Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
139,00 131,00 134,00
GO MT RJ
131,00 129,00 134,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1190,00
Garrote 18m 1420,00
Boi Magro 30m 1700,00
Bezerra 12m 890,00
Novilha 18m 1120,00
Vaca Boiadeira 1340,00

Atualizado em: 20/10/2017 10:36

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Advogados vão atrás de provas contra os Batista

 
 
 
Publicado em 05/10/2017

Um trio de advogados de escritórios renomados ganhou recentemente uma rotina pesada nas companhias do grupo J&F. Eles analisam contratos, serviços, contas e registros de toda sorte. Contudo, não fazem parte do extenso batalhão que trabalha na defesa do grupo desde que os irmãos Joesley e Wesley Batista admitiram ao Ministério Público Federal (MPF) pagamento de mais de R$ 1 bilhão em propinas a mais de mil políticos, usando dinheiro das empresas. Eli Loria, do Cantidiano Advogados, o jurista Luiz Armando Badin e José Ricardo de Bastos Martins, do Peixoto & Cury, foram escolhidos pelo MPF para acompanhar o trabalho de investigação interna das empresas sobre as provas fornecidas nos acordos judiciais dos irmãos e da holding.

Em cada uma das empresas do grupo há uma firma de auditoria e um escritório de advocacia especializado dedicados às investigações para averiguar os crimes que os Batista relataram. O resultado esperado é que as informações dos irmãos sejam confirmadas, organizadas e detalhadas. Essas investigações internas devem conseguir especificar os fatos, sua origem e seus responsáveis. E também deixar mais claro quais foram as instituições lesadas. Consultada, a J&F afirmou que não comenta os procedimentos e que o resultado será entregue ao MPF.

As investigações fazem parte do acordo de leniência celebrado pela J&F, que concentrou o ônus financeiro pelos crimes dos administradores e donos do grupo. A holding ficou obrigada a pagar R$ 10,3 bilhões, em 25 anos – R$ 8 bilhões aos órgãos públicos prejudicados e R$ 2,3 bilhões a projetos sociais.

O acordo da holding permitiu a adesão das controladas mediante a realização das investigações (num prazo de 180 dias) e de forma que ficassem resguardadas do ônus financeiro. A JBS aderiu em 6 de setembro e a Eldorado Celulose, 15 dias depois. O compromisso firmado é que o trabalho seja feito por instituições independentes e acompanhado pelo MPF.

No caso específico da JBS, o levantamento – feito para atender à Justiça – terá grande valor para o BNDES, que defende a apuração da responsabilidade pelos fatos narrados para que os irmãos, se necessário, indenizem a JBS. A família Batista tem 42% do frigorífico e o BNDESPar, cerca de 25% (somada a fatia da Caixa Econômica Federal).

O artigo 159 da Lei das Sociedades por Ações prevê ressarcimento à companhia por administradores que cometam irregularidades que causem prejuízo aos negócios. O artigo 246 determina ainda que o controlador deve reparar danos que causar quando faltar com seus deveres e responsabilidades e quando abusar de seu poder. É considerada uma modalidade abusiva de poder quando o dono levar a companhia a lesar o interesse nacional ou induzir os administradores a atos ilegais.

Na JBS, os Batista acumulavam as posições: além de donos, os irmãos eram administradores e ocupavam a presidência-executiva e do conselho de administração.

Os processos de indenização devem ser movidos pelas próprias companhias, quando aprovados em assembleia, mas podem também ser abertos por acionistas com fatia acima de 5% do capital. O BNDESPar já solicitou assembleia para avaliar a matéria. Entretanto, uma discussão sobre se a J&F está ou não em conflito de interesses para votar tal pauta paralisou a realização do encontro. O embate foi levado à arbitragem. Os lados já escolheram seus árbitros. Pela J&F estará Luiz Alberto Rosman e pelo BNDES, a ex-diretora da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Norma Parente, segundo apurou o Valor. Agora, juntos devem escolher quem presidirá o tribunal.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/10/2017] - Pecuarista do MS fica sem ter para quem vender
[20/10/2017] - JBS já vinha reduzindo abates no MS
[20/10/2017] - Disputa pode ter consequências graves para a JBS
[20/10/2017] - Agência reduz nota de crédito da JBS
[20/10/2017] - Arroba: frigoríficos aproveitam ação da JBS
[20/10/2017] - Missão do MAPA ao Uruguai já tem data fechada
[20/10/2017] - Agro demitiu mais que contratou em setembro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/10/2017] - MAPA está menos pessimista com a pecuária
[19/10/2017] - Saída da JBS trava mercado do boi no MS
[19/10/2017] - Pecuaristas não aceitam tombo da arroba no MS
[19/10/2017] - CPI: ação da JBS é estratégia do medo
[19/10/2017] - Protesto de funcionários da JBS reúne 4 mil no MS
[19/10/2017] - Com parada da JBS, pecuaristas pedem ICMS menor
[19/10/2017] - Justiça suspende bloqueio de bens dos Batista
[19/10/2017] - Arroba: parada da JBS afeta mercado do boi em SP
[19/10/2017] - Incerteza trava o mercado do boi
[19/10/2017] - Cade: venda do Mataboi deve ser anulada em 1 mês
[19/10/2017] - Marfrig reinicia abates em mais uma unidade
[19/10/2017] - Exportação de boi tem queda de quase 70%
[19/10/2017] - Leite cada vez mais caro para produzir
[19/10/2017] - Queda do leite deixa produtores com dívidas
[19/10/2017] - Produtores e índios querem trabalhar. E a Funai?
[19/10/2017] - Juízes e fiscais se recusam a aplicar nova lei
[18/10/2017] - JBS suspende abates em todas as unidades do MS
[18/10/2017] - Cade rejeita compra do Mataboi por Júnior Friboi
[18/10/2017] - BNDES pagou caro por ações da JBS, diz TCU
[18/10/2017] - Arroba: mercado do boi está devagar
[18/10/2017] - Polpa cítrica está mais cara
[18/10/2017] - Cade em alerta por concentração em insumos
[17/10/2017] - A verdade sobre a portaria do trabalho escravo
[17/10/2017] - Funcionários da JBS temem demissões em massa
[17/10/2017] - JBS disse que quer vender ações nos EUA em 2018
[17/10/2017] - CVM abre processo contra diretor da JBS
[17/10/2017] - Exportações de carne bovina sinalizam recorde
[17/10/2017] - UE: França vai usar Carne Fraca para barrar acordo
[17/10/2017] - Arroba: mercado trava com ofertas baixas
[17/10/2017] - Reposição sofre com a seca e indefinição da arroba
[17/10/2017] - Maggi: bloqueio ao leite uruguaio é temporário
[17/10/2017] - Produtores pedem maior atenção à pecuária de leite
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br