Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
146,00 130,00 138,00
GO MT RJ
133,00 132,00 137,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1280,00
Garrote 18m 1560,00
Boi Magro 30m 1950,00
Bezerra 12m 990,00
Novilha 18m 1170,00
Vaca Boiadeira 1340,00

Atualizado em: 20/2/2018 10:48

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Agro volta a empregar no RS

 
 
 
Publicado em 09/12/2016

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) divulgou nesta quinta-feira (8) que, no mês de outubro, foi registrado saldo positivo de 2.958 empregos formais celetistas no agronegócio no Rio Grande do Sul. Com 321.178 postos de trabalho com carteira assinada, o setor teve 0,9% de crescimento em relação a setembro e reverte movimento de queda de seis meses. O saldo positivo registrado em outubro resulta da combinação do crescimento das admissões e da queda dos desligamentos no setor.

Segundo Rodrigo Feix, coordenador do Núcleo de Estudos do Agronegócio da FEE, no Rio Grande do Sul “a retomada das contratações de trabalhadores no agronegócio é característica do último trimestre. Nesse período, tanto o comércio atacadista de insumos e produtos agropecuários são aquecidos em razão do desenrolar da safra de grãos”.

O movimento de criação de postos de trabalho foi generalizado entre os três segmentos do agronegócio gaúcho: 'antes', 'dentro' e 'depois da porteira'. O destaque foi o segmento 'depois da porteira', composto predominantemente de atividades agroindustriais, que registrou a abertura de quase 1.800 postos de trabalho em outubro. Os setores com maior criação de vagas foram os de comércio atacadista de produtos agroindustriais e fabricação de conservas.

Por outro lado, a fabricação de produtos do fumo registra a maior perda de empregos celetistas no agronegócio gaúcho. “Nesse setor, a desmobilização da mão de obra contratada temporariamente para o beneficiamento do fumo colhido nos primeiros meses do ano está praticamente concluída”, sinaliza Feix.

Acumulado do ano

Apesar de ter registrado perda de empregos formais entre abril e setembro, no acumulado do ano o saldo continua positivo no agronegócio gaúcho. Entre janeiro e outubro foram gerados 4.315 postos de trabalho, o que representa uma alta de 1,4% em relação ao número de empregos formais existentes em 31 de dezembro de 2015. Esse saldo é significativamente superior ao observado no mesmo período de 2015, quando haviam sido criados apenas 351 postos de trabalho no agronegócio gaúcho nos dez primeiros meses do ano.

Os principais setores responsáveis por esse desempenho são os de comércio atacadista de produtos agropecuários e agroindustriais (mais 2.049 postos; alta de 5,2% no estoque), de produção de lavouras permanentes (mais 1.200 postos; alta de 15,6% no estoque) e de produção florestal (mais 694 postos; alta de 13,0% no estoque). Os setores com pior desempenho foram os de produção de sementes e mudas certificadas (menos 515 vagas; queda de 28,3% no estoque) e de fabricação de tratores, máquinas e equipamentos agropecuários (menos 347 postos; queda de 1,5% no estoque).

Para Feix, a atenta análise do mercado de trabalho revela sinais consistentes de início de recuperação em setores importantes do agronegócio gaúcho. Esse é o caso, por exemplo, da indústria de máquinas e implementos que já se beneficia da melhora das condições de investimento na agricultura. Apesar do saldo negativo no acumulado do ano, houve criação de empregos nos últimos três meses, resultado não observado desde o primeiro trimestre de 2014. Com informações da Secom-RS.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/02/2018] - Arroba: impasse no mercado do boi
[20/02/2018] - Arroba: pecuarista tende a segurar o boi
[20/02/2018] - Carne: momento chave para o boi gordo
[20/02/2018] - Pecuária do MT deve crescer quase 4% em 2018
[20/02/2018] - Governo deve prorrogar adesão ao Refis do Funrural
[20/02/2018] - Acordo com UE pode gerar corrida de concorrentes
[20/02/2018] - Hospital pede doações do agro para sobreviver

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[19/02/2018] - Arroba: escalas estão menores
[19/02/2018] - Margem do varejo subiu em 2018
[19/02/2018] - Pecuarista não tem culpa do preço da carne
[19/02/2018] - Reposição parada no Rio de Janeiro
[19/02/2018] - Deputado quer proibir exportação de gado em SP
[19/02/2018] - Laticínio fecha e deixa produtores na mão
[19/02/2018] - O mercado do leite vai melhorar?
[19/02/2018] - MG registra os maiores prejuízos com leite
[19/02/2018] - MAPA prevê PIB menor para o agro, boi deve crescer
[19/02/2018] - Milho: mercado lento com recesso de Carnaval
[19/02/2018] - Pecuarista vai pagar dívida de frigos com Funrural
[19/02/2018] - Depois de suspeitas, JBS fecha mesa de câmbio
[16/02/2018] - Arroba: preços firmes com alta da carne
[16/02/2018] - Preço do bezerro se recupera
[16/02/2018] - Malásia confirma missão de inspeção ao Brasil
[16/02/2018] - Produtores temem apagão do milho em 2018
[16/02/2018] - CVM abre novo inquérito sobre a JBS
[16/02/2018] - Funrural: deputado quer que Temer prorrogue prazo
[16/02/2018] - Crédito rural começa 2018 com força
[15/02/2018] - Arroba: é hora de vender?
[15/02/2018] - Tombo da arroba interrompe reposição no Maranhão
[15/02/2018] - Disputa pelo controle da Itambé continua
[15/02/2018] - Empresa da JBS nos EUA tem alta de 90% no lucro
[15/02/2018] - Briga entre China e EUA pode beneficiar o Brasil?
[14/02/2018] - Arroba: o que esperar desta semana?
[14/02/2018] - Preço da carne despenca no atacado
[14/02/2018] - Reposição: indefinição à espera do boi
[14/02/2018] - China aumenta compras de carne bovina brasileira
[14/02/2018] - Pecuaristas vêem um mercado sob ameaça
[14/02/2018] - Brasil terá mais um grande mercado para a carne
[14/02/2018] - MAPA tenta reabrir outro mercado
[14/02/2018] - Qual a expectativa para o preço do milho?
[09/02/2018] - Arroba do boi reage e começa a subir
[09/02/2018] - Operação Carne Fraca fecha delação premiada
[09/02/2018] - Diretores da JBS são recebidos em Brasília
[09/02/2018] - Senado promete acelerar vetos do Funrural
[09/02/2018] - Brasil deve produzir menos milho em 2018
[09/02/2018] - Processo por naufrágio com bois é encerrado
[09/02/2018] - Vigiagro impede entrada de praga no Brasil
[08/02/2018] - Arroba: leve alta antes do Carnaval
[08/02/2018] - CEPEA: exportações de carne seguem fortes
[08/02/2018] - Produtores temem novos bloqueios às exportações
[08/02/2018] - Exportações de gado começam o ano aquecidas
[08/02/2018] - Raiva bovina: surto no interior de SP
[08/02/2018] - JBS: bancos voltam a negociar dívida
[08/02/2018] - Quadrilha lucrou R$ 400 mil com roubo de gado
[07/02/2018] - Arroba: em ritmo de Carnaval?
[07/02/2018] - A reposição está cara?
[07/02/2018] - Analista prevê melhora para a pecuária
[07/02/2018] - Preço do milho tem pequena recuperação

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br