Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
149,00 143,00 144,00
GO MT RJ
138,00 135,00 146,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1630,00
Boi Magro 30m 2000,00
Bezerra 12m 1010,00
Novilha 18m 1250,00
Vaca Boiadeira 1420,00

Atualizado em: 7/12/2018 12:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Manejo e nutrição corretos na produção de bezerras

 
 
 
Publicado em 20/06/2007

Emerson Marques Botelho

Considerada uma das principais atividades das fazendas leiteiras, uma vez que a melhoria genética do rebanho depende do descarte de vacas velhas e a entrada de fêmeas bem criadas, a criação de bezerras passa por fases críticas que devem ser constantemente observadas. Porém, quando bem assistida e com a realização correta do manejo, traz resultados surpreendentes para o criador: novilhas sendo inseminadas antes dos 18 meses, primeiro parto por volta dos dois anos, grandes picos de lactação, rebanho com produtividade em alta e, conseqüentemente, maiores retornos.

Os animais são frágeis nesta idade, cujas taxas de mortalidade podem atingir em torno de 50%, inviabilizando economicamente a produção de leite. Para garantir a imunidade da bezerra, é importante o adequado manejo de colostro. Por isso, o incentivo ao pecuarista para a formação do banco de colostro formado pelas vacas que produzem, com qualidade, este material. O colostro deve ser fornecido nas primeiras 2 horas de vida e mantido até 3 dias no volume de 4 litros por dia. Outra etapa crítica é a primeira semana de vida da bezerra, pois neste período os animais estão mais susceptíveis a doenças. Uma das portas de entrada de doenças é o umbigo, cujo tratamento com iodo 10% deve ser criterioso e realizado em todos os animais logo após o nascimento.

As características dos bezerros, ao nascerem, são de animais monogástricos, já que o abomaso, estômago verdadeiro, constitui 60% de todo o volume dos estômagos. Isso se deve ao fato de que nesta fase a alimentação do animal é praticamente líquida. Por isso, é preciso aplicar uma dieta adequada para o desenvolvimento do rúmen e de suas papilas, realizando, assim, a transição ideal de pré-ruminante para ruminante.

Após a colostragem dos animais, entre 8 a 10 semanas de vida, o bom desenvolvimento das bezerras é garantido com uma dieta em torno de 4 litros de suscedâneo de leite, rica em ração balanceada e água à vontade. Inicialmente, os suscedâneos foram desenvolvidos para serem uma opção mais barata que o leite, já que este pode se destinar à venda. Hoje, existem produtos com características que permitem um desenvolvimento mais adequado das bezerras e flexibilidade maior de manejo. É importante ressaltar a atenção para a higiene dos materiais envolvidos na diluição e fornecimento do suscedâneo, bem como a temperatura correta da água de diluição do produto, em torno de 42º C.

A principal função da ração para bezerras é a de desenvolver as papilas ruminais, já que ao ser fermentado no rúmen, este alimento produz ácidos graxos voláteis que propiciam condição excelente para isso. A ração deve ser deixada à disposição para que a bezerra aumente o consumo de forma gradativa até que atinja 0,5 kg/dia, quando será feito o desmame do animal. É recomendado o fornecimento de feno de boa qualidade a partir da 8ª semana, mas deve ser introduzido na dieta de forma crescente até ser deixado a vontade. E, lembre-se: o fornecimento de feno antes desta etapa pode fazer com que os animais tenham um rúmen com grande volume, mas com poucas papilas desenvolvidas.

Para finalizar, não se pode esquecer de que todo o manejo da bezerra deve ser realizado em um ambiente limpo e adequado ao seu desenvolvimento. O mais recomendado é a criação em casinhas individuais até o desmame, quando passam a ser criadas em piquetes coletivos. Neste caso, é importante formar grupos de, no máximo, 8 animais separados por tamanho.


