Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
142,00 131,00 133,00
GO MT RJ
132,00 132,00 133,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1290,00
Garrote 18m 1550,00
Boi Magro 30m 1910,00
Bezerra 12m 990,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 20/4/2018 11:25

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem

 
 
 
Publicado em 08/12/2017

Após dois anos decepcionantes, o Natal voltará a ser comemorado pelas empresas de carnes do país. Embaladas pelo ambiente econômico favorável, as vendas de produtos comemorativos - carne de peru e frango especial, sobretudo - podem crescer mais de 5% neste ano, além de proporcionarem maior rentabilidade.

Também o churrasco, que é feito principalmente com cortes de carne bovina, deve ganhar espaço nas festas de fim de ano. Em 2017, as festas cairão em uma segunda-feira, o que pode fazer as comemorações se estenderem por três dias, desde o sábado. Nesse cenário, a catarinense Aurora estima que as vendas de produtos típicos de churrasco cresçam de 5% a 8%.

"Os dados da campanha [natalina] que temos até agora são muito positivos", afirmou ao Valor o vice-presidente Brasil da BRF, Alexandre Almeida. Dona das marcas Sadia e Perdigão, a BRF lidera a produção de aves e de suínos no país. Em todo o país, as vendas de carnes comemorativas movimentam mais de R$ 700 milhões por ano, segundo estimativas do setor.

A avaliação positiva sobre o Natal é compartilhada pela Seara, subsidiária da JBS. "Está surpreendendo. Quando fizemos [o planejamento], até pensava-se que o mercado não pudesse ter recuperação. Mas a recuperação está bastante expressiva", disse ontem, em encontro com analistas, o executivo-chefe de operações da JBS, Gilberto Tomazoni.

No Grupo Pão de Açúcar (GPA), segunda maior varejista de alimentos do Brasil, a expectativa é que as vendas das carnes consumidas nas ceias de Natal e Ano Novo aumentem 7%, em volume. Para tanto, a rede reforçou o estoque de natalinos.

Perguntado, o executivo da BRF não quis revelar o crescimento esperado nas vendas de comemorativos, mas sinalizou que as projeções das redes varejistas estão em linha com a expectativa da companhia. "Procuramos estar bem próximos do varejo para calibrar muito bem a oferta que é feita", argumentou.

De acordo com o vice-presidente da BRF, o "prenúncio" de que o consumo nas festas de fim de ano seria forte ocorreu em setembro, quando a companhia iniciou as vendas de kits comemorativos para empresas. "Fechamos setembro com quase 1 milhão de kits vendidos", revelou o executivo. No mesmo intervalo do último ano, as vendas somaram somente 300 mil kits, conforme Almeida.

Diante do ritmo aquecido, a BRF atingiu o volume comercializado de 2016 já na primeira semana de novembro. Ao todo, a companhia prevê fechar o ano com vendas de 2,6 milhões de kits comemorativos, incremento de 8% na comparação com os 2,4 milhões do último ano.

Ao todo, o BRF prevê comercializar 11 mil toneladas de itens comemorativos por meio de kits, em uma operação de guerra. Em apenas 20 dias, a dona de Sadia e Perdigão faz mais de 50 mil entregas. Para o tamanho da companhia, que fatura mais de R$ 40 bilhões por ano no mundo, o volume de kits vendidos não é pequeno, e responde por mais de 20% das vendas dos produtos natalinos da BRF. Neste ano, as vendas de carnes comemorativas para o varejo devem atingir 37 mil toneladas.

Embora menos otimista do que o GPA e a BRF, a cooperativa catarinense Aurora, que é uma das maiores processadoras de carnes do Brasil, também considera que as festas de fim de ano serão positivas, com aumento de 3% a 5% nas vendas de carnes natalinas. "Para o momento, é excelente", afirmou o diretor comercial da Aurora, Leomar Somensi, sem deixar de lembrar do "péssimo" desempenho do ano passado, quando a cooperativa foi muito afetada pelo consumo fraco no Brasil.

Afora a recuperação do consumo no mercado doméstico, os frigoríficos de aves e suínos também contam com preços mais comportados do milho. Em 2016, a quebra da safra brasileira de inverno espremeu as margens do segmento, o que fez a BRF amargar o primeiro prejuízo da história. Neste ano, porém, a recomposição da oferta de grãos no Brasil fez os preços do milho caírem, em média, 31,8%, segundo indicador Esalq/BM&FBovespa.

