Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
146,00 131,00 141,00
GO MT RJ
138,00 134,00 140,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1310,00
Garrote 18m 1580,00
Boi Magro 30m 1990,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1180,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 22/1/2018 09:11

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Produtor foi expulso de terras por indígenas

 
 
 
Publicado em 15/12/2017

Há cinco anos, o produtor rural José Alves de Souza foi expulso de sua propriedade em Mato Grosso, quando as terras foram invadidas por índios. Com menos de um mês para deixar a área, o pecuarista viu-se obrigado a deixar o rebanho na estrada e depois mudar para Goiás, onde mora hoje.

“Eles mataram meu gado! Tive vaca morta lá, mas isso eu não levo em consideração porque eu vi a situação deles: estavam passando fome. O que eu fiquei indignado foi com o que fizeram conosco. Retiraram a gente sem ter direito a nada. Em apenas 28 dias tive que pôr o gado na estrada, porque não tinha nem pra onde levar”, relembra Souza.

Se a saída de Mato Grosso foi difícil, sobreviver em Goiás também não tem sido fácil para Souza. “Fico indignado, porque hoje estou vendendo leite a R$ 0,80”, diz. O produtor também reclama da falta de incentivo por parte do governo. “Não tem nada pra ajudar a gente, só tem coisas pra gente pagar. Tudo mais caro. E aí, como a gente vai fazer? A esperança é de que um dia isso mude”, desabafa.

Disputa por terra

Dados da Fundação Nacional do Índio (Funai) mostram que há mais de 460 terras indígenas regularizadas, que representam cerca de 12% do território brasileiro. Mesmo assim, muitas que ainda não foram demarcadas estão sendo invadidas por indígenas. Diante desse impasse, a Comissão de Agricultura da Câmara promoveu uma audiência pública com o objetivo de ouvir as reclamações de todos os envolvidos e colher dados que possam subsidiar na solução do problema.

O deputado federal Sérgio Souza, que preside a comissão, diz que o agricultor quer produzir com a garantia legal que a Constituição lhe dá. “Nós temos uma celeuma do que é terra indígena e do que é terra do produtor, que já foi decidido quando constituído, em 1988, o direito à garantia a propriedade”, defende. Ele ressalta que, se era terra de produtor, com título de propriedade, deve-se respeitar esse direito.

Hoje os municípios mais atingidos com esta situação são Terra Roxa e Guaíra, no Paraná. Por conta disso, diversos protestos têm sido feitos por produtores contra as demarcações de terras indígenas na região.

O prefeito de Terra Roxa. Altair Donizete de Pádua, demonstrou insatisfação com as entidades governamentais que não compareceram à audiência. “Um voto de repúdio às entidades federativas, como a Funai, que o presidente não compareceu, um representante do Ministério Público, do Ministério da Justiça. Essas pessoas não estiveram presentes para esse debate. A gente não está aqui passeando, andamos 3 mil quilômetros pra trabalhar, para buscar nossos interesses, nossa propriedade”, dispara.

O assistente técnico da Diretoria de Proteção Territorial da Funai, Luciano Alves Pequeno, esteve na reunião e disse que a fundação está buscando soluções para o conflito. “A Funai hoje tem mais de 400 pedidos de reconhecimento fundiário por terras indígenas e mais cem que já tem GTs, que são as áreas em estudo. É um trabalho volumoso com o corpo de servidores reduzidíssimo e um orçamento curto, mas estamos nos esforçando para dar conta das suas atribuições definidas e cumprir a legislação”, afirma.

Outro caso

A fazenda da família da advogada Luana Ruiz de Figueiredo, em Mato Grosso do Sul, foi invadida em 1998. Ela diz que a demarcação de terras tem que ser feita, mas lembra que invasão de propriedade é crime.

