Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
153,00 138,00 145,00
GO MT RJ
137,00 138,00 141,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2060,00
Bezerra 12m 1050,00
Novilha 18m 1300,00
Vaca Boiadeira 1480,00

Atualizado em: 15/2/2019 12:26

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

ARTIGO: Uma lei que prejudica a todos

 
 
 
Publicado em 04/10/2005

Evaristo Machado Netto*

A elaboração de qualquer lei deve levar em conta o interesse de toda a sociedade. No entanto, a aprovação da lei estadual 11.977, que institui o Código de Proteção dos Animais, vai no mínimo contra os princípios da democracia. Não houve divulgação a respeito e os setores envolvidos - sobretudo o agropecuário - não foram consultados sobre a lei promulgada no dia 25 de agosto de 2005, que deve entrar em vigor no dia 9 de outubro. A Assembléia Legislativa derrubou até mesmo o veto integral do governador Geraldo Alckmin, que em março já tinha se manifestado contrário ao Código. 

São Paulo é o terceiro maior produtor de frango e detém técnicas de melhoramento genético, sendo o único estado a abrigar empresas bisavozeiras, ou seja, granjas produtoras de aves-avós que desenvolvem aves-matrizes para todo o país. As restrições impostas pelo Código, que entre outros aspectos, proíbe "a imposição aos animais de condições reprodutivas artificiais que desrespeitam seus ciclos biológicos naturais", nos levará à necessidade de importar matrizes e, com elas, a possibilidade do perigoso vírus da influenza aviária (gripe asiática).

Quanto à inseminação artificial e a produção e fertilização de embriões "in vitro" - práticas comuns usadas na melhoria da produtividade e da competitividade da pecuária - serão barradas com a aprovação desta lei. Há o risco, inclusive, de criadores deslocarem suas produções para outros Estados, causando desemprego e queda de arrecadação. Em decorrência das restrições à produção, os preços terão um aumento considerável e os consumidores sentirão os efeitos no bolso. 

Ou seja, a sociedade será afetada diretamente com os efeitos de uma lei inconseqüente porque não foram medidos os reflexos para a cadeia produtiva no momento de sua elaboração e aprovação. É preciso deixar claro que não é de hoje que pecuaristas, avicultores e demais entidades representativas de setores agroindustriais estão conscientes da prática do bem estar animal. Aliás, se não houvesse a preocupação com as criações, ninguém poderia exportar, já que o mercado externo exige certificados que atestem que os produtores seguem as regras internacionais de proteção animal. 

Porém, o Código que se propõe a defender os animais é, na verdade, um acinte aos criadores e, principalmente, uma ameaça ao consumidor, que hoje tem acesso a proteínas de origem animal com preços baixos e de qualidade.

A Ocesp já entregou ao secretário estadual da Agricultura, Duarte Nogueira, uma carta de alerta sobre os prejuízos que o Código de Proteção dos Animais pode causar ao Estado. Na reunião das câmaras setoriais, realizada no dia 28 de setembro, o secretário também demonstrou a sua preocupação e constituiu uma comissão para conseguir apoio político e tentar reverter a situação. Apesar desta movimentação, caso o código seja regulamentado do jeito que está, infelizmente, assistiremos a um retrocesso no desenvolvimento econômico e social do estado de São Paulo.

* Presidente da Ocesp (Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo)

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[15/02/2019] - Frigoríficos aumentam a pressão sobre o boi
[15/02/2019] - Carne: será que as vendas melhoram no Carnaval?
[15/02/2019] - Leite: governo ainda não aumentou tarifa da UE
[15/02/2019] - Leite: CEPEA mudará cálculo do preço ao produtor
[15/02/2019] - China fecha acordo para importar frango do Brasil
[15/02/2019] - Acordo com China puxa ações de frigoríficos
[15/02/2019] - JBS substitui Marfrig e assina parceria com ACNB

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[15/02/2019] - Empresa da JBS tem prejuízo nos EUA
[15/02/2019] - Marfrig já está exportando ao Japão
[14/02/2019] - Carne: margem de lucro do varejo aumentou
[14/02/2019] - Arroba: o mercado está devagar?
[14/02/2019] - CEPEA: produtividade aumentou nos últimos anos
[14/02/2019] - Justiça pede explicações sobre fim da tarifa
[14/02/2019] - Produtores de leite protestam por falta de energia
[14/02/2019] - Indígenas plantam 18 mil hectares de grãos
[14/02/2019] - Tereza defende o direito de índios de produzir
[14/02/2019] - Funrural: produtor tem dúvidas sobre o pagamento
[14/02/2019] - Governo incentiva financiamento rural
[14/02/2019] - Frio extremo mata gado leiteiro nos EUA
[13/02/2019] - Leite: como o governo aumentará a tarifa da UE?
[13/02/2019] - Reforma aumenta contribuição rural ao INSS
[13/02/2019] - Conta de luz rural pode aumentar
[13/02/2019] - Arroba: oferta curta está puxando preço do boi
[13/02/2019] - Exportações de couro em alta
[13/02/2019] - Oferta de gado pode diminuir
[13/02/2019] - MT: utilização de capacidade dos frigos é recorde
[13/02/2019] - Falta reposição no Pará
[13/02/2019] - Exportações do agro batem US$ 102 bi em 1 ano
[13/02/2019] - Minerva quer incentivo fiscal para reabrir unidade
[12/02/2019] - Exportações: fevereiro já começou com recordes?
[12/02/2019] - Exportações à Rússia em 2019 já batem 2018
[12/02/2019] - Governo deve rever fim de taxa ao leite europeu
[12/02/2019] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[12/02/2019] - Reposição: expectativa pela chegada dos bezerros
[12/02/2019] - Carne: queda nos preços perde força
[12/02/2019] - Milho: produtor deve ter cautela
[12/02/2019] - Funrural: Abrafrigo diz que dívida não existe
[12/02/2019] - Crédito rural tem forte alta nas contratações
[12/02/2019] - Índios e produtores comemoram colheita juntos
[11/02/2019] - Arroba: pecuarista segura o boi esperando a alta
[11/02/2019] - Exportações de gado cresceram 55% em 1 ano
[11/02/2019] - Conta do boi não fecha, diz líder rural
[11/02/2019] - Ministério não vê danos com leite da UE
[11/02/2019] - Produtores pedem taxa sobre o leite em pó
[11/02/2019] - Milho: colheita não reduziu preços
[11/02/2019] - Milho: safrinha gera preocupação
[11/02/2019] - Farelo de soja: preço caiu
[11/02/2019] - Crédito: Tereza pede redução gradual de subsídio
[08/02/2019] - Marfrig demite 400 funcionários de frigorífico
[08/02/2019] - Marfrig pode exportar carne para o Japão
[08/02/2019] - Frigoríficos estão em alta na Bolsa
[08/02/2019] - Arroba teve pequena alta em SP
[08/02/2019] - Arroba: mercado está devagar em Goiânia
[08/02/2019] - STF confirma que tabela de frete está valendo
[08/02/2019] - Alimentos em alta no mercado internacional
[08/02/2019] - Brumadinho: BB deve suspender contratos
[08/02/2019] - Aftosa: MAPA publica manual de vacinação

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br