Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
 
 
 
 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Embrapa lança nova variedade de capim
 
 
Publicado em 06/06/2007

Os dias de dominação absoluta do capim marandu podem estar contados nas pastagens do país. A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Unidade Gado de Corte acaba, acaba de lançar uma nova variedade, a BRS piatã (Brachiaria brizantha).

Assim como a cultivar marandu, que desde 1984 reina nos pastos do norte do Paraná até a região amazônica, a piatã é excelente para solos de média e alta fertilidade. Portanto, tem plenas condições de adaptar-se às grandes áreas produtoras de bovinos no país.

Cacilda Borges do Valle, engenheira agrônoma da Embrapa e da equipe que desenvolveu o novo capim, destaca: “Romper o monocultivo é uma questão de sustentabilidade da atividade pecuária brasileira”.

“Se, por exemplo, ocorrer uma praga no marandu, a produção de carne e leite ficará seriamente comprometida”, enfatiza.

Produto do projeto “Melhoramento de Brachiaria visando a diversificação de pastagens”, o piatã levou cerca de 16 anos para tornar-se realidade. “A produção de uma nova cultivar é um processo lento mesmo”, afirma.

Uma das principais vantagens da variedade lançada no mês passado é a maior velocidade de rebrota: as folhas arrancadas pelos animais são repostas naturalmente de forma mais rápida em relação a outros capins. “Isso resulta, na média, por cabeça, em três arrobas a mais de peso vivo por hectare/ano”, informa.

A desvantagem em comparação ao marandu é a suscetibilidade à doença “carvão da semente”. Embora tal moléstia não afete propriamente a produção do capim ou a alimentação dos bovinos, ela pode trazer dores de cabeça para os produtores de sementes de forrageiras.

Em relação ao preço, Cacilda avalia que será semelhante ao da marandu. “No início talvez seja um pouco mais caro. Mas depois tende a ficar igual”, prevê.

A variedade piatã

* Origem do nome
O nome piatã foi escolhido para homenagear o povo tupi-guarani e significa fortaleza, valentia, coragem

* Garantia
As cultivares desenvolvidas pela Embrapa são certificadas e garantem a pureza genética do material

* Calendário
A época mais indicada para o plantio do piatã é de meados de novembro a fevereiro. Bem manejada, a planta estará pronta para o consumo dos animais de 2 a 3 meses após o plantio

* Plantio
A semeadura pode ser feita de forma convencional ou pelo sistema de plantio direto. Os melhores resultados de germinação são obtidos com sementes enterradas entre 2 cm e 5 cm de profundidade

* Comercialização
As sementes da nova variedade de capim já foram reproduzidas e multiplicadas e devem estar no mercado já a partir deste mês.


Indicação é diversificar o plantio

A pesquisadora Cacilda Borges do Valle orienta os produtores a diversificar: em vez de plantar apenas um tipo de capim, o pecuarista, por exemplo, deve cultivar piatã, marandu e xaraés.  O primeiro floresce precocemente. No segundo, esse fenômeno é intermediário. O último terá florescimento mais tardio.  “Com isso, é possível ‘rodar o gado’ e explorar melhor o valor nutritivo de cada uma das variedades”, diz. Outra dica da pesquisadora é associar cultivos. No período de seca, o produtor notará a utilidade da prática.

Além disso, plantar o piatã simultaneamente com a estilosante campo grande – uma leguminosa da família dos feijões – garante comida para os bovinos mesmo quando o capim está baixo. Segundo Cacilda, a estilosante, também desenvolvida pela Embrapa, estará ótima para ser ingerida justamente na época de seca. Com informações da Embrapa Gado de Corte.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir


   Leia também:
 
[28/07/2014] - Pressão dos frigoríficos sobre a arroba continua
[28/07/2014] - Boi teve alta de quase 20% em um ano no MS
[28/07/2014] - Chuvas ajudam a manter pastos verdes em SP
[28/07/2014] - Copa não ajudou a vender mais carne
[28/07/2014] - JBS compra unidades da Tyson no Brasil e México
[28/07/2014] - Confirmados casos de estomatite em 4 estados
[28/07/2014] - MAPA orienta: como enfrentar a estomatite?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[25/07/2014] - Demanda fraca prejudica arroba do boi
[25/07/2014] - Entidade pede mudança na lei da tuberculose
[25/07/2014] - MPF e Abiec assinam acordo por sustentabilidade
[25/07/2014] - Farelo e caroço de algodão mais baratos
[24/07/2014] - Pressão de baixa no boi é maior em São Paulo
[24/07/2014] - CEPEA: com confinamento, frigoríficos pressionam
[24/07/2014] - Economia piora e pressiona frigoríficos
[24/07/2014] - Pecuária cresce 15,6% e puxa PIB do agro
[24/07/2014] - Multinacionais de lácteos de olho no Brasil
[24/07/2014] - Entidade pede Zona de Alta Vigilância para aftosa
[24/07/2014] - Reação à vacina: prejuízo para o pecuarista
[24/07/2014] - Como combater lagartas nas pastagens?
[24/07/2014] - Governo publica regras para o ITR 2014
[23/07/2014] - Confinamento começa a afetar preço da arroba
[23/07/2014] - Após bater recorde, preço do bezerro cai
[23/07/2014] - Imea: economia pode prejudicar demanda por carne
[23/07/2014] - Pecuarista já se prepara para a estação de monta
[23/07/2014] - Polpa cítrica em falta
[23/07/2014] - Foco de estomatite já traz prejuízos no MT
[22/07/2014] - Acordo com EUA poderá prejudicar carne do Brasil
[22/07/2014] - Pressão e lentidão no mercado do boi
[22/07/2014] - Indea confirma estomatite e descarta aftosa no MT
[22/07/2014] - O boi em xeque
[22/07/2014] - Governo destina R$ 25 mi à qualidade do leite
[22/07/2014] - Escândalo da carne se espalha na China
[21/07/2014] - Exportações aos países árabes crescem 18,4%
[21/07/2014] - Situação econômica já afeta vendas de carne
[21/07/2014] - Oferta de boi encurta, escalas ainda confortáveis
[21/07/2014] - Reposição: fêmeas têm queda de preço
[21/07/2014] - No Triângulo Mineiro, o problema é a seca
[21/07/2014] - Cheias destroem pastos e lavouras no RS
[21/07/2014] - Superavit do agro continua em alta: US$ 8,4 bi
[21/07/2014] - Venda de adubo bate recorde
[21/07/2014] - CAR avança, mas ainda tem problemas
[21/07/2014] - Fazendas sofrem com falta de mão-de-obra
[18/07/2014] - China derruba embargo à carne brasileira
[18/07/2014] - Brasil espera vender R$ 1 bi de carne à China
[18/07/2014] - ABIEC: abertura chinesa é estratégica
[18/07/2014] - Economia afeta consumo e segura a arroba
[18/07/2014] - Milho abaixo de R$ 10 a saca
[17/07/2014] - Pressão de baixa sobre a arroba não é generalizada
[17/07/2014] - CEPEA: arroba cai, custos em alta
[17/07/2014] - Embargos derrubam exportações do Mato Grosso
[17/07/2014] - Reposição está até 26% mais cara no MT
[17/07/2014] - Alta das carnes ajuda a reduzir deflação
[17/07/2014] - Produtores denunciam abates clandestinos de índios
[17/07/2014] - Lácteos Brasil pode se tornar venezuelana?
[16/07/2014] - Mercado do boi continua devagar
[16/07/2014] - Reposição: só bezerro caiu no MS
[16/07/2014] - Laboratório tenta relançar promotor polêmico

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br