Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
141,00 133,00 137,00
GO MT RJ
133,00 130,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1200,00
Garrote 18m 1430,00
Boi Magro 30m 1720,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1130,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 16/10/2017 10:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Incremento de pastagem na planície pantaneira

 
 
 
Publicado em 17/01/2007

Sandra Mara Araújo Crispim,
Urbano Gomes Pinto de Abreu,
Luiz Alberto Pellegrin,
Sandra Aparecida Santos

O Pantanal é uma planície sedimentar com predominância de campos inundáveis, que tem como principal atividade econômica a criação extensiva de bovinos de corte. Até 30 anos atrás, a alimentação dos bovinos era totalmente sustentada pelas forrageiras nativas. Entretanto, um dos principais fatores limitantes da pecuária, não só a pantaneira, mas nos trópicos, de um modo em geral, é a baixa qualidade e disponibilidade das pastagens nativas. Nessas últimas décadas, os fazendeiros do Pantanal fizeram diversas tentativas para introdução de espécies de gramíneas exóticas, com a finalidade de aumentar a oferta alimentar, em épocas críticas de seca e cheia, especialmente para algumas categorias animais (touros após a estação de monta, bezerros desmamados, novilhas de reposição e de primeira cria), que requerem pastagens com maior disponibilidade e melhor qualidade nutricional.

Nesta busca, foram várias as tentativas de adaptação de espécies exóticas na região, culminando com as espécies do gênero Brachiaria, que melhor se adaptaram aos solos arenosos e pobres da região, sendo as espécies B. humidicola, B. decumbens e B. brizanta, citadas na seqüência as mais cultivadas atualmente. Com base nas pesquisas realizadas pela equipe multidisciplinar da Embrapa Pantanal, pode-se afirmar que as espécies B. decumbens e B. humidicola, estão bem adaptadas às condições do Pantanal, especialmente a B. humidicola, capaz de resistir por um período de até quatro meses em solos com alto grau de encharcamento.

Por ser o Pantanal considerado Reserva da Biosfera e Patrimônio da Humanidade, um dos grandes desafios é a conservação aliada com o aumento da produtividade. Um dos principais questionamentos sobre essa região, refere-se a quantidade de hectares que já foi desmatado para cultivo das braquiárias. De uns tempos para cá, estão predominando as substituições de áreas de campo-cerrado com gramíneas grosseiras, como capim-carona, capim-vermelho e capim-fura-bucho, por espécies de braquiárias. No entanto, não há dados quantificados da evolução do desmatamento e da substituição de pastagens realizados nas últimas décadas. Neste sentido, uma equipe da Embrapa Pantanal, juntamente com o Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), vem trabalhando para elucidar essa questão. Este trabalho está sendo realizado através de levantamento dos últimos 10 anos, de 1994 a 2004, das autorizações emitidas pelos órgãos de licenciamento ambiental, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Instituto de Meio Ambiente Pantanal (IMAP), órgão vinculado a Secretaria de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (SEMA). Até novembro de 1993, os dois órgãos poderiam emitir essa autorização (licenciamento); atualmente somente o IMAP tem essa atribuição. Veja os números apresentados abaixo: número de fazendas que requereram a solicitação (1); total de hectares dessas fazendas (2); total de hectares autorizados para desmatamento e/ou substituição de gramíneas (3); incremento em percentual para cada ano (4).

Anos:

1994 – 14 (1), 147.189,51(2), 4,078,00(3), 2,77 (4);
1995 – 9 (1), 297.823,58 (2), 16.871,00 (3), 5,66 (4);
1996 – 11 (1), 147.807,71 (2), 6.162,00 (3), 4,47 (4);
1997 – 10 (1), 106.610,56 (2), 4.049,00 (3), 3,80 (4);
1998 – 28 (1), 167.981,54 (2), 10.781,00 (3), 5,61 (4);
1999 – 25 (1), 162.679,00 (2), 8.341,00 (3), 5,13 (4); e
2000 – 18 (1), 119.228,73 (2), 10.405,00 (3), 8,73 (4).

