Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
137,00 127,00 130,00
GO MT RJ
122,00 122,00 133,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1160,00
Garrote 18m 1410,00
Boi Magro 30m 1770,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1150,00
Vaca Boiadeira 1370,00

Atualizado em: 25/4/2017 10:23

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Como ficará o mercado do leite em 2017?

 
 
 
Publicado em 13/12/2016

O ano de 2016 foi marcado pela alta no preço do leite ao produtor. Até novembro, os valores reais ficaram acima da média registrada em igual período do ano passado. Os dados são da Scot Consultoria.

A menor produção, em especial no primeiro semestre, deu sustentação às cotações, mesmo em um cenário de demanda interna patinando. Já o segundo semestre foi marcado pela pressão de baixa exercida pelos laticínios, devido às quedas fortes de preços dos lácteos no atacado, além da importação em alta, entre outros fatores.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, considerando a média nacional de janeiro a novembro, o produtor recebeu R$1,098 por litro, 5,7% mais que em igual período de 2015, considerando os valores corrigidos pelo IGP-DI.

No primeiro semestre o volume de leite adquirido pelos laticínios com algum tipo de inspeção foi de 11,03 bilhões de litros, segundo Pesquisa Trimestral do Leite, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), volume que representa queda de 6,4% em relação a igual período do ano passado.

Na comparação mês a mês, a produção caiu em todos eles, resultado da queda de investimento e em função do corte de despesas por causa da elevação dos custos de produção e, problemas climáticos em importantes regiões produtoras.

Segundo o Índice Scot Consultoria de Captação, na média nacional, a produção aumentou 2,0% em outubro, em relação a setembro. Para novembro, segundo dados parciais, é esperado crescimento de 0,4% no volume.

Apesar dos incrementos nos últimos meses, de janeiro a novembro, a queda foi de 0,7% na produção nacional, frente a igual período de 2015. Destacando que em 2015, a produção já foi menor que no ano anterior. Ou seja, não existe excesso de leite, com expectativa de este ser o segundo ano consecutivo de queda na produção.

Custos de Produção

Os custos de produção não deram trégua desde junho do ano passado. Somente nos meses de julho, setembro e novembro de 2016, o índice apresentou queda na comparação mensal. Os itens com maior peso neste aumento foram: colaboradores, energia, combustível, além dos alimentos concentrados, com destaque para o milho, e suplementos minerais.

Até novembro os custos subiram 22,0% em relação a igual período de 2015, segundo o Índice Scot Consultoria de Custo de Produção da Pecuária Leiteira. Esta alta dos custos estreitou a margem da atividade. Em 2016, o cenário foi de retranca, com baixos investimentos e cortes de despesas, o que acabou impactando na produção.

Perspectiva

O pico de produção está previsto para dezembro/16 ou janeiro/17 no Brasil Central e bacias leiteiras da região Sudeste. Ou seja, até lá a previsão é de que o incremento da oferta continue pressionando o mercado.

Um ponto importante, segundo analistas, é a produção de leite no Sul diminuindo a partir de novembro, o que deve ajustar em parte a disponibilidade no país.

Para 2017, a expectativa é de mercado mais ofertado que em 2015 e 2016, porém, sem excesso de produção. A expectativa é que a demanda interna tenha uma melhora gradual e isso é favorável para a cotação do leite aos produtores.

Com relação aos custos de produção, a projeção é de uma maior produção de milho na temporada atual e patamares mais baixos de preços. O insumo foi o grande vilão em 2016. O dólar em alta, porém, é um fator de atenção para os produtos importados ou que tem os preços atrelados ao mercado internacional, como o farelo de soja e fertilizantes, por exemplo.

A consultoria destaca, no entento, as importações de lácteos, em particular de leite em pó. Os volumes importados pelo Brasil aumentaram consideravelmente em 2016, com a produção menor no mercado interno e a menor competitividade do produto nacional.

Para 2017, os aumentos de preços do produto no mercado internacional e o dólar mais valorizado podem contribuir para volumes menores de importação.

