Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 131,00 142,00
GO MT RJ
140,00 134,00 139,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1300,00
Garrote 18m 1570,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1180,00
Vaca Boiadeira 1330,00

Atualizado em: 18/1/2018 12:21

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Investidores apostam em raça brasileira

 
 
 
Publicado em 12/09/2017

Uma raça de supergalo exclusivamente brasileira atrai cada vez mais investidores. Trata-se do galo Índio Gigante, que pode passar de um metro de comprimento e, nos últimos tempos, virou meme nas redes sociais.

A curiosidade dos internautas, aliás, tem alimentado o surgimento de diversos criadores pelo País. Hoje, existem leilões, exposições e até uma associação de criadores, a Associação Brasileira de Criadores de Aves da Raça Índio Gigante (Abracig). O bicho, aliás, veio ao mundo a partir de cruzamentos de galos caipiras com os de rinha nos idos dos anos 1980.

O criador Haroldo Poliselli, da cidade de Jaguariúna (SP), é o felizardo catalogado na Abracig como o dono do maior galo já registrado na história, o Voodoo, com 1,26m de comprimento (o animal é medido deitado, da unha do pé ao bico). Um galo de tamanho normal mede até 60 centímetros.

O objetivo do criador era melhorar a genética de suas galinhas a partir de cruzamentos - o bicho tende a ficar dois quilos mais forte a partir da mistura de um galo Índio Gigante com galinha caipira. Depois, Poliselli entrou no mercado de elite, buscando aprimorar as características raciais - animais com mais de um metro são geralmente usados para fins ornamentais. Apenas os menores cruzam com as galinhas caipiras.

Ele diz que já obteve o retorno de seu investimento inicial, de R$ 60 mil. "É um mercado de genética, como se a gente vendesse touros", diz.

No último leilão, a média de preço dos animais foi de R$ 8,6 mil e a renda bruta total do evento ficou em R$ 258 mil. "Enquanto a criação de bois e cavalos demora até três anos, a do galo dá renda em seis meses", compara Poliselli, cuja família é de pecuaristas.

O presidente da associação de criadores, Leandro Carvalho, diz que trabalha para passar confiança ao mercado. Há testes de paternidade para comprovar a origem do animal.

"Fazemos um trabalho de alto padrão genético para o animal ter maior valor agregado", diz o líder da Abracig, com 50 produtores.

Um animal médio com origem certificada custa de R$ 3 mil a R$ 4 a mil, mas alguns já foram comercializados em leilões a mais de R$ 30 mil.

Apesar da crise. Compradores da América Latina, França e dos Estados Unidos já procuraram os animais, mas a exportação ainda não está liberada. Não há estimativa da quantidade de animais no País. "Nem todos são registrados, então não dá para saber o número".

O servidor público Sérgio Nicola, de Mococa (SP), é um dos que começou a criar os galos para ter outra renda além da produção de leite. No ramo desde 2014, ele comprou os galos para ter aves melhores. Empolgado, pretende dobrar o plantel de 70 aves até o final do ano e já faz planos ousados de dominação.

"É impressionante, é um segmento que não sentiu a crise", diz. "Vamos deixar o leite e investir somente no Índio Gigante para ter aves de padrão excelente e atingir o topo do mercado". Com informações do portal Estadão.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/12/2017] - Boletim Notícias da Pecuária em férias coletivas
[15/12/2017] - Arroba: frigoríficos correm atrás de boi
[15/12/2017] - Carne sobe e está no maior preço do ano
[15/12/2017] - Exportações de carne podem bater novo recorde
[15/12/2017] - CNA: manutenção de vacina complica vendas aos EUA
[15/12/2017] - Senado aprova Lei do Funrural mas Temer deve vetar
[15/12/2017] - Produtor foi expulso de terras por indígenas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[15/12/2017] - Índios são usados para obter verbas públicas
[15/12/2017] - ARTIGO: Governo é dono de 47% das terras do País
[15/12/2017] - Esvaziada, CPMI da JBS acaba
[14/12/2017] - Arroba: altas são generalizadas
[14/12/2017] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[14/12/2017] - Exportações de carne seguem fortes em dezembro
[14/12/2017] - Exportações de carne do MT batem recorde
[14/12/2017] - Abates cresceram 9% no terceiro trimestre
[14/12/2017] - MAPA cede e facilita importação de trigo russo
[13/12/2017] - Arroba: frigoríficos estão precisando comprar boi
[13/12/2017] - Reposição ganha força com a chegada das chuvas
[13/12/2017] - Exportação de gado subiu quase 32% em 2017
[13/12/2017] - Agência prevê 2018 melhor para os frigoríficos
[13/12/2017] - Mercosul cede, mas UE adia acordo para 2018
[13/12/2017] - Brasil trabalha forte para abrir mercado britânico
[13/12/2017] - Maggi crê que mercado dos EUA será reaberto logo
[13/12/2017] - Argentina ganha espaço entre os exportadores
[13/12/2017] - JBS deverá devolver terreno de frigorífico no MT
[13/12/2017] - Câmara conclui aprovação da Lei do Funrural
[13/12/2017] - Famato pede prorrogação para inscrição no CAR
[13/12/2017] - MST invade fazenda recém-desocupada no Paraná
[12/12/2017] - Exportações de carne bovina: recorde histórico
[12/12/2017] - MAPA vai atender exigências dos russos
[12/12/2017] - Arroba: frigoríficos tentam segurar alta do boi
[12/12/2017] - Produção de carne fica estável no MS
[12/12/2017] - Frigoríficos criticam imposto menor para o boi
[12/12/2017] - Mais um processo contra a JBS e Wesley Batista
[12/12/2017] - UE quer abertura, mas carne bovina ainda é entrave
[11/12/2017] - Operação da PF investiga propina da JBS a fiscal
[11/12/2017] - Arroba continua a subir com firmeza
[11/12/2017] - Carne sobe e melhora perspectiva para o boi
[11/12/2017] - Reposição começa a se agitar no Tocantins
[11/12/2017] - Acordo com a UE pode ser anunciado até o dia 21
[11/12/2017] - Missão oficial de Hong Kong inspeciona frigorífico
[11/12/2017] - Funrural: votação deve acabar amanhã na Câmara
[11/12/2017] - Venda de milho está parada
[08/12/2017] - Arroba: frigoríficos pagam cada vez mais pelo boi
[08/12/2017] - Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem
[08/12/2017] - Reação do mercado agora depende do consumidor
[08/12/2017] - JBS diz que vai recuperar o mercado perdido
[08/12/2017] - BNDES deve vender ações da JBS
[08/12/2017] - JBS mantém planos de vender ações em NY
[08/12/2017] - Venda da Itambé pode parar na Justiça
[08/12/2017] - Governo do MS reduz impostos para laticínios
[08/12/2017] - Preço do farelo de algodão cai com força
[07/12/2017] - Arroba: boi sobe e tem mais espaço para alta
[07/12/2017] - Preço do bezerro sobe com volta das chuvas
[07/12/2017] - Exportações podem fechar ano com forte alta
[07/12/2017] - Ameaça de Trump faz México buscar carne do Brasil
[07/12/2017] - Negociações para reabertura da Rússia vão bem

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br