Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
156,00 143,00 148,00
GO MT RJ
143,00 142,00 144,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1430,00
Garrote 18m 1720,00
Boi Magro 30m 2100,00
Bezerra 12m 1080,00
Novilha 18m 1350,00
Vaca Boiadeira 1480,00

Atualizado em: 22/4/2019 10:08

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Alta na ração preocupa confinadores

 
 
 
Publicado em 09/04/2018

Granjas de aves e suínos e nos confinamentos de boi estão com uma preocupação: a alta no preço do milho e da soja encarece o custo da ração.

Desde janeiro, o valor da saca de milho subiu cerca de 30% no Paraná. A de soja mais de 15%. “Neste momento estamos vivendo um período de preços internos muito altos. Isso se deve a retenção por parte do produtor. A Conab fala em estoques de passagem recordes, superiores a 17 milhões de toneladas”, afirma Camilo Motter, analista de mercado.

Na avicultura, as altas nos preços já começaram a afetar a atividade. O milho representa quase 70% da composição da ração que é usada para alimentar os frangos. A soja, cerca de 20%. Quando os preços dessas culturas sobem, o impacto é imediato na produção de carne de frango.

Utilizada em todas as fases de crescimento das aves, a ração representa o maior custo para preparar um frango para o abate. “Dentro de uma normalidade, em torno de 70% a 72%. Hoje, com esse aumento do milho e soja, está chegando a 80%, 82% do custo do frango na plataforma. É muita coisa, é muito alto”, diz Jurandir de Mattos, gerente de indústria de rações.

Em uma cooperativa de Cascavel, o impacto foi um aumento de 15% no custo final da carne de frango. A cooperativa reduziu o número de aves abatidas por dia, de 230 mil para 200 mil, e busca outras mudanças para não ter tanto prejuízo. “Nas três frentes, nós temos que trabalhar na redução de custo, uma diminuição da oferta de frango, uma melhora nas exportações, e também, junto com a redução de custo, agregar mais valor, ao invés de vender peito de frango com osso, vai vender peito de frango sem osso”, explica o presidente da cooperativa, Dilvo Grolli.

Em uma fazenda que faz o confinamento de gado, em Rondonópolis, no sul de Mato Grosso, os cochos são abastecidos cinco vezes por dia. "A gente vinha comprando milho de R$ 16, R$ 17, R$ 18 até o final do ano e o milho mudou de preço agora por mais de 40% de alta”, conta o criador Fábio Luis Neves Silva.

A soja também teve alta - um aumento de quase 32% em relação à safra passada. Em uma granja em Campo Verde, são cerca de 7,5 mil suínos. Só de farelo de soja são usadas 75 toneladas por mês. Para evitar desperdício, toda a ração é distribuída de forma automática. “Hoje tem que estar preocupado, pra manter os custos de produção que são altos e esse farelo representa bastante”, afirma o supervisor da granja, Josmar Domingues.

Uma empresa que fica em Cuiabá esmaga cerca de 1,2 mil toneladas de soja por dia e a maior parte da produção tem sido exportada. “Esse ano a gente já começou com as exportações numa velocidade bem mais elevada que no ano passado. Então, isso demonstra que o mercado internacional já está com bom apetite pro farelo e para os produtos do Brasil”, explica Alexandre Sperafico, diretor da unidade.

Além da forte seca que derrubou a safra de soja e milho na Argentina, o mercado está agitado com a disputa comercial entre China e Estados Unidos. A China aumentou a taxa de importação de vários produtos norte-americanos, entre eles, a soja.

Os reflexos para a agricultura brasileira são imediatos, como explica o superintendente do Instituto Matogrossense de Economia e Agropecuária (Imea), Daniel Latorraca