Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
151,00 141,00 146,00
GO MT RJ
139,00 136,00 146,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2000,00
Bezerra 12m 1020,00
Novilha 18m 1250,00
Vaca Boiadeira 1420,00

Atualizado em: 17/12/2018 10:49

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Operação vem em um péssimo momento para a BRF

 
 
 
Publicado em 06/03/2018

"Estamos todos perplexos". Assim uma fonte graduada da BRF sintetizou a reação da companhia à terceira fase da Operação Carne Fraca, deflagrada ontem. Se já não bastasse a tarefa nada trivial que a gestão do novo CEO, José Aurélio Drummond, tem para resgatar a BRF operacional e financeiramente em meio à disputa pela destituição do conselho de administração, a empresa passa a enfrentar agora grave crise sanitária.

Com o ex-presidente Pedro Faria preso, a BRF precisará tomar decisões relevantes de modo ágil, habilidade que faltou à gestão no ano passado, durante a primeira etapa da Carne Fraca, segundo analistas. Por causa disso, a BRF ainda tropeçava no desbalanceamento de estoques no quarto trimestre, com perdas de mais de R$ 200 milhões.

Na front financeiro, a situação também não é confortável. A companhia tem neste ano R$ 5 bilhões em vencimentos e outros R$ 4 bilhões para 2019. A dívida bruta total encerrou dezembro em R$ 20,4 bilhões. Ou seja, 45% dos compromissos vencem nos próximos dois anos. A posição de caixa da BRF estava em R$ 6 bilhões ao fim do ano passado.

Na bolsa, as ações da BRF registram ontem a maior baixa do Ibovespa. Os papéis caíram 19,75%, o que fez a empresa perder cerca de R$ 5 bilhões em valor de mercado, sendo avaliada em R$ 21,1 bilhões.

A depender do efeito da Carne Fraca sobre as exportações de carne de frango da companhia, a BRF poderá ter dificuldades para rolar créditos de exportação. Normalmente, esse tipo de contrato não é pago, mas rolado - ou seja, trocado por outros títulos. O risco, considerado bastante provável pelo Ministério da Agricultura, é que a empresa sofra com embargos internacionais.

A situação financeira da BRF, que teve prejuízo de R$ 1,1 bilhão no ano passado e está bastante endividada, preocupa o governo, disse uma fonte. Com mais de 100 mil empregados espalhados por dezenas de unidades, especialmente na região Sul do país, a empresa é a maior exportadora de carne de frango do Brasil. Estima-se que tenha 40% de participação nas exportações do país, que lidera o comércio mundial de carne de frango. Sozinha, a BRF é responsável por 7% do mercado global de frango. Em regiões com o Oriente Médio, a BRF é hegemônica.

Mesmo que nenhum país importador embargue as fábricas da BRF, o que é visto como algo quase impossível para quem conhece esse mercado, a empresa já terá de lidar com a suspensão das exportações de três dos seus frigoríficos: Mineiros (GO), Rio Verde (GO) e Carambeí (PR). As unidades, citadas na terceira fase da Carne Fraca, tiveram as vendas suspensas pelo Ministério da Agricultura para os 12 países que exigem a tipificação e o controle da bactéria salmonela. A União Europeia é o principal mercado que se fecha para a empresa brasileira.

Sem exportar a partir das três unidades, inevitavelmente a BRF sofrerá com o acúmulo de estoques. Para estancar a sangria, a companhia levará ao menos 42 dias. De acordo com especialista na indústria de frango, se a BRF tomar a decisão mais drástica, de quebrar os ovos, o reflexo na oferta de frango levará 42 dias para a ave comum e 30 dias para o 'griller', que é menor e comummente exportada ao Oriente Médio. No processo, a empresa perderá o que gastou no incubação dos ovos - que leva 21 dias.

A gestão de uma empresa de "cadeia viva" não pode ser paralisada de uma hora para outra. "Já tinha 7 milhões de frangos para serem abatidos hoje a amanhã terão outros. É um perrengue", disse ontem um executivo do setor.

A situação delicada em que a BRF se encontra ajudou a amainar o clima na reunião do conselho de administração da empresa, apurou o Valor. Marcada para discutir o pedido das fundações Petros e Previ para agendar uma assembleia de acionistas cuja pauta é destituir o conselho de administração presidido pelo empresário Abilio Diniz.

A reunião, que chegou a ser adiada das 9h para às 11h30 porque a Polícia Federal realizava uma operação de busca e apreensão na sede administrativa da empresa, na zona oeste de São Paulo, aconteceu sem grandes intercorrências. Ficou marcada para 26 de abril assembleia que decidirá o futuro de Abilio.

Embora o empresário possa resistir e tentar ao menos um assento no conselho de administração, a tendência é que a saída de Abilio Diniz seja consolidada. Ditante do timing da operação, houve quem sugerisse uma conspiração, ou até mesmo um plano internacional para afetar as vendas do Brasil.

