo aumento de contratação de servidores por concurso público (sem contar as diversas nomeações para cargos de confiança), pelo governo atual em substituição às terceirizações da gestão FHC. Esta opção é danosa para o País porque, a longo prazo, ampliará os gastos (e, por conseqüência, o déficit) da previdência pública, pois estes receberão vencimentos integrais quando aposentados. Isto enquanto não for feita uma verdadeira reforma da previdência que delegue aos funcionários públicos a responsabilidade de sustentar o assombroso déficit de sua própria previdência.

Esta expansão de gastos se contrapõe ao enorme aperto monetário que vivemos, sem dúvida o maior em tempos de calmaria internacional. O mesmo governo que injeta reais na economia através de uma política fiscal expansionista os recolhe - a juros altíssimos financiados pelo contribuinte - através do aumento da taxa Selic como o que hoje foi promovido pelo Banco Central. Não é à toa que as empresas e pessoas físicas têm protestado cada dia mais contra a alta carga tributária a que o Brasil está submetido: um governo que arrecada mal, com gastos de péssima qualidade, sem direção econômica nem política e que não presta o mínimo de serviços ou contas desta arrecadação à sociedade.

Para a Pecuária nacional ainda há fatores a mais de complicação. Além da queda do dólar, que vem prejudicando os preços das commodities agrícolas aqui e os preços de nossas exportações lá fora e o lamentável estado da malha rodoviária brasileira, temos a alta nos custos dos insumos e, agora, a tentativa de aumento nos índices de produtividade das propriedades rurais patrocinada pelo ministro do Desenvolvimento Agrário. Esta tentativa é uma forma do governo Lula, mais uma vez, ceder às pressões do MST em detrimento das empresas rurais que, ao contrário do que pensa o ministro e o próprio movimento, também empregam milhares de pessoas pelo Brasil afora. Por outro lado, nada é feito para coibir a comercialização de lotes em assentamentos e não há uma maneira eficiente de controlar a produtividade nestes mesmos assentamentos, os quais deveriam obedecer às mesmas exigências de produtividade e juros bancários dos demais participantes do setor.

Todas estas questões deveriam ser resolvidas com a máxima urgência, começando pela constatação, ainda que tardia, de que o governo atual deve abrir espaços para outros setores da sociedade representados no Parlamento. Isto, aliado a um trabalho - não pela contratação e pelo aparelhamento da máquina pública - mas por sua maior eficiência, contribuiriam sobremaneira para a redução da carga tributária e do gasto público neste país.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[13/12/2017] - Arroba: frigoríficos estão precisando comprar boi
[13/12/2017] - Reposição ganha força com a chegada das chuvas
[13/12/2017] - Exportação de gado subiu quase 32% em 2017
[13/12/2017] - Agência prevê 2018 melhor para os frigoríficos
[13/12/2017] - Mercosul cede, mas UE adia acordo para 2018
[13/12/2017] - Brasil trabalha forte para abrir mercado britânico
[13/12/2017] - Maggi crê que mercado dos EUA será reaberto logo

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[13/12/2017] - Argentina ganha espaço entre os exportadores
[13/12/2017] - JBS deverá devolver terreno de frigorífico no MT
[13/12/2017] - Câmara conclui aprovação da Lei do Funrural
[13/12/2017] - Famato pede prorrogação para inscrição no CAR
[13/12/2017] - MST invade fazenda recém-desocupada no Paraná
[12/12/2017] - Exportações de carne bovina: recorde histórico
[12/12/2017] - MAPA vai atender exigências dos russos
[12/12/2017] - Arroba: frigoríficos tentam segurar alta do boi
[12/12/2017] - Produção de carne fica estável no MS
[12/12/2017] - Frigoríficos criticam imposto menor para o boi
[12/12/2017] - Mais um processo contra a JBS e Wesley Batista
[12/12/2017] - UE quer abertura, mas carne bovina ainda é entrave
[11/12/2017] - Operação da PF investiga propina da JBS a fiscal
[11/12/2017] - Arroba continua a subir com firmeza
[11/12/2017] - Carne sobe e melhora perspectiva para o boi
[11/12/2017] - Reposição começa a se agitar no Tocantins
[11/12/2017] - Acordo com a UE pode ser anunciado até o dia 21
[11/12/2017] - Missão oficial de Hong Kong inspeciona frigorífico
[11/12/2017] - Funrural: votação deve acabar amanhã na Câmara
[11/12/2017] - Venda de milho está parada
[08/12/2017] - Arroba: frigoríficos pagam cada vez mais pelo boi
[08/12/2017] - Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem
[08/12/2017] - Reação do mercado agora depende do consumidor
[08/12/2017] - JBS diz que vai recuperar o mercado perdido
[08/12/2017] - BNDES deve vender ações da JBS
[08/12/2017] - JBS mantém planos de vender ações em NY
[08/12/2017] - Venda da Itambé pode parar na Justiça
[08/12/2017] - Governo do MS reduz impostos para laticínios
[08/12/2017] - Preço do farelo de algodão cai com força
[07/12/2017] - Arroba: boi sobe e tem mais espaço para alta
[07/12/2017] - Preço do bezerro sobe com volta das chuvas
[07/12/2017] - Exportações podem fechar ano com forte alta
[07/12/2017] - Ameaça de Trump faz México buscar carne do Brasil
[07/12/2017] - Negociações para reabertura da Rússia vão bem
[07/12/2017] - Compra da Itambé cria nova líder no leite
[07/12/2017] - Índios pedem ajuda para poder produzir
[06/12/2017] - Arroba: cotações firmes e subindo
[06/12/2017] - Confinamento deve fechar o ano com alta de 5,5%
[06/12/2017] - CCPR surpreende e vende Itambé imediatamente
[06/12/2017] - Leite: qual a perspectiva para os próximos meses?
[06/12/2017] - Leite caiu, mas custo de produção segue subindo
[06/12/2017] - Lácteos: Brasil importa menos, mas deficit segue
[06/12/2017] - Gilmar Mendes pede vista e Wesley continuará preso
[06/12/2017] - CPI da JBS pode convocar Lula e Dilma para depor
[06/12/2017] - Bancada corre contra o tempo por Funrural
[06/12/2017] - CNA pede aprovação da Reforma da Previdência
[06/12/2017] - Fazenda de frigorífico falido é invadida em SP
[05/12/2017] - Arroba sobe com demanda firme
[05/12/2017] - Carnes sobem e devem puxar a arroba do boi
[05/12/2017] - Recuperação no consumo puxa ações de frigoríficos

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br