Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
124,00 113,00 120,00
GO MT RJ
113,00 116,00 118,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1090,00
Garrote 18m 1320,00
Boi Magro 30m 1660,00
Bezerra 12m 830,00
Novilha 18m 1070,00
Vaca Boiadeira 1320,00

Atualizado em: 24/7/2017 10:47

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Como ficará o mercado do leite em 2017?

 
 
 
Publicado em 13/12/2016

O ano de 2016 foi marcado pela alta no preço do leite ao produtor. Até novembro, os valores reais ficaram acima da média registrada em igual período do ano passado. Os dados são da Scot Consultoria.

A menor produção, em especial no primeiro semestre, deu sustentação às cotações, mesmo em um cenário de demanda interna patinando. Já o segundo semestre foi marcado pela pressão de baixa exercida pelos laticínios, devido às quedas fortes de preços dos lácteos no atacado, além da importação em alta, entre outros fatores.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, considerando a média nacional de janeiro a novembro, o produtor recebeu R$1,098 por litro, 5,7% mais que em igual período de 2015, considerando os valores corrigidos pelo IGP-DI.

No primeiro semestre o volume de leite adquirido pelos laticínios com algum tipo de inspeção foi de 11,03 bilhões de litros, segundo Pesquisa Trimestral do Leite, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), volume que representa queda de 6,4% em relação a igual período do ano passado.

Na comparação mês a mês, a produção caiu em todos eles, resultado da queda de investimento e em função do corte de despesas por causa da elevação dos custos de produção e, problemas climáticos em importantes regiões produtoras.

Segundo o Índice Scot Consultoria de Captação, na média nacional, a produção aumentou 2,0% em outubro, em relação a setembro. Para novembro, segundo dados parciais, é esperado crescimento de 0,4% no volume.

Apesar dos incrementos nos últimos meses, de janeiro a novembro, a queda foi de 0,7% na produção nacional, frente a igual período de 2015. Destacando que em 2015, a produção já foi menor que no ano anterior. Ou seja, não existe excesso de leite, com expectativa de este ser o segundo ano consecutivo de queda na produção.

Custos de Produção

Os custos de produção não deram trégua desde junho do ano passado. Somente nos meses de julho, setembro e novembro de 2016, o índice apresentou queda na comparação mensal. Os itens com maior peso neste aumento foram: colaboradores, energia, combustível, além dos alimentos concentrados, com destaque para o milho, e suplementos minerais.

Até novembro os custos subiram 22,0% em relação a igual período de 2015, segundo o Índice Scot Consultoria de Custo de Produção da Pecuária Leiteira. Esta alta dos custos estreitou a margem da atividade. Em 2016, o cenário foi de retranca, com baixos investimentos e cortes de despesas, o que acabou impactando na produção.

Perspectiva

O pico de produção está previsto para dezembro/16 ou janeiro/17 no Brasil Central e bacias leiteiras da região Sudeste. Ou seja, até lá a previsão é de que o incremento da oferta continue pressionando o mercado.

Um ponto importante, segundo analistas, é a produção de leite no Sul diminuindo a partir de novembro, o que deve ajustar em parte a disponibilidade no país.

Para 2017, a expectativa é de mercado mais ofertado que em 2015 e 2016, porém, sem excesso de produção. A expectativa é que a demanda interna tenha uma melhora gradual e isso é favorável para a cotação do leite aos produtores.

Com relação aos custos de produção, a projeção é de uma maior produção de milho na temporada atual e patamares mais baixos de preços. O insumo foi o grande vilão em 2016. O dólar em alta, porém, é um fator de atenção para os produtos importados ou que tem os preços atrelados ao mercado internacional, como o farelo de soja e fertilizantes, por exemplo.

A consultoria destaca, no entento, as importações de lácteos, em particular de leite em pó. Os volumes importados pelo Brasil aumentaram consideravelmente em 2016, com a produção menor no mercado interno e a menor competitividade do produto nacional.

Para 2017, os aumentos de preços do produto no mercado internacional e o dólar mais valorizado podem contribuir para volumes menores de importação.

