Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
156,00 143,00 148,00
GO MT RJ
143,00 142,00 144,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1430,00
Garrote 18m 1720,00
Boi Magro 30m 2100,00
Bezerra 12m 1080,00
Novilha 18m 1350,00
Vaca Boiadeira 1480,00

Atualizado em: 22/4/2019 10:08

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Fiscalização falha pode trazer aftosa de volta

 
 
 
Publicado em 06/04/2018

Otimizar a vigilância na extensa faixa de fronteira, aumentar o efetivo de fiscais e conseguir recursos para um fundo emergencial são os principais desafios de Mato Grosso do Sul para conseguir, no futuro, o status livre de febre aftosa sem vacinação.

Essa é a meta que não só o estado, mas o país pretende alcançar até 2023, já que foi reconhecido recentemente pelo OIE (Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal) por controlar a doença com a ajuda da imunização.

Um evento realizado na Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado) serviu para comemorar a conquista e apresentar o longo caminho no combate e controle ao vírus.

“Em curto prazo [em razão desse reconhecimento] não teremos muita diferença. Para que atinjamos a médio e longo uma vantagem econômica precisamos ser livres de aftosa sem vacinação. Para isso, temos que acompanhar, agora, a evolução desse programa de erradicação nacional”, disse o presidente da Famasul, Maurício Saito.

Sobre o estado, ele destaca que “temos uma área territorial bastante extensa e com algumas particularidades como o Pantanal. Esses são alguns dos desafios que temos, mas naturalmente esse índice vacinal que temos acima de 97% nos traz uma tranquilidade”, pontua.

Poder público – O secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, afirma que o primeiro passo rumo à eliminação da aftosa é manter o selo internacional com a vacinação.

“O segundo ponto é nos estruturarmos para um novo desafio, principalmente na questão da fronteira. Temos a zona de alta vigilância, temos que definir nova metodologia para garantir que não tenhamos, futuramente, problemas”, afirma.

Alcançar essas metas depende de recursos humanos na Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), que graças às recentes aposentarias e saídas de alguns fiscais, tem uma defasagem de aproximadamente 40 profissionais, que paliativamente foi contornada por uma reorganização nas unidades do órgão, mas que no futuro só vai ser sanada com concurso público.

“Temos ainda que criar um fundo emergencial. Esse fundo institucionalmente já está feito, precisamos fazer a alocação de recursos para que tenhamos uma garantia caso venha a ter algum tipo de foco. A tendência do governo é que consigamos manter essa qualidade que nós temos tido em relação à vacinação”, disse o gestor.

Federal – Esse mesmo problema com funcionários tem a Superintendência Regional do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), segundo o gestor do órgão, Celso Martins.

“A superintendência de Mato Grosso do Sul vem sofrendo um processo de perda de funcionários por aposentadoria, mas tivemos uma contratação recente e tem um concurso agora com chamamento de novos profissionais, há expectativa de acontecer isso de novo ano que vem”.

Segundo ele, a principal ferramenta disponível até agora para controlar a aftosa é a vacinação. Com essa nova fase, na busca pela eliminação do vírus, será necessário reformular as campanhas e identificar os pontos de riscos de permanência ou entrada de atividade viral para que isso seja eliminado.Com informações do Campo Grande News.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/04/2019] - Doença na China pode ajudar pecuaristas do Brasil
[22/04/2019] - Arroba perde força mas oferta está curta
[22/04/2019] - Como está o mercado do boi no Maranhão?
[22/04/2019] - Caminhoneiros estão divididos sobre greve
[22/04/2019] - Caminhoneiros: governo enfrenta negociação difícil
[22/04/2019] - Milho cai ao menor valor desde novembro
[22/04/2019] - Produtores rurais argentinos criticam Macri

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/04/2019] - Arroba: não tem espaço para baixa
[18/04/2019] - Melhorou cenário para o confinamento?
[18/04/2019] - Chuvas puxam preço do boi no Mato Grosso
[18/04/2019] - Como está a reposição no Pará?
[18/04/2019] - RS procura mercados para exportar gado em pé
[18/04/2019] - Exportações: receita do frango supera carne bovina
[18/04/2019] - Caminhoneiros vão mesmo entrar em greve?
[18/04/2019] - Pecuaristas preocupados com a volta da aftosa
[17/04/2019] - Arroba: tem frigorífico pagando mais
[17/04/2019] - Carne: varejo dá sinais de melhora
[17/04/2019] - Leite vai continuar subindo?
[17/04/2019] - Especialistas defendem prazo maior para o CAR
[17/04/2019] - Governo quer destravar o crédito rural
[16/04/2019] - Arroba: alta perdeu força
[16/04/2019] - É hora de vender o boi?
[16/04/2019] - Carne: preços não têm força para subir
[16/04/2019] - Exportações estão mais fracas em abril
[16/04/2019] - China fala em ampliar compras de carne do Brasil
[16/04/2019] - Rússia adia visita que liberaria mais frigoríficos
[16/04/2019] - Bertin terá que explicar negócio com a JBS
[16/04/2019] - Banco prevê alta forte para ações da JBS
[16/04/2019] - PIB do Agro deverá crescer mais que o previsto
[16/04/2019] - Nova Previdência trará investimentos para o Agro
[16/04/2019] - Governo anuncia pacote para evitar greve
[16/04/2019] - Caminhoneiros se dizem insatisfeitos com ajuda
[15/04/2019] - Invasões de terra caíram com Bolsonaro
[15/04/2019] - Arroba: preço não dá sinal de queda
[15/04/2019] - Reposição está ficando mais cara
[15/04/2019] - Bezerro está em falta no Mato Grosso
[15/04/2019] - JBS vale R$ 35 bilhões a mais após a delação
[15/04/2019] - Produtores rurais cobram aplicação de impostos
[15/04/2019] - Vai sobrar milho em 2019?
[12/04/2019] - Governo teme nova greve dos caminhoneiros
[12/04/2019] - Líder dos caminhoneiros elogia ação de Bolsonaro
[12/04/2019] - Arroba: boi segue em subindo com força
[12/04/2019] - Milho: como ficará a produção em 2019?
[12/04/2019] - Arroba em alta forte também no Pará
[12/04/2019] - Paraná vai debater fim da vacinação
[12/04/2019] - Crise chega forte à pecuária argentina
[11/04/2019] - Arroba: boi continua subindo sem parar
[11/04/2019] - CEPEA: uma mudança importante na arroba
[11/04/2019] - Exportação de gado em pé subiu em março
[11/04/2019] - Imposto sobre a carne sobe 140%
[11/04/2019] - Catástrofe sanitária pode beneficiar a JBS
[11/04/2019] - Lácteos: importações caíram com força em março
[11/04/2019] - Bolsonaro: Brasil está de braços abertos a árabes
[11/04/2019] - Qual opinião dos árabes sobre encontro?
[11/04/2019] - Bolsonaro enfrenta dilema com setor rural
[10/04/2019] - A arroba do boi vai continuar subindo?
[10/04/2019] - Arroba do boi em alta firme

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br