Em todo o caso, os fundos de pensão viram na prisão temporária de Pedro Faria uma reforço aos argumentos de que a BRF precisará melhorar a governança, trocando o atual conselho. "Mostra que estávamos certos", afirmou uma fonte próxima. Além de Faria, outro executivo próximo de Abilio Diniz foi alvo da Carne Fraca. Vice-presidente da BRF até ano passado, José Roberto Permonian Rodrigues, o JR, foi levado em condução coercitiva.

Em nota divulgada ontem, a BRF buscou esclarecer as frentes de investigação. De acordo com a empresa, os casos não presentam um risco à saúda humana. A BRF também informou que levou a sério as denúncias de fraude nos testes apontadas a sério. Para aprimorar os processos, a empresa alegou ter desvinculado a hierarquia das unidades produtoras sobre os laboratórios, que passaram a responder diretamente à área de qualidade. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[17/12/2018] - BOLETIM NOTÍCIAS DA PECUÁRIA EM RECESSO
[14/12/2018] - Arroba: frigoríficos continuam procurando boi
[14/12/2018] - Arroba sobe forte no RJ
[14/12/2018] - Agência otimista com a situação do Minerva
[14/12/2018] - Leite: importações podem ser suspensas
[14/12/2018] - CNA pede ao STF decisão urgente sobre frete
[14/12/2018] - Incerteza sobre frete trava negócios

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[13/12/2018] - Fux volta atrás e tabela de fretes volta a valer
[13/12/2018] - CNA recorrerá contra tabela do frete
[13/12/2018] - Líder dos caminhoneiros agradece Fux
[13/12/2018] - Exportações de gado em pé cresceram 80%
[13/12/2018] - Arroba chega ao maior valor do ano
[13/12/2018] - Abates de novilhas batem recorde
[13/12/2018] - Abates bovinos cresceram 7% em um ano
[13/12/2018] - Exportações poderiam ter crescido mais
[13/12/2018] - Leite: longa vida tem preços estáveis
[13/12/2018] - Mercado do leite está estagnado
[13/12/2018] - Onde criar gado é correr risco de vida
[12/12/2018] - Exportações devem bater recorde em 2019
[12/12/2018] - Arroba: frigoríficos precisam de boi para o Natal
[12/12/2018] - Para onde vai o preço da reposição?
[12/12/2018] - Fracassa leilão de frigorífico em SP
[12/12/2018] - Venda da parte do BNDES na JBS ficou para 2019
[12/12/2018] - Ruralistas nunca foram contra ambiente e índios
[12/12/2018] - Deputados querem prorrogar o Refis do Funrural
[11/12/2018] - PF investiga propina da JBS a Aécio Neves
[11/12/2018] - Árabes aumentam pressão sobre Bolsonaro
[11/12/2018] - Caminhoneiros temem falta de apoio para greve
[11/12/2018] - Arroba: festas de final de ano puxam o boi
[11/12/2018] - Oferta curta valoriza preço da reposição
[11/12/2018] - Alta no atacado puxa preço da carne no varejo
[11/12/2018] - Exportações de carne: dezembro começa forte
[10/12/2018] - Caminhoneiros protestam contra decisão do STF
[10/12/2018] - Arroba do boi segue subindo
[10/12/2018] - Atacado da carne tem recorde de preço
[10/12/2018] - Marfrig será líder global em hambúrguer
[10/12/2018] - Leite: oferta aumentou e derrubou preço
[10/12/2018] - MG terá nova referência para o preço do leite
[10/12/2018] - Milho: preços seguem firmes
[10/12/2018] - Agro dá apoio ao novo ministro do Meio Ambiente
[07/12/2018] - STF impede multa por desrespeito à tabela do frete
[07/12/2018] - Mais uma greve dos caminhoneiros?
[07/12/2018] - Arroba do boi ganha força na alta
[07/12/2018] - Mercado do boi está devagar em SC
[07/12/2018] - Marfrig fecha compra de unidades da BRF
[07/12/2018] - Tereza: produtor deve ser pago para preservar
[07/12/2018] - Milho deve ficar mais caro em 2019
[07/12/2018] - Funai irá para o Ministério dos Direitos Humanos
[06/12/2018] - Arroba do boi voltou a subir em São Paulo
[06/12/2018] - Exportação de boi em alta em novembro
[06/12/2018] - Boi deve subir no Mato Grosso
[06/12/2018] - Há frigoríficos pagando mais pelo boi
[06/12/2018] - CNA pede suspensão de multas por tabela
[06/12/2018] - Custos devem derrubar PIB do Agro em 2018
[06/12/2018] - Dívida do Funrural será extinta?
[06/12/2018] - Minerva nega oferta para comprar ativos da BRF
[06/12/2018] - Prazo para o CAR termina em 31 de dezembro

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br