Observa-se que está havendo um incremento de áreas com pastagem cultivada. Desta forma, atualmente devemos atentar para três prerrogativas: a) que o uso de pastagem cultivada está fortemente alicerçado no manejo e uso eficiente dessa pastagem; b) que os pecuaristas deverão utilizar as pastagens cultivadas e como alternativa para algumas categorias animais e nunca como substitutas das pastagens nativas, c) para que o desenvolvimento desse bioma esteja aliado à conservação ambiental, o Pantanal deve ser merecedor de uma legislação específica.


Sandra Mara Araújo Crispim (scrispim@cpap.embrapa.br), M.Sc em Zootecnia, Urbano Gomes Pinto de Abreu (urbano@cpap.embrapa.br), Dr. em Zootecnia, Luiz Alberto Pellegrin (pellegrin@cpap.embrapa.br), M.Sc em Tratamento da Informação Espacial, Sandra Aparecida Santos (sasantos@cpap.embrapa.br), Dra. em Produção e Nutrição Animal, são empregados da Embrapa Pantanal.

 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco
[11/10/2017] - Produtor de leite vive momento complicado
[11/10/2017] - Milho volta a subir
[10/10/2017] - Justiça já bloqueou R$ 730 milhões da JBS
[10/10/2017] - PF aponta que irmãos Batista manipularam o mercado
[10/10/2017] - Carne: preço sobe e ensaia recuperação
[10/10/2017] - Exportações: outubro começou com alta de 25%
[10/10/2017] - Arroba: frigoríficos estão testando o pecuarista
[10/10/2017] - Governo do MT não vai prorrogar ICMS menor
[10/10/2017] - Acrimat: ICMS menor estimula concorrência pelo boi
[09/10/2017] - MPF vê risco de quebra da JBS
[09/10/2017] - Pecuaristas ainda preocupados com a crise da JBS
[09/10/2017] - Carne sobe e pode puxar a arroba do boi
[09/10/2017] - Arroba: frigoríficos tentam pressão sobre o boi
[09/10/2017] - Reposição: esperando pela chuva e pela alta do boi
[09/10/2017] - Pecuaristas do Mercosul criticam oferta européia
[06/10/2017] - Juiz bloqueia todos os bens da família Batista
[06/10/2017] - Justiça do MS bloqueia unidades e R$ 115 mi da JBS
[06/10/2017] - JBS reage a bloqueio de bens e dinheiro no MS
[06/10/2017] - Arroba: nem para lá, nem para cá
[06/10/2017] - Brasil abre mais um mercado para carne
[06/10/2017] - Arroba: preço do boi cai em Belo Horizonte
[06/10/2017] - Pecuaristas pedem volta do ICMS menor no MT
[06/10/2017] - Mato Grosso tem receita recorde com a carne bovina
[06/10/2017] - Pecuaristas denunciam fraude no leite uruguaio
[06/10/2017] - Funrural: Receita ignora resolução do Senado
[06/10/2017] - Governo prorroga desconto no ICMS de insumos
[05/10/2017] - BNDES volta a pedir mudanças na JBS
[05/10/2017] - Advogados vão atrás de provas contra os Batista
[05/10/2017] - Arroba: frigoríficos oferecem mais
[05/10/2017] - Arroba: exportações em alta não deixam sobrar boi
[05/10/2017] - Maggi negocia ampliação das vendas à Rússia
[05/10/2017] - Pecuarista joga 1.000 litros de leite fora
[05/10/2017] - Temer nega ter prometido arrendamento de reservas
[04/10/2017] - Arroba: reação dos preços está próxima?
[04/10/2017] - Reposição: relação de troca melhora no Tocantins
[04/10/2017] - Coaf identifica repasse de frigoríficos a político
[04/10/2017] - Coutinho diz que não apoiou monopólio da JBS
[04/10/2017] - PIB do Agro bate recorde histórico no Mato Grosso
[04/10/2017] - UE oferece cota baixa para carne do Mercosul

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br