Emerson Marques Botelho é médico veterinário  e gerente de produtos para ruminantes da Cargill Nutrição Animal - Purina

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/12/2018] - STF impede multa por desrespeito à tabela do frete
[07/12/2018] - Mais uma greve dos caminhoneiros?
[07/12/2018] - Arroba do boi ganha força na alta
[07/12/2018] - Mercado do boi está devagar em SC
[07/12/2018] - Marfrig fecha compra de unidades da BRF
[07/12/2018] - Tereza: produtor deve ser pago para preservar
[07/12/2018] - Milho deve ficar mais caro em 2019

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[07/12/2018] - Funai irá para o Ministério dos Direitos Humanos
[06/12/2018] - Arroba do boi voltou a subir em São Paulo
[06/12/2018] - Exportação de boi em alta em novembro
[06/12/2018] - Boi deve subir no Mato Grosso
[06/12/2018] - Há frigoríficos pagando mais pelo boi
[06/12/2018] - CNA pede suspensão de multas por tabela
[06/12/2018] - Custos devem derrubar PIB do Agro em 2018
[06/12/2018] - Dívida do Funrural será extinta?
[06/12/2018] - Minerva nega oferta para comprar ativos da BRF
[06/12/2018] - Prazo para o CAR termina em 31 de dezembro
[05/12/2018] - JBS: Batistas fora da liderança
[05/12/2018] - JBS: foco no aumento da margem de lucro
[05/12/2018] - Arroba do boi segue firme
[05/12/2018] - Bezerro subiu mais que a arroba na Bahia
[05/12/2018] - Bolsonaro nega que Funai vá para o MAPA
[05/12/2018] - Projeto pode aumentar burocracia
[04/12/2018] - Arroba começa dezembro em alta
[04/12/2018] - Reposição está em falta no mercado
[04/12/2018] - Dólar segura preço do farelo de soja
[04/12/2018] - Exportações de carne seguem com força
[04/12/2018] - Agro tem a maior alta no PIB do trimestre
[04/12/2018] - Empregos no Agro: maior nível desde 2016
[04/12/2018] - Bolsonaro pode transferir Funai para o MAPA
[04/12/2018] - Falta de vacinas impede vacinação no Brasil
[04/12/2018] - Não faltam vacinas para doação à Venezuela
[04/12/2018] - JBS: aumenta o recall de carne por salmonela
[03/12/2018] - Vai faltar boi em 2019?
[03/12/2018] - BNDES prepara sua saída da JBS
[03/12/2018] - Marfrig pode voltar às compras
[03/12/2018] - Arroba: otimismo aumenta com o preço do boi
[03/12/2018] - Carne sobe forte no atacado
[03/12/2018] - Milho: vendedores recuam e preços sobem
[03/12/2018] - Aftosa: vacinação foi prorrogada em 7 estados
[03/12/2018] - MS quer reduzir imposto sobre o farelo de soja
[03/12/2018] - Bolsonaro diz que não fará acordos contra o Agro
[03/12/2018] - Bancada do Agro não promete ser fiel a Bolsonaro
[30/11/2018] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[30/11/2018] - Varejo não consegue repassar alta da carne
[30/11/2018] - China deve liberar mais frigoríficos em janeiro
[30/11/2018] - Futuro ministro defende frete tabelado
[30/11/2018] - Mato Grosso também prorroga vacinação
[30/11/2018] - PIB do Agro ensaia uma reação
[29/11/2018] - Arroba do boi volta a subir
[29/11/2018] - Arroba: dá para conseguir mais pelo boi?
[29/11/2018] - Exportações de carne: alta de quase 25%
[29/11/2018] - Banco está otimista com lucro de frigoríficos
[29/11/2018] - Marfrig confirma pedido de propina no MS
[29/11/2018] - Aftosa: vacinação será prorrogada no Paraná
[29/11/2018] - Carne: reabertura dos EUA ficou para 2019
[29/11/2018] - Milho: exportações em alta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br