Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
146,00 131,00 141,00
GO MT RJ
138,00 134,00 140,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1310,00
Garrote 18m 1580,00
Boi Magro 30m 1990,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1180,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 22/1/2018 09:11

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Senado aprova Lei do Funrural mas Temer deve vetar

 
 
 
Publicado em 15/12/2017

O Senado aprovou ontem o projeto de lei de renegociação das dívidas do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural). O texto não foi alterado em relação ao votado na Câmara dos Deputados e seguirá para sanção presidencial. Comemorado pelo segmento do agronegócio, no entanto, o projeto deverá sofrer vetos do presidente Michel Temer. Na avaliação da bancada ruralista, que travou uma batalha no Congresso para aprovar a lei, tanto a Receita Federal, quanto a Advocacia-Geral da União (AGU) e o Tesouro devem recomendar vetos ao texto.

O projeto foi a alternativa encontrada pela bancada ruralista da Câmara após a medida provisória (MP) que fazia a renegociação das dívidas perder a validade. Trata-se de uma tentativa de resolver uma dívida bilionária dos produtores rurais, após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que eles são obrigados a recolher sobre a produção (o Funrural).

Segundo o texto, a contribuição do produtor rural pessoa física passa de 2% para 1,2% sobre seu faturamento. No caso das empresas rurais, a nova alíquota será de 1,7% no lugar dos 2,5% devidos atualmente. As novas alíquotas valerão a partir de 1º de janeiro de 2018

Quem aderir ao parcelamento, com entrada de 2,5% (a Receita queria 4%), terá desconto de 100% nas multas e encargos sobre as dívidas do Funrural assumidas até 30 de agosto de 2017.

De acordo com a Receita, o projeto dobra para R$ 15 bilhões a renúncia fiscal com os descontos de juros e multas concedidos no texto, e ainda reduz de R$ 8,5 bilhões para R$ 2 bilhões a arrecadação esperada durante os 15 anos em que os produtores terão para quitar seus débitos.

No caso do Funrural, que tem R$ 17 bilhões em dívidas acumuladas nos últimos anos, há uma expectativa de que a Presidência vete a permissão dada para que as empresas rurais que recolhem a contribuição previdenciária – frigoríficos, laticínios e tradings, por exemplo – paguem parcelas menores para quitar seus débitos. Pelo projeto, enquanto essas agroindústrias terão que pagar todo mês uma alíquota de 0,3% sobre a receita bruta com a sua produção no âmbito do Refis para quitar seus débitos com o Funrural, os produtores pagarão 0,8%. Esse é um ponto polêmico que teria desagradado o Fisco e pode resultar em veto.

Segundo a deputada Tereza Cristina (sem partido-MS), relatora do projeto na Câmara, é possível que a AGU também recomende vetos ao desconto de 100% nos encargos advocatícios sobre as dívidas acumuladas por produtores e empresas. "Eles devem ser contra, porque compromete os honorários deles, então podem querer entrar na Justiça se virar lei", disse a deputada, que assumirá a presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) em fevereiro de 2018.

A nova lei permite às empresas rurais utilizarem créditos com prejuízo fiscal apurados em qualquer período para abater a dívida do Funrural com a Receita. Também estendeu mais ainda, para 28 de fevereiro do ano que vem, o prazo de adesão para o ‘Refis’ do Funrural,

O texto ainda permite que produtores e empresas façam a opção, a partir de 2019, por recolherem a contribuição sobre a folha (INSS) ou sobre a produção (Funrural). A nova lei anistiou todas as dívidas com o Pronaf, principal programa de crédito da agricultura familiar, o que também deve ser vetado. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/01/2018] - Arroba: frigoríficos pressionam o pecuarista
[22/01/2018] - Carne: mercado ainda não está bom
[22/01/2018] - Exportações de carne batem recorde no Mato Grosso
[22/01/2018] - Alckmin veta a absurda Segunda sem Carne
[22/01/2018] - Abates subiram no MT em 2017
[22/01/2018] - Quadrilha usa violência para roubar gado
[22/01/2018] - O Funrural vai mudar a arroba do boi?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/01/2018] - Sem terra invadem fazendas em protesto por Lula
[22/01/2018] - Embrapa vive crise com folha de pagamento inchada
[22/01/2018] - Sem crédito, produtor recorre ao consórcio
[15/12/2017] - Arroba: frigoríficos correm atrás de boi
[15/12/2017] - Carne sobe e está no maior preço do ano
[15/12/2017] - Exportações de carne podem bater novo recorde
[15/12/2017] - CNA: manutenção de vacina complica vendas aos EUA
[15/12/2017] - Senado aprova Lei do Funrural mas Temer deve vetar
[15/12/2017] - Produtor foi expulso de terras por indígenas
[15/12/2017] - Índios são usados para obter verbas públicas
[15/12/2017] - ARTIGO: Governo é dono de 47% das terras do País
[15/12/2017] - Esvaziada, CPMI da JBS acaba
[14/12/2017] - Arroba: altas são generalizadas
[14/12/2017] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[14/12/2017] - Exportações de carne seguem fortes em dezembro
[14/12/2017] - Exportações de carne do MT batem recorde
[14/12/2017] - Abates cresceram 9% no terceiro trimestre
[14/12/2017] - MAPA cede e facilita importação de trigo russo
[13/12/2017] - Arroba: frigoríficos estão precisando comprar boi
[13/12/2017] - Reposição ganha força com a chegada das chuvas
[13/12/2017] - Exportação de gado subiu quase 32% em 2017
[13/12/2017] - Agência prevê 2018 melhor para os frigoríficos
[13/12/2017] - Mercosul cede, mas UE adia acordo para 2018
[13/12/2017] - Brasil trabalha forte para abrir mercado britânico
[13/12/2017] - Maggi crê que mercado dos EUA será reaberto logo
[13/12/2017] - Argentina ganha espaço entre os exportadores
[13/12/2017] - JBS deverá devolver terreno de frigorífico no MT
[13/12/2017] - Câmara conclui aprovação da Lei do Funrural
[13/12/2017] - Famato pede prorrogação para inscrição no CAR
[13/12/2017] - MST invade fazenda recém-desocupada no Paraná
[12/12/2017] - Exportações de carne bovina: recorde histórico
[12/12/2017] - MAPA vai atender exigências dos russos
[12/12/2017] - Arroba: frigoríficos tentam segurar alta do boi
[12/12/2017] - Produção de carne fica estável no MS
[12/12/2017] - Frigoríficos criticam imposto menor para o boi
[12/12/2017] - Mais um processo contra a JBS e Wesley Batista
[12/12/2017] - UE quer abertura, mas carne bovina ainda é entrave
[11/12/2017] - Operação da PF investiga propina da JBS a fiscal
[11/12/2017] - Arroba continua a subir com firmeza
[11/12/2017] - Carne sobe e melhora perspectiva para o boi
[11/12/2017] - Reposição começa a se agitar no Tocantins
[11/12/2017] - Acordo com a UE pode ser anunciado até o dia 21
[11/12/2017] - Missão oficial de Hong Kong inspeciona frigorífico
[11/12/2017] - Funrural: votação deve acabar amanhã na Câmara
[11/12/2017] - Venda de milho está parada
[08/12/2017] - Arroba: frigoríficos pagam cada vez mais pelo boi
[08/12/2017] - Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem
[08/12/2017] - Reação do mercado agora depende do consumidor
[08/12/2017] - JBS diz que vai recuperar o mercado perdido
[08/12/2017] - BNDES deve vender ações da JBS

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br