Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
139,00 129,00 135,00
GO MT RJ
130,00 127,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1270,00
Garrote 18m 1530,00
Boi Magro 30m 1860,00
Bezerra 12m 940,00
Novilha 18m 1160,00
Vaca Boiadeira 1320,00

Atualizado em: 17/11/2017 10:35

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Dono da JBS se diz perseguido e fica em silêncio

 
 
 
Publicado em 08/11/2017

O empresário Wesley Batista, um dos sócios do grupo J&F, controlador da JBS, afirmou, nesta quarta-feira, que delatores como ele "estão sendo punidos e perseguidos pelas verdades que disseram". Ele alegou estar preso injustificadamente, sofrendo de solidão e medo.

Convocado a depor na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, ele fez uma breve fala na abertura da sessão, mas adiantou que ficará em silêncio, já que um complemento de sua colaboração premiada está sob análise da Procuradoria-Geral da República (PGR). Ele está detido na superintendência da Polícia Federal (PF), em São Paulo, pela prática de "insider trading" - utilização de informações privilegiadas para obter lucro no mercado financeiro.

O irmão de Joesley Batista disse, ainda, que seu acordo de delação é "o mais eficaz que se viu até agora no país". "Não tínhamos noção do quanto isso afetaria a nossa vida, a de nossa família e a de nossos filhos. Foi um processo de profunda transformação pessoal e empresarial."

Wesley disse que, por orientação exclusiva de seus advogados, não responderá as perguntas dos parlamentares, mas uma questão de ordem foi aprovada para que ele permaneça ouvindo os congressistas até o fim da sessão, ainda que em silêncio.

"Tendo em vista a complementariedade da minha delação ainda sob análise da PGR, um eventual depoimento sem autorização expressa do Ministério Público Federal poderia estar colocando em risco meu acordo e prejudicar minha situação", justificou-se. "Estou preso por um crime que jamais cometi, pois jamais descumpri meu acordo de colaboração. Mas, tão logo essa situação seja resolvida, eu me comprometo a prestar todos e quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários."

Diante de questionamentos apresentados por parlamentares na comissão, Wesley insistiu que permanecerá calado, seguindo seu direito constitucional. Ele reclamou, porém, que delatores como ele estão sendo "punidos e perseguidos pelas verdades que disseram".

O presidente da CPMI, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), chegou a propor uma sessão fechada para que Wesley fizesse depoimento, mas a defesa do empresário negou o pedido. Diante da negativa, Oliveira afirmou que Wesley, mesmo em silêncio, deveria permanecer na sessão e ouvir a todas as perguntas dos parlamentares. "Não vou proibir que algum parlamentar se manifeste. Não há jurisprudência para coibir nossos parlamentares", disse o presidente da comissão. "É constitucional o direito de permanecer calado, mas é nosso direito fazer perguntas."

Os parlamentares lembraram o episódio, na semana passada, em que o ex-diretor de Relações Institucionais do grupo J&F Ricardo Saud frustrou a expectativa da comissão ao permanecer em silêncio durante as mais de duas horas e meia de reunião. O ex-executivo havia deixado a penitenciária da Papuda para participar da comissão e, em uma de suas poucas falas, ele disse que, na primeira vez em que sentou para falar a verdade, foi preso. Portanto, permaneceria calado. Agora, disse Ataídes, não cabe esse discurso de que quem fala a verdade vai preso. "A verdade liberta; não prende", disse.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[17/11/2017] - Arroba: mercado está movimentado
[17/11/2017] - Reposição começa a se novimentar
[17/11/2017] - Frigol reabre unidade em Goiás
[17/11/2017] - Marfrig quer avançar mais sobre o mercado da JBS
[17/11/2017] - JBS já levantou R$ 6 bi com vendas de ativos
[17/11/2017] - Polícia recupera carga milionária de sêmen
[17/11/2017] - Milho: produção deve cair em 2018

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/11/2017] - Arroba: mercado firma e pode subir mais
[16/11/2017] - Arroba: frigoríficos pagam bem acima da referência
[16/11/2017] - Rússia ameaça barrar importações de carnes
[16/11/2017] - Marfrig parcela dívida bilionária no Refis
[16/11/2017] - Funrural: mudanças na MP beneficiam frigoríficos
[16/11/2017] - Produtores expulsam índios invasores no Paraná
[16/11/2017] - Farelo de soja: dólar parou de subir
[16/11/2017] - MAPA ainda prevê queda para o PIB da Pecuária
[14/11/2017] - Confinamento surpreende e sobe 12% no MT
[14/11/2017] - Arroba: mercado firme com alta na demanda
[14/11/2017] - Minerva prevê dois anos favoráveis aos frigos
[14/11/2017] - Delação derrubou as vendas da JBS no Brasil
[14/11/2017] - Marfrig tem prejuízo de R$ 58,4 milhões
[14/11/2017] - China já representa quase 40% das exportações
[14/11/2017] - Leite: margens devem continuar apertadas
[14/11/2017] - CCPR tem até o final do mês para pagar pela Itambé
[14/11/2017] - Confiança da pecuária sobe e puxa índice do Agro
[14/11/2017] - Reforma Trabalhista já está valendo
[14/11/2017] - Empregado rural perde e deve pagar R$ 8,5 mil
[13/11/2017] - Arroba volta a subir
[13/11/2017] - Carne segue em alta no varejo
[13/11/2017] - Reposição começa a subir em Rondônia
[13/11/2017] - Turquia aumenta compras de boi em pé do Brasil
[13/11/2017] - Minerva retoma abates em unidade reaberta
[13/11/2017] - JBS: incertezas quanto ao futuro continuam
[13/11/2017] - MAPA acompanha risco de quebra da JBS
[13/11/2017] - JBS nega que esteja em dificuldades
[13/11/2017] - Para evitar embargo, Brasil libera trigo russo
[13/11/2017] - Exportações puxam para cima o preço do milho
[13/11/2017] - Empréstimo público pode pagar compra da Itambé
[13/11/2017] - Leite: uma maneira simples de aumentar a produção
[10/11/2017] - Arroba começa a subir com alta da carne
[10/11/2017] - Vendas de carne começam a melhorar
[10/11/2017] - Agro brasileiro exportou R$ 8 bi em um mês
[10/11/2017] - Lucro do Minerva tem alta de 81%
[10/11/2017] - Deputados protestam contra destruição de fazenda
[10/11/2017] - Mercosul: Brasil pode igualar exigência sanitária
[09/11/2017] - Mercado futuro indica alta para a arroba do boi
[09/11/2017] - Arroba não acompanhou alta das exportações
[09/11/2017] - Arroba sobe em algumas praças
[09/11/2017] - Reposição: chuvas devem puxar demanda
[09/11/2017] - Porte de arma no campo é aprovado em comissão
[08/11/2017] - Arroba: pressão de baixa está perdendo força
[08/11/2017] - Hong Kong e China puxam exportações de carne
[08/11/2017] - Exportações de boi em pé aumentaram 200%
[08/11/2017] - Dono da JBS se diz perseguido e fica em silêncio
[08/11/2017] - Criadores de Angus são contra retirada de vacina
[08/11/2017] - MP do Funrural é aprovada, apesar do PT
[08/11/2017] - UE cita corrupção para inspecionar carne do Brasil
[07/11/2017] - Arroba: cenários diferentes para o boi

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br