Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
139,00 131,00 134,00
GO MT RJ
131,00 129,00 134,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1190,00
Garrote 18m 1420,00
Boi Magro 30m 1700,00
Bezerra 12m 890,00
Novilha 18m 1120,00
Vaca Boiadeira 1340,00

Atualizado em: 20/10/2017 10:36

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Exportações: outubro começou com alta de 25%

 
 
 
Publicado em 10/10/2017

A forte retomada das exportações brasileiras de carne bovina no terceiro trimestre fez o país se recuperar dos estragos da primeira metade do ano, quando foi prejudicado pela Operação Carne Fraca.

Após o bom desempenho dos embarques em setembro, o volume exportado nos primeiros nove meses registrou avanço de 1,8%. Até agosto, as exportações ainda acumulavam leve queda na comparação com o mesmo período de 2016.

A tendência é que o ritmo dos embarques siga aquecido também no quarto trimestre, o que pode fazer com que as exportações cresçam 5% em 2017, de acordo com o sócio de pecuária da Agroconsult, Maurício Nogueira. Os indícios de outubro são positivos. Na primeira semana deste mês, a média diária dos embarques alcançou 5,3 mil toneladas, 25,8% mais que a média de outubro do ano anterior.

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), os frigoríficos do país exportaram 135,5 mil toneladas de carne bovina (in natura, industrializada, miúdos, tripas e salgadas) em setembro, crescimento de 17% na comparação com o mesmo período de 2016. Entre janeiro e setembro, os embarques totalizaram 1,061 milhão de toneladas, ante as 1,042 milhão de toneladas dos primeiros nove meses do ano passado.

Em receita, o desempenho já era positivo há mais tempo, graças aos preços mais altos da carne exportada pelos frigoríficos do país. No mês passado, os exportadores obtiveram US$ 556 milhões com as vendas de carne bovina ao exterior, avanço de 17,4% na comparação anual. Com isso, o desempenho no acumulado do ano alcançou US$ 4,3 bilhões, 6,6% mais do que no mesmo intervalo do ano passado, segundo a Abiec.

Com a maior parte de suas compras destinadas ao mercado chinês, Hong Kong é o maior comprador do produto brasileiro. Entre janeiro e setembro, a cidade-Estado comprou 246,9 mil toneladas de carne bovina do Brasil, desembolsando US$ 938 milhões. Sendo assim, representou 23% do volume vendido pelo Brasil e 21,6% da receita auferida. Na comparação com o ano passado, as importações de Hong Kong significam um aumento de 21% em receita e de 12% em volume.

Na segunda posição entre os principais clientes dos frigoríficos brasileiros, aparece a China. No acumulado do ano, os chineses gastaram US$ 629,8 milhões para importar 146,5 mil toneladas de carne bovina. Com isso, as vendas à China aumentaram 32% em volume e 33% em receita. Juntos, Hong Kong e China representam 37% da carne bovina exportada pelos frigoríficos brasileiros.

Terceiro principal importador, a Rússia desembolsou US$ 375,1 milhões para importar 116,8 mil toneladas, aumento de 12% em volume e de 26% em receita na comparação anual. Com poucas opções para abastecer seu mercado devido às sanções desde a crise geopolítica da Crimeia, a Rússia foi um dos poucos clientes importantes que não embargou temporariamente a carne brasileira após a Carne Fraca.

Entre os dez maiores importadores da carne bovina brasileira, somente Egito, União Europeia e Chile reduziram as compras do produto brasileiro. No acumulado do ano até setembro, os egípcios importaram 104,6 mil toneladas, queda de 35,7% na comparação com as 162,7 mil toneladas de igual período do ano anterior, segundo a Abiec. Na mesma base de comparação, as exportações para o bloco europeu caíram 13,6% -a 75,7 mil toneladas -, ao passo que aos chilenos diminuíram 17,8%, para 43,9 mil toneladas. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/10/2017] - Pecuarista do MS fica sem ter para quem vender
[20/10/2017] - JBS já vinha reduzindo abates no MS
[20/10/2017] - Disputa pode ter consequências graves para a JBS
[20/10/2017] - Agência reduz nota de crédito da JBS
[20/10/2017] - Arroba: frigoríficos aproveitam ação da JBS
[20/10/2017] - Missão do MAPA ao Uruguai já tem data fechada
[20/10/2017] - Agro demitiu mais que contratou em setembro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/10/2017] - MAPA está menos pessimista com a pecuária
[19/10/2017] - Saída da JBS trava mercado do boi no MS
[19/10/2017] - Pecuaristas não aceitam tombo da arroba no MS
[19/10/2017] - CPI: ação da JBS é estratégia do medo
[19/10/2017] - Protesto de funcionários da JBS reúne 4 mil no MS
[19/10/2017] - Com parada da JBS, pecuaristas pedem ICMS menor
[19/10/2017] - Justiça suspende bloqueio de bens dos Batista
[19/10/2017] - Arroba: parada da JBS afeta mercado do boi em SP
[19/10/2017] - Incerteza trava o mercado do boi
[19/10/2017] - Cade: venda do Mataboi deve ser anulada em 1 mês
[19/10/2017] - Marfrig reinicia abates em mais uma unidade
[19/10/2017] - Exportação de boi tem queda de quase 70%
[19/10/2017] - Leite cada vez mais caro para produzir
[19/10/2017] - Queda do leite deixa produtores com dívidas
[19/10/2017] - Produtores e índios querem trabalhar. E a Funai?
[19/10/2017] - Juízes e fiscais se recusam a aplicar nova lei
[18/10/2017] - JBS suspende abates em todas as unidades do MS
[18/10/2017] - Cade rejeita compra do Mataboi por Júnior Friboi
[18/10/2017] - BNDES pagou caro por ações da JBS, diz TCU
[18/10/2017] - Arroba: mercado do boi está devagar
[18/10/2017] - Polpa cítrica está mais cara
[18/10/2017] - Cade em alerta por concentração em insumos
[17/10/2017] - A verdade sobre a portaria do trabalho escravo
[17/10/2017] - Funcionários da JBS temem demissões em massa
[17/10/2017] - JBS disse que quer vender ações nos EUA em 2018
[17/10/2017] - CVM abre processo contra diretor da JBS
[17/10/2017] - Exportações de carne bovina sinalizam recorde
[17/10/2017] - UE: França vai usar Carne Fraca para barrar acordo
[17/10/2017] - Arroba: mercado trava com ofertas baixas
[17/10/2017] - Reposição sofre com a seca e indefinição da arroba
[17/10/2017] - Maggi: bloqueio ao leite uruguaio é temporário
[17/10/2017] - Produtores pedem maior atenção à pecuária de leite
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br