Ao permitir a recomposição da rentabilidade da indústria, o milho mais barato também representou estímulo ao consumidor neste fim de ano. "A situação está equilibrada sem necessariamente aumentar os preços", afirmou Almeida, da BRF. Na Aurora, o mesmo aconteceu. "Os preços ficaram mais ou menos nos mesmos patamares de 2016", apontou Somensi. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/04/2018] - Carne bovina sobe depois de dois meses
[20/04/2018] - O embargo europeu vai afetar o preço do boi?
[20/04/2018] - Maggi: embargo não é o fim do mundo
[20/04/2018] - Quais são os frigoríficos embargados pela UE?
[20/04/2018] - BRF dá férias coletivas a mais 2 mil funcionários
[20/04/2018] - Arroba: para onde vão os preços?
[20/04/2018] - Incerteza no boi trava a reposição
[20/04/2018] - Proibição do transporte de gado vai à Justiça
[20/04/2018] - JBS: provas expõem a compra de políticos

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[19/04/2018] - UE oficializa embargo ao frango brasileiro
[19/04/2018] - Embargo da UE: demissões no Brasil
[19/04/2018] - Arroba: o que segura o boi é a exportação
[19/04/2018] - Arroba: mercado em tendência de baixa
[19/04/2018] - Exportação de bois cresceu quase 20%
[19/04/2018] - Prefeitura proíbe transporte de bois em Santos
[19/04/2018] - Para onde vai a reposição?
[19/04/2018] - Está mais caro produzir leite
[19/04/2018] - JBS: Batistas não poderão votar em ações contra si
[19/04/2018] - Funrural: setor pressiona por fim das dívidas
[18/04/2018] - Brasil exportará volume histórico de carne bovina
[18/04/2018] - MAPA anuncia novos mercados para a carne do Brasil
[18/04/2018] - Exportações do MT têm melhor trimestre em 4 anos
[18/04/2018] - Arroba: mercado perde força
[18/04/2018] - Aumenta a procura por animais de reposição
[18/04/2018] - Leite: consumo está melhorando
[18/04/2018] - Índia libera a importação de embriões do Brasil
[18/04/2018] - MAPA vai à OMC contra embargo da UE à BRF
[18/04/2018] - Preço do frango volta ao fundo do poço
[18/04/2018] - Preço do milho volta a subir no RS
[17/04/2018] - Terras para pastagem devem se valorizar
[17/04/2018] - Arroba: frigoríficos querem pagar menos
[17/04/2018] - Exportações de carne perderam ritmo em abril
[17/04/2018] - Frigoríficos estão mantendo a margem de lucro
[17/04/2018] - UE deve embargar 15 unidades da BRF
[17/04/2018] - Produtores se unem por internet de qualidade
[16/04/2018] - Época: caso JBS é escandaloso
[16/04/2018] - Como o embargo à BRF pode derrubar a arroba do boi
[16/04/2018] - Arroba: mercado está travado
[16/04/2018] - Minerva: frigoríficos devem reduzir abates
[16/04/2018] - Produtores de milho saem do mercado
[13/04/2018] - Aftosa ressurge na Colômbia e preocupa o Brasil
[13/04/2018] - China compra quase 50% das exportações de carne
[13/04/2018] - Arroba: preços podem cair ainda mais
[13/04/2018] - Início do mês não puxou as vendas de carne bovina
[13/04/2018] - Farelo de soja caro pode afetar o confinamento
[13/04/2018] - Brasil ameaça retaliar se UE embargar carne
[13/04/2018] - Produtor rural é morto durante assalto a fazenda
[13/04/2018] - Quadrilha é presa em flagrante por furto de gado
[12/04/2018] - Pecuaristas do Paraná já falam em investir
[12/04/2018] - Arroba: pressão de baixa aumenta
[12/04/2018] - Cautela domina o mercado do boi
[12/04/2018] - Mais um frigorífico entra em recuperação judicial
[12/04/2018] - Laticínios preferem comprar de grandes produtores
[12/04/2018] - Embargo à BRF pode respingar na carne bovina
[12/04/2018] - Aftosa: governo quer controlar fundos estaduais
[12/04/2018] - Governo desiste de mudar critérios para o leite
[11/04/2018] - Aumenta a competição pelo boi gordo
[11/04/2018] - Negócio bilionário do Marfrig pode não ser tão bom
[11/04/2018] - Arroba: quem vai ganhar a queda de braço?

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br