Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
139,00 131,00 134,00
GO MT RJ
131,00 129,00 134,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1190,00
Garrote 18m 1420,00
Boi Magro 30m 1700,00
Bezerra 12m 890,00
Novilha 18m 1120,00
Vaca Boiadeira 1340,00

Atualizado em: 20/10/2017 10:36

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Venda da Vigor também afeta a Itambé

 
 
 
Publicado em 04/08/2017

O conselho de administração da Lala Foods, maior empresa de lácteos do México, aprovou propor à assembleia geral de acionistas da companhia a aquisição de até 100% das ações da Vigor Alimentos e, direta ou indiretamente, até 100% das ações da Itambé Alimentos, por um valor de R$ 5,725 bilhões, que inclui dívidas.

De acordo com o comunicado divulgado à Bolsa de Valores do México ontem à noite, considerando vendas líquidas da Vigor em 2017 estimadas em R$ 5,024 bilhões e um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 329 milhões, os múltiplos da transação ficaram em 1,1 vez as vendas e em 17,4 vezes o Ebitda.

O contrato de compra e venda assinado pela Lala, JBS e pela J&F, controladora da Vigor, prevê que a empresa mexicana vai adquirir 91,99% das ações da Vigor. Vai comprar ainda a participação de 8% que a Arla Foods International tem na Vigor. Além disso, o negócio contempla a aquisição direta ou indireta, de até 100% das ações da Itambé, o que está "sujeito ao exercício de certos direitos por parte da Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais Ltda. (CCPR)", que tem 50% da Itambé.

Conforme já informou o Valor, o acordo de acionistas entre CCPR e Vigor na Itambé prevê que, em caso de venda da Vigor, a cooperativa central tem a opção de recomprar suas ações vendidas em 2013 - pelo que foi oferecido pela Vigor -, de vender sua participação ou fatia dela ou de permanecer como sócia.

Segundo a Lala, o financiamento da transação incluirá um empréstimo-ponte, seguido de uma combinação de dívida de longo prazo e capital adicional de aproximadamente US$ 550 milhões, dos quais cerca de US$ 315 milhões serão aportados pelos atuais acionistas da companhia mexicana.

A J&F, controlada pelos irmãos Batista, limitou-se a confirmar ontem à noite que firmou contrato "para a alienação da totalidade de sua participação acionária na Vigor Alimentos para o Grupo Lala, por aproximadamente R$ 5,725 bilhões". A holding, que tem 72,3% da Vigor, colocou ativos à venda após a divulgação da delação premiada.

Com a venda da participação de 19,3% que detém na Vigor, a JBS levantará cerca de R$ 780 milhões, segundo comunicado. Esses recursos servirão para honrar um acordo fechado com instituições financeiras no dia 25 de julho.

Conforme a negociação, que teve como objetivo a renegociação de mais de R$ 20 bilhões, a JBS precisa usar 80% dos recursos gerados com a venda de ativos para pagar suas dívidas com bancos. Além disso, esse acordo prevê o pagamento integral dos juros dos contratos de financiamentos com os bancos, além de quatro parcelas de 2,5% do montante principal do endividamento. A primeira parcela se deu no fechamento do acordo e outras ocorrerão em 90, 180 e 270 dias depois.

A Lala Foods contou com assessoria financeira do BTG Pactual, enquanto a J&F contratou os bancos Bradesco BBI e Santander.

No comunicado ontem, o CEO da empresa mexicana, Scot Rank, afirmou que é "um prazer que a Vigor seja a plataforma de crescimento da Lala no Brasil. A Vigor conta com escala, inovação e talento necessário para construir um negócio rentável de produtos lácteos de valor agregado". A Lala destaca ainda que o Brasil é o maior mercado para lácteos na América Latina, "com perspectivas favoráveis a médio e longo prazos".

De acordo com a empresa, as negociações com a Vigor duraram mais de um ano e "as circunstâncias atuais no Brasil permitem um preço razoável de entrada no mercado para uma companhia de alta qualidade".

A empresa mexicana aponta ainda que a aquisição permitirá o crescimento orgânico do negócio atual assim como o avanço para outras regiões. "Além disso, existem sinergias potenciais importantes, tanto nas operações produtivas como nas comerciais".

A expectativa é que a transação tenha uma aprovação rápida pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), já que empresa mexicana não tem negócios no Brasil.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/10/2017] - Pecuarista do MS fica sem ter para quem vender
[20/10/2017] - JBS já vinha reduzindo abates no MS
[20/10/2017] - Disputa pode ter consequências graves para a JBS
[20/10/2017] - Agência reduz nota de crédito da JBS
[20/10/2017] - Arroba: frigoríficos aproveitam ação da JBS
[20/10/2017] - Missão do MAPA ao Uruguai já tem data fechada
[20/10/2017] - Agro demitiu mais que contratou em setembro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/10/2017] - MAPA está menos pessimista com a pecuária
[19/10/2017] - Saída da JBS trava mercado do boi no MS
[19/10/2017] - Pecuaristas não aceitam tombo da arroba no MS
[19/10/2017] - CPI: ação da JBS é estratégia do medo
[19/10/2017] - Protesto de funcionários da JBS reúne 4 mil no MS
[19/10/2017] - Com parada da JBS, pecuaristas pedem ICMS menor
[19/10/2017] - Justiça suspende bloqueio de bens dos Batista
[19/10/2017] - Arroba: parada da JBS afeta mercado do boi em SP
[19/10/2017] - Incerteza trava o mercado do boi
[19/10/2017] - Cade: venda do Mataboi deve ser anulada em 1 mês
[19/10/2017] - Marfrig reinicia abates em mais uma unidade
[19/10/2017] - Exportação de boi tem queda de quase 70%
[19/10/2017] - Leite cada vez mais caro para produzir
[19/10/2017] - Queda do leite deixa produtores com dívidas
[19/10/2017] - Produtores e índios querem trabalhar. E a Funai?
[19/10/2017] - Juízes e fiscais se recusam a aplicar nova lei
[18/10/2017] - JBS suspende abates em todas as unidades do MS
[18/10/2017] - Cade rejeita compra do Mataboi por Júnior Friboi
[18/10/2017] - BNDES pagou caro por ações da JBS, diz TCU
[18/10/2017] - Arroba: mercado do boi está devagar
[18/10/2017] - Polpa cítrica está mais cara
[18/10/2017] - Cade em alerta por concentração em insumos
[17/10/2017] - A verdade sobre a portaria do trabalho escravo
[17/10/2017] - Funcionários da JBS temem demissões em massa
[17/10/2017] - JBS disse que quer vender ações nos EUA em 2018
[17/10/2017] - CVM abre processo contra diretor da JBS
[17/10/2017] - Exportações de carne bovina sinalizam recorde
[17/10/2017] - UE: França vai usar Carne Fraca para barrar acordo
[17/10/2017] - Arroba: mercado trava com ofertas baixas
[17/10/2017] - Reposição sofre com a seca e indefinição da arroba
[17/10/2017] - Maggi: bloqueio ao leite uruguaio é temporário
[17/10/2017] - Produtores pedem maior atenção à pecuária de leite
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br