Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
145,00 133,00 136,00
GO MT RJ
129,00 128,00 138,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1300,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1930,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1150,00
Vaca Boiadeira 1400,00

Atualizado em: 23/3/2017 13:15

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

JBS ganha R$ 5 bi em um dia com reorganização

 
 
 
Publicado em 07/12/2016

Alternativa da JBS à reorganização societária vetada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a abertura do capital da subsidiária JBS Foods International na bolsa de Nova York provocou euforia no mercado ontem.

O anúncio, feito na segunda-feira, fez as ações da JBS subirem 19,07% na BM&FBovespa, encerrando o pregão de ontem a R$ 11,05. Foi a maior valorização entre os papéis que compõem Ibovespa. Na prática, as ações da companhia voltaram ao patamar que haviam alcançado antes do veto do BNDES, no fim de outubro. Apenas ontem, o valor de mercado da JBS aumentou mais de R$ 5 bilhões, passando de R$ 26,5 bilhões para R$ 31,6 bilhões.

Em teleconferência com analistas, o CEO global da JBS, Wesley Batista, disse que o IPO da JBS Foods trará "benefícios similares" aos da reorganização societária proposta anteriormente. Entre os benefícios, citou a redução do custo de capital e o maior acesso aos mercados de capital e dívida.

O empresário também se mostrou satisfeito com a alternativa encontrada. "Acreditamos que esse é um caminho que tem excelentes méritos e que possibilita à companhia capturar os benefícios da reorganização anterior, com uma estrutura relativamente mais simples e clean", disse.

Contrário à reorganização societária originalmente apresentada pela JBS, o BNDES gostou da nova proposta. "O modelo apresentado, além de manter o controle dos negócios no país, indica o respeito aos direitos dos acionistas minoritários e ainda persegue o acesso à poupança externa para impulsionar os negócios diversificados da empresa", informou a BNDESPar, o braço de participações do banco estatal, em nota ontem. A BNDESPar tem 20,36% das ações da JBS.

De fato, o banco estatal nem poderia impedir a operação. Pelos termos do acordo de acionistas entre a família Batista e a BNDESPar, a JBS pode alienar ativos que equivalham a até 10% do valor contábil dos ativos da controladora. Em 30 de setembro, o valor total dos ativos da controladora era de R$ 54,7 bilhões, e 10% disso é R$ 5,4 bilhões.

No pedido de registro do IPO protocolado na Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regula o mercado de capitais dos EUA, a JBS informou quer o valor pro forma do patrimônio líquido da JBS Foods International é de apenas R$ 694,5 milhões. Esse valor é baixo porque a JBS vai transferir dívidas da JBS S.A para a sua subsidiária.

Na prática, o limite de 10% não terá influência na emissão de ação, uma vez que é comum que o valor de mercado de uma empresa seja superior a seu valor contábil, o que deve ser o caso da JBS Foods International, que vai reunir todos os ativos da empresa, com a exceção do negócio de bovinos no Brasil. A receita líquida pro forma da subsidiária no ano passado foi de R$ 136,2 bilhões, o que significa mais de 80% das receitas da JBS.

Diferentemente da proposta original, o IPO da JBS Foods International trará recursos para a subsidiária. Batista não revelou, no entanto, quanto pretende levantar com a oferta primária de ações na bolsa de Nova York. O empresário também não detalhou a fatia da JBS Foods International que pretende alienar.

Os recursos do IPO vão permitir "acelerar" o processo de redução de alavancagem da JBS, destacou Batista. Em novembro, o empresário já havia dito que o foco da companhia em 2017 seria gerar caixa para reduzir a alavancagem, que chegou a 4,32 vezes no fim de setembro. A intenção da empresa era fazer esse índice cair para algo ao redor de 3 vezes até dezembro de 2017. Com o IPO, isso ocorrerá antes. A expectativa da JBS é que a abertura de capital da subsidiária aconteça no primeiro semestre.

De acordo com Batista, a totalidade dos recursos que será obtida com o IPO será usada para pagar dívidas. No primeiro momento, explicou, o índice de alavancagem da JBS Foods International será superior ao da JBS, porque as dívidas serão transferidas. Com o recebimento dos recursos do IPO, o nível da alavancagem da controladora e de sua subsidiária será equalizado, explicou o empresário.

Para transferir as dívidas para a subsidiária, a JBS precisa do aval dos bondholders, o que tende a ser fácil. Na reorganização anterior, a empresa já havia obtido aprovação similar.

