Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
145,00 133,00 135,00
GO MT RJ
129,00 128,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1300,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1930,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1150,00
Vaca Boiadeira 1400,00

Atualizado em: 24/2/2017 12:48

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Agro volta a empregar no RS

 
 
 
Publicado em 09/12/2016

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) divulgou nesta quinta-feira (8) que, no mês de outubro, foi registrado saldo positivo de 2.958 empregos formais celetistas no agronegócio no Rio Grande do Sul. Com 321.178 postos de trabalho com carteira assinada, o setor teve 0,9% de crescimento em relação a setembro e reverte movimento de queda de seis meses. O saldo positivo registrado em outubro resulta da combinação do crescimento das admissões e da queda dos desligamentos no setor.

Segundo Rodrigo Feix, coordenador do Núcleo de Estudos do Agronegócio da FEE, no Rio Grande do Sul “a retomada das contratações de trabalhadores no agronegócio é característica do último trimestre. Nesse período, tanto o comércio atacadista de insumos e produtos agropecuários são aquecidos em razão do desenrolar da safra de grãos”.

O movimento de criação de postos de trabalho foi generalizado entre os três segmentos do agronegócio gaúcho: 'antes', 'dentro' e 'depois da porteira'. O destaque foi o segmento 'depois da porteira', composto predominantemente de atividades agroindustriais, que registrou a abertura de quase 1.800 postos de trabalho em outubro. Os setores com maior criação de vagas foram os de comércio atacadista de produtos agroindustriais e fabricação de conservas.

Por outro lado, a fabricação de produtos do fumo registra a maior perda de empregos celetistas no agronegócio gaúcho. “Nesse setor, a desmobilização da mão de obra contratada temporariamente para o beneficiamento do fumo colhido nos primeiros meses do ano está praticamente concluída”, sinaliza Feix.

Acumulado do ano

Apesar de ter registrado perda de empregos formais entre abril e setembro, no acumulado do ano o saldo continua positivo no agronegócio gaúcho. Entre janeiro e outubro foram gerados 4.315 postos de trabalho, o que representa uma alta de 1,4% em relação ao número de empregos formais existentes em 31 de dezembro de 2015. Esse saldo é significativamente superior ao observado no mesmo período de 2015, quando haviam sido criados apenas 351 postos de trabalho no agronegócio gaúcho nos dez primeiros meses do ano.

Os principais setores responsáveis por esse desempenho são os de comércio atacadista de produtos agropecuários e agroindustriais (mais 2.049 postos; alta de 5,2% no estoque), de produção de lavouras permanentes (mais 1.200 postos; alta de 15,6% no estoque) e de produção florestal (mais 694 postos; alta de 13,0% no estoque). Os setores com pior desempenho foram os de produção de sementes e mudas certificadas (menos 515 vagas; queda de 28,3% no estoque) e de fabricação de tratores, máquinas e equipamentos agropecuários (menos 347 postos; queda de 1,5% no estoque).

Para Feix, a atenta análise do mercado de trabalho revela sinais consistentes de início de recuperação em setores importantes do agronegócio gaúcho. Esse é o caso, por exemplo, da indústria de máquinas e implementos que já se beneficia da melhora das condições de investimento na agricultura. Apesar do saldo negativo no acumulado do ano, houve criação de empregos nos últimos três meses, resultado não observado desde o primeiro trimestre de 2014. Com informações da Secom-RS.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[24/02/2017] - Marfrig: prejuízo alto ainda preocupa
[24/02/2017] - Apesar do prejuízo, Marfrig se diz otimista
[24/02/2017] - BRF registra primeiro prejuízo da história
[24/02/2017] - Arroba: pressão de baixa perde força
[24/02/2017] - Carne cai no atacado: e a arroba?
[24/02/2017] - CNA quer prazo para pecuaristas pagarem dívidas
[24/02/2017] - MT tenta agilizar obra em BR que cruza reserva

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/02/2017] - Arroba: pecuarista não aceita preços menores
[23/02/2017] - Frigoríficos tentam segurar preço da carne
[23/02/2017] - Projeto permite pastagem na Reserva Legal
[23/02/2017] - Marfrig faz acordo para fechar unidade
[22/02/2017] - Arroba: escalas encurtaram
[22/02/2017] - IMEA alerta para excesso de oferta de boi
[22/02/2017] - Reposição: queda do boi trava mercado em MG
[22/02/2017] - Lucro do Minerva cai 81%
[22/02/2017] - Frigorífico será leiloado após decisão do STJ
[22/02/2017] - Não haverá acordo com a UE sem carne bovina
[22/02/2017] - Exportações do agro: alta de quase 18% em janeiro
[22/02/2017] - Agro ajuda a amenizar a crise em Minas Gerais
[21/02/2017] - Delator: Batista queria controlar fiscalização
[21/02/2017] - Arroba: o carnaval tem ajudado?
[21/02/2017] - Arroba: como fica a recria?
[21/02/2017] - Arroba tem queda no MS
[21/02/2017] - PIB da Pecuária deve cair no Mato Grosso
[21/02/2017] - Mercado do leite ganha força em Santa Catarina
[21/02/2017] - Câmbio pressiona preço do farelo de soja
[21/02/2017] - Açougues deverão mostrar fornecedor no MT
[20/02/2017] - Nova delação implica Joesley Batista, da JBS
[20/02/2017] - Agronegócio, de novo, puxará recuperação
[20/02/2017] - Governo fala em retirar vacina contra aftosa
[20/02/2017] - Setor rural vai pagar a conta da reforma?
[20/02/2017] - Arroba: referência caiu em SP
[20/02/2017] - Exportações: otimismo para frigoríficos?
[20/02/2017] - Preço do leite sobe também em fevereiro
[20/02/2017] - Preço do milho segue em queda
[20/02/2017] - Entrega de fertilizantes recorde
[17/02/2017] - ABIEC confirma exportações fortes em janeiro
[17/02/2017] - Arroba: onde os frigoríficos pagam mais?
[17/02/2017] - Para onde vão os preços da reposição?
[17/02/2017] - Expoinel MG não vendeu nenhum animal
[17/02/2017] - Leite em alta
[17/02/2017] - Governo liberará compra de terras por estrangeiros
[17/02/2017] - Estrangeiros: preço da terra vai subir?
[16/02/2017] - Arroba: vender a prazo vale a pena?
[16/02/2017] - CEPEA: frigoríficos tentam pagar cada vez menos
[16/02/2017] - Carne bovina ganha espaço em relação à suína
[16/02/2017] - CPI da Funai não consegue votar quebra de sigilo
[16/02/2017] - Coordenadora do MST é presa com arma ilegal
[15/02/2017] - Joesley Batista nega que vá deixar o JBS
[15/02/2017] - Batista nega que Lulinha seja sócio do JBS
[15/02/2017] - Maggi vê indícios de cartel de frigoríficos
[15/02/2017] - Arroba: pecuarista não aceita preço menor
[15/02/2017] - Arroba: varejo tem lucro recorde, pecuarista paga
[15/02/2017] - Abate de fêmeas deve voltar a crescer
[15/02/2017] - Exportações de carne do MT dobraram
[15/02/2017] - Confinamento: será difícil fechar a conta em 2017
[15/02/2017] - Produtores de leite pedem socorro ao MAPA

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br