Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
141,00 133,00 137,00
GO MT RJ
133,00 130,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1200,00
Garrote 18m 1430,00
Boi Magro 30m 1720,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1130,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 16/10/2017 10:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Técnicas simples e baratas preservam pastagens

 
 
 
Publicado em 09/08/2007
Para garantir longevidade e produtividade de uma pastagem basta a adoção das boas práticas de manejo e evitar ações que danificam a planta e o solo, atesta o pesquisador Armindo Kichel, ressaltando que é mais fácil e menos oneroso evitar a perda de vigor do pasto do que recuperar uma área degradada. Preparar bem o solo, escolher a semente certa, plantar na época apropriada e ajustar a lotação de animais na pastagem são algumas ações simples que evitam uma série de problemas.

Ele explica que a degradação das pastagens é um dos maiores problemas da pecuária brasileira. “É um processo de perda de vigor e produtividade da planta pelo manejo inadequado, super lotação de animais na área, falta de manutenção e reposição de nutrientes no solo dentre outros fatores. Em estágios mais avançados o pasto mostra-se improdutivo, com invasoras, cupins, doenças e erosão”, explica.

Estima-se que dos 100 milhões de pastagens cultivadas no Brasil, 80% apresenta algum grau de degradação e 60% está degradada – perdeu o vigor, a capacidade de produção e qualidade. O problema acontece em áreas de solos fracos e é mais visível no Cerrado brasileiro onde existe a maior área de pastagem cultivada.

Segundo o pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Armindo Kichel, é possível evitar a degradação da pastagem por um custo muito baixo e os itens a serem observados são três, como a escolha da espécie forrageira a ser implantada, que deve procurar uma planta que mostre boa adaptação às condições de solo, clima e potencial para atender às necessidades; cuidados de formação, que implica em conhecer a qualidade das sementes, quantidade a ser utilizada no plantio, distribuição na área e época de plantio e o manejo da pastagem, que deve ocorrer desde sua implantação com o tempo certo para o primeiro pastejo, quantidade de animais na área, freqüência de pastejo, descanso do pasto entre outros cuidados.

A reposição de nutrientes no solo – adubação – é um item que tem custo e vai depender do estado da pastagem. O valor pode variar entre R$ 100 e R$ 600 por hectare, diz o especialista Armindo. É evidente que é vantajoso para o produtor cuidar bem da pastagem desde sua implantação, cuidando de todas as etapas e passos citados acima, caso contrário, o prejuízo é certo não só para o bolso, mas também, e principalmente, o dano ao ambiente. Uma vez o pasto degradado as saídas são: recuperar ou a renovar. Recuperar uma pastagem consiste em restabelecer a produtividade da planta e renovar, significa trocar de pasto introduzindo uma nova espécie. É bom lembrar que as operações em ambos os casos são onerosas.

Um pasto perde o vigor porque foi mal implantado, utilizou-se sementes de baixa qualidade, o solo não foi bem preparado, não recebeu um manejo adequado, introduziram animais além da capacidade de suporte da área e a reposição de nutrientes no solo não foi feita. O manejo de manutenção de uma pastagem é imprescindível e é o que garante a persistência da forrageira. Com informações do Midiamax.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco
[11/10/2017] - Produtor de leite vive momento complicado
[11/10/2017] - Milho volta a subir
[10/10/2017] - Justiça já bloqueou R$ 730 milhões da JBS
[10/10/2017] - PF aponta que irmãos Batista manipularam o mercado
[10/10/2017] - Carne: preço sobe e ensaia recuperação
[10/10/2017] - Exportações: outubro começou com alta de 25%
[10/10/2017] - Arroba: frigoríficos estão testando o pecuarista
[10/10/2017] - Governo do MT não vai prorrogar ICMS menor
[10/10/2017] - Acrimat: ICMS menor estimula concorrência pelo boi
[09/10/2017] - MPF vê risco de quebra da JBS
[09/10/2017] - Pecuaristas ainda preocupados com a crise da JBS
[09/10/2017] - Carne sobe e pode puxar a arroba do boi
[09/10/2017] - Arroba: frigoríficos tentam pressão sobre o boi
[09/10/2017] - Reposição: esperando pela chuva e pela alta do boi
[09/10/2017] - Pecuaristas do Mercosul criticam oferta européia
[06/10/2017] - Juiz bloqueia todos os bens da família Batista
[06/10/2017] - Justiça do MS bloqueia unidades e R$ 115 mi da JBS
[06/10/2017] - JBS reage a bloqueio de bens e dinheiro no MS
[06/10/2017] - Arroba: nem para lá, nem para cá
[06/10/2017] - Brasil abre mais um mercado para carne
[06/10/2017] - Arroba: preço do boi cai em Belo Horizonte
[06/10/2017] - Pecuaristas pedem volta do ICMS menor no MT
[06/10/2017] - Mato Grosso tem receita recorde com a carne bovina
[06/10/2017] - Pecuaristas denunciam fraude no leite uruguaio
[06/10/2017] - Funrural: Receita ignora resolução do Senado
[06/10/2017] - Governo prorroga desconto no ICMS de insumos
[05/10/2017] - BNDES volta a pedir mudanças na JBS
[05/10/2017] - Advogados vão atrás de provas contra os Batista
[05/10/2017] - Arroba: frigoríficos oferecem mais
[05/10/2017] - Arroba: exportações em alta não deixam sobrar boi
[05/10/2017] - Maggi negocia ampliação das vendas à Rússia
[05/10/2017] - Pecuarista joga 1.000 litros de leite fora
[05/10/2017] - Temer nega ter prometido arrendamento de reservas
[04/10/2017] - Arroba: reação dos preços está próxima?
[04/10/2017] - Reposição: relação de troca melhora no Tocantins
[04/10/2017] - Coaf identifica repasse de frigoríficos a político
[04/10/2017] - Coutinho diz que não apoiou monopólio da JBS
[04/10/2017] - PIB do Agro bate recorde histórico no Mato Grosso
[04/10/2017] - UE oferece cota baixa para carne do Mercosul

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br