Segundo analistas, os produtores devem se planejar quanto à compra de insumos. A previsão é de um quadro um pouco melhor para a atividade leiteira em 2017, com recuperação rápida da margem para o produtor, porém, o ano será de cautela para todos os elos do setor. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[24/07/2017] - Sindicalistas ameaçam parar exportações
[24/07/2017] - Segurar o boi é uma boa idéia?
[24/07/2017] - Arroba: pecuarista não aceita pressão
[24/07/2017] - Iraque comprará boi no Brasil
[24/07/2017] - Confinamento deve crescer no RS
[24/07/2017] - Abates caíram quase 18% no MS
[24/07/2017] - JBS diz ter escondido propina com compra de gado

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[24/07/2017] - Justiça bloqueia fundo criado na fusão JBS-Bertin
[24/07/2017] - Batista diz que multa quita sua dívida com o país
[24/07/2017] - Frio derruba produção de leite em MG
[24/07/2017] - Laboratórios já começam a mudar vacina
[24/07/2017] - Colômbia registra o quarto foco de aftosa
[24/07/2017] - Brasil e Colômbia combaterão aftosa na Venezuela
[24/07/2017] - Milho: vendedor segura vendas e preço sobe
[21/07/2017] - Pecuaristas pressionam por redução do ICMS
[21/07/2017] - Arroba: oferta encurta e pressão perde força
[21/07/2017] - Arroba: mercado futuro sinaliza alta
[21/07/2017] - Reposição: queda forte em Minas Gerais
[21/07/2017] - Agro sofrerá duro impacto com medidas de Temer
[21/07/2017] - Marfrig avalia reabrir outra unidade
[21/07/2017] - Maggi: MAPA trabalha para reabrir frigoríficos
[21/07/2017] - Chamado de bandido, Joesley quer processar Temer
[21/07/2017] - Mexicana oferece R$ 6 bi para ficar com a Vigor
[21/07/2017] - Acordo comercial depende da UE, diz ministro
[21/07/2017] - Crise diminui confiança do produtor rural
[21/07/2017] - Cai volume de entregas de adubos
[21/07/2017] - Governo publica medida para disciplinar demarcação
[20/07/2017] - Arroba: oferta está menor e reduz pressão de baixa
[20/07/2017] - Arroba: ofertas de frigoríficos variam
[20/07/2017] - Confinamento deve ter forte queda
[20/07/2017] - Governo vai abrir mercado à UE para evitar embargo
[20/07/2017] - CVM abre novo inquérito para investigar a JBS
[20/07/2017] - Dona da JBS avança na venda da Vigor
[20/07/2017] - Vaca louca vai afetar as exportações dos EUA?
[20/07/2017] - Filipinas seguem EUA e suspendem carne do Brasil
[20/07/2017] - Raiva se espalha e alerta pecuaristas em SP
[20/07/2017] - Onça mata 10 bezerros e 4 cães de pecuarista em GO
[20/07/2017] - Exportações de milho ganham força
[19/07/2017] - Quando a arroba vai se recuperar?
[19/07/2017] - Arroba: pressão de baixa volta a derrubar o boi
[19/07/2017] - Alta das exportações não beneficiou o pecuarista
[19/07/2017] - Abates do MT caem para o menor nível em 7 anos
[19/07/2017] - Justiça desbloqueia R$ 800 mi de Joesley Batista
[19/07/2017] - CPI da JBS não sai do papel
[19/07/2017] - Governo retirará frigoríficos da MP do Funrural
[19/07/2017] - MAPA fará concurso para reforçar fiscalização
[19/07/2017] - Leite: pressão de baixa vai continuar?
[19/07/2017] - EUA registram caso de vaca louca
[18/07/2017] - Exportações de carne começaram julho com força
[18/07/2017] - EUA: Maggi crê em reabertura do mercado em 60 dias
[18/07/2017] - Secretário americano cobra ações do Brasil
[18/07/2017] - Arroba: queda do boi pode estar próxima do fim
[18/07/2017] - Reposição segue devagar no Tocantins
[18/07/2017] - Bancos aceitam prorrogar dívidas da JBS
[18/07/2017] - Agro lidera a geração de empregos em junho
[18/07/2017] - Quem são os interessados em comprar a Vigor?
[18/07/2017] - Fiscais usam exportações para fazer reivindicações

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br