Com a subsidiária listada em Nova York, a JBS também verá sua capacidade de alavancagem financeira reforçada. Isso será possível porque que a JBS Foods International terá duas classes de ações: A, que efetivamente será negociadas na bolsa; e B, que será detida pela JBS (ver organograma). Cada ação da classe B equivale a dez votos da classe A. Isso significa que a JBS Foods International poderá, futuramente, emitir mair ações (classe A) para financiar a expansão sem colocar em risco o controle da companhia brasileira.

Com tal modelo, em tese, a JBS pode manter o controle sobre a subsidiária internacional mesmo se ficar com apenas 9,1% do capital total, desde que com classe B. A empresa listada em Nova York terá flexibilidade financeira similar à de uma companhia de capital pulverizado, pois adotou uma estrutura de controle muito semelhante à usada pelo Google.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/03/2017] - Pecuaristas não vão aceitar manipulação da arroba
[23/03/2017] - JBS reduziu abates em até 30%
[23/03/2017] - Arroba: alguns frigoríficos tentam derrubar o boi
[23/03/2017] - CEPEA: mercado do boi tem pior dia em 23 anos
[23/03/2017] - Exportações de carne estão praticamente paradas
[23/03/2017] - Deputados europeus pressionam UE contra Brasil
[23/03/2017] - Em quanto tempo as exportações voltarão?
[23/03/2017] - Milho: operação da PF já derruba cotações
[23/03/2017] - Câmara aprova terceirização ampla

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/03/2017] - Embargos deverão cair logo, dizem analistas
[22/03/2017] - PF reconhece exagero em divulgação da operação
[22/03/2017] - Comissário Europeu virá ao Brasil
[22/03/2017] - Chile manterá embargo somente a investigados
[22/03/2017] - Japão suspende compra de frigoríficos investigados
[22/03/2017] - JBS suspende compra de bois no Mato Grosso
[22/03/2017] - Arroba: como ficará após a operação da PF?
[22/03/2017] - Frigoríficos pretendem visitar países importadores
[22/03/2017] - Leite: preço em alta
[21/03/2017] - Hong Kong suspende compras, Coréia volta atrás
[21/03/2017] - Chile suspende temporariamente as importações
[21/03/2017] - Egito também suspende compras
[21/03/2017] - Maggi tenta convencer China a reabrir importações
[21/03/2017] - Arroba: após susto, frigoríficos suspendem compras
[21/03/2017] - Exportações: antes do escândalo, uma melhora
[21/03/2017] - Marfrig já tem plano para embargo prolongado
[21/03/2017] - Entidade vê espaço para frigoríficos menores
[21/03/2017] - Uréia tem queda de preço
[20/03/2017] - China suspende importações de carne do Brasil
[20/03/2017] - UE decide suspender importações de investigados
[20/03/2017] - Maggi: prejuízos são inevitáveis
[20/03/2017] - Temer tenta tranquilizar importadores
[20/03/2017] - Maggi promete rigor com frigoríficos investigados
[20/03/2017] - PF é criticada pela forma como anunciou operação
[20/03/2017] - Arroba: lentidão continua
[20/03/2017] - Reposição: para onde vão os preços?
[20/03/2017] - Oferta de bezerros em alta em Goiás
[17/03/2017] - PF faz operação contra frigoríficos e prende 38
[17/03/2017] - Frigoríficos vendiam carne vencida
[17/03/2017] - Arroba: sem pressão de baixa
[17/03/2017] - Chuva dificulta negociações com gado no Pará
[17/03/2017] - Carne bovina: a única com queda na exportação
[16/03/2017] - IBGE: recessão derrubou abates
[16/03/2017] - No Mato Grosso, abates aumentaram
[16/03/2017] - Arroba: frigoríficos compram devagar
[16/03/2017] - CEPEA: cenário é de estabilidade para o boi
[16/03/2017] - Carne bovina ganha mais espaço do frango
[16/03/2017] - IBGE contabiliza mais couros do que bois abatidos
[16/03/2017] - Produção de leite caiu pelo segundo ano
[16/03/2017] - Sócio do JBS vai depor à Justiça amanhã
[16/03/2017] - Justiça tem dúvidas sobre recuperação de laticínio
[16/03/2017] - Começa a vacinação contra a aftosa
[15/03/2017] - Arroba: frigoríficos ainda tentam pagar menos
[15/03/2017] - Reposição: queda de preços no MS
[15/03/2017] - JBS concentra investimentos nos EUA
[15/03/2017] - Operação faz novas prisões por fraude no leite
[15/03/2017] - Cai volume exportado de milho
[15/03/2017] - Relator fala sobre mudanças na previdência rural
[14/03/2017] - JBS: lucro quase 92% menor e nova aquisição
[14/03/2017] - JBS: investigação não afetou operações

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br