Segundo Luana, o conflito foi orquestrado. “A área foi adquirida por meu avô na década de 1930. E de lá até 1998 nós nunca tivemos empecilho, muito pelo contrário. Com a interferência do Conselho Indigenista Missionário e depois com essa nova política indigenista engajada é que surge solo fértil pro conflito; e nós estamos vivendo essa realidade”, diz. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/01/2018] - Arroba: frigoríficos pressionam o pecuarista
[22/01/2018] - Carne: mercado ainda não está bom
[22/01/2018] - Exportações de carne batem recorde no Mato Grosso
[22/01/2018] - Alckmin veta a absurda Segunda sem Carne
[22/01/2018] - Abates subiram no MT em 2017
[22/01/2018] - Quadrilha usa violência para roubar gado
[22/01/2018] - O Funrural vai mudar a arroba do boi?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/01/2018] - Sem terra invadem fazendas em protesto por Lula
[22/01/2018] - Embrapa vive crise com folha de pagamento inchada
[22/01/2018] - Sem crédito, produtor recorre ao consórcio
[15/12/2017] - Arroba: frigoríficos correm atrás de boi
[15/12/2017] - Carne sobe e está no maior preço do ano
[15/12/2017] - Exportações de carne podem bater novo recorde
[15/12/2017] - CNA: manutenção de vacina complica vendas aos EUA
[15/12/2017] - Senado aprova Lei do Funrural mas Temer deve vetar
[15/12/2017] - Produtor foi expulso de terras por indígenas
[15/12/2017] - Índios são usados para obter verbas públicas
[15/12/2017] - ARTIGO: Governo é dono de 47% das terras do País
[15/12/2017] - Esvaziada, CPMI da JBS acaba
[14/12/2017] - Arroba: altas são generalizadas
[14/12/2017] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[14/12/2017] - Exportações de carne seguem fortes em dezembro
[14/12/2017] - Exportações de carne do MT batem recorde
[14/12/2017] - Abates cresceram 9% no terceiro trimestre
[14/12/2017] - MAPA cede e facilita importação de trigo russo
[13/12/2017] - Arroba: frigoríficos estão precisando comprar boi
[13/12/2017] - Reposição ganha força com a chegada das chuvas
[13/12/2017] - Exportação de gado subiu quase 32% em 2017
[13/12/2017] - Agência prevê 2018 melhor para os frigoríficos
[13/12/2017] - Mercosul cede, mas UE adia acordo para 2018
[13/12/2017] - Brasil trabalha forte para abrir mercado britânico
[13/12/2017] - Maggi crê que mercado dos EUA será reaberto logo
[13/12/2017] - Argentina ganha espaço entre os exportadores
[13/12/2017] - JBS deverá devolver terreno de frigorífico no MT
[13/12/2017] - Câmara conclui aprovação da Lei do Funrural
[13/12/2017] - Famato pede prorrogação para inscrição no CAR
[13/12/2017] - MST invade fazenda recém-desocupada no Paraná
[12/12/2017] - Exportações de carne bovina: recorde histórico
[12/12/2017] - MAPA vai atender exigências dos russos
[12/12/2017] - Arroba: frigoríficos tentam segurar alta do boi
[12/12/2017] - Produção de carne fica estável no MS
[12/12/2017] - Frigoríficos criticam imposto menor para o boi
[12/12/2017] - Mais um processo contra a JBS e Wesley Batista
[12/12/2017] - UE quer abertura, mas carne bovina ainda é entrave
[11/12/2017] - Operação da PF investiga propina da JBS a fiscal
[11/12/2017] - Arroba continua a subir com firmeza
[11/12/2017] - Carne sobe e melhora perspectiva para o boi
[11/12/2017] - Reposição começa a se agitar no Tocantins
[11/12/2017] - Acordo com a UE pode ser anunciado até o dia 21
[11/12/2017] - Missão oficial de Hong Kong inspeciona frigorífico
[11/12/2017] - Funrural: votação deve acabar amanhã na Câmara
[11/12/2017] - Venda de milho está parada
[08/12/2017] - Arroba: frigoríficos pagam cada vez mais pelo boi
[08/12/2017] - Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem
[08/12/2017] - Reação do mercado agora depende do consumidor
[08/12/2017] - JBS diz que vai recuperar o mercado perdido
[08/12/2017] - BNDES deve vender ações da JBS

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br