Segundo analistas, os produtores devem se planejar quanto à compra de insumos. A previsão é de um quadro um pouco melhor para a atividade leiteira em 2017, com recuperação rápida da margem para o produtor, porém, o ano será de cautela para todos os elos do setor. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[25/04/2017] - Arroba: pior já passou?
[25/04/2017] - Feriados derrubam exportações, preço subiu
[25/04/2017] - Queda das importações prejudica exportação
[25/04/2017] - Quinze países ainda embargam a carne brasileira
[25/04/2017] - Preço do leite dispara no MS
[25/04/2017] - Brasil importou menos lácteos
[25/04/2017] - Leite: falta gordura para produzir manteiga
[25/04/2017] - Redução de imposto não reduz arrecadação

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[24/04/2017] - JBS: quatro unidades não reabriram
[24/04/2017] - Marfrig: certificação Angus acaba em 4 unidades
[24/04/2017] - Arroba: até frigorífico grande está pagando mais
[24/04/2017] - Reposição: procura aumenta
[24/04/2017] - MAPA marca mais viagens para promover carne
[24/04/2017] - MG: pecuarista deve declarar vacina pela internet
[24/04/2017] - Milho: preços sobem
[24/04/2017] - Funrural: Receita ameaça com multa de 225%
[20/04/2017] - Arroba: pecuaristas conseguem preço melhor
[20/04/2017] - Frigoríficos precisam pagar mais para ter boi
[20/04/2017] - Carne volta a subir. E a arroba?
[20/04/2017] - Frigoríficos anunciam reabertura
[20/04/2017] - Superintendente denunciado por favorecer frigo
[20/04/2017] - Frigoríficos retomam promoção de exportações
[20/04/2017] - Produção de carne aumenta nos EUA
[20/04/2017] - Preço do leite subiu: alta vai continuar?
[20/04/2017] - Polícia prende ladrões com gado esquartejado
[19/04/2017] - Arroba: pecuarista não aceita preços atuais
[19/04/2017] - Leite subiu no Rio Grande do Sul
[19/04/2017] - Milho continua em queda
[19/04/2017] - Brasil negocia dobrar comércio com a Rússia
[19/04/2017] - Funrural na pecuária é quase 40% mais caro
[19/04/2017] - No Facebook, Blairo Maggi se defende
[18/04/2017] - Arroba: pecuarista segura venda e arroba sobe
[18/04/2017] - JBS diz que férias coletivas não serão prorrogadas
[18/04/2017] - Associação volta a falar em manipulação da arroba
[18/04/2017] - Embaixador russo diz confiar na carne brasileira
[18/04/2017] - Relação de troca piorou no Paraná
[18/04/2017] - Carne exportada está mais cara, volume pode cair
[18/04/2017] - Movimento quer livrar frigoríficos do Funrural
[18/04/2017] - ONG conclui: pecuária sustentável é inviável hoje
[17/04/2017] - Carne Fraca: um mês depois, pecuarista pagou conta
[17/04/2017] - PF indiciou 63 pessoas por Carne Fraca
[17/04/2017] - Arroba: escalas de abate estão mais curtas
[17/04/2017] - Reposição: arroba ainda assusta o pecuarista
[17/04/2017] - Sindicato exige saída do presidente da CNA
[17/04/2017] - Milho: tendência de queda continua
[13/04/2017] - Arroba: pecuarista segura o boi e preços sobem
[13/04/2017] - CEPEA: arroba dá sinais de volta à normalidade
[13/04/2017] - Vendas aos EUA ajudaram MS a bater recorde
[13/04/2017] - Missão da UE fará inspeção após operação da PF
[13/04/2017] - Carf vê fraude na fusão JBS Bertin
[13/04/2017] - CPI dos Frigoríficos terminou e nada mudou
[13/04/2017] - Produtores se queixam da importação de leite
[13/04/2017] - Itambé muda para permanecer a mesma
[13/04/2017] - Exportações do agro: superavit de US$ 7,3 bilhões
[13/04/2017] - Maggi nega ter recebido dinheiro da Odebrecht
[12/04/2017] - Exportações de carne: alta firme mesmo com PF
[12/04/2017] - MS exportou 57,5% mais carne mesmo com operação
[12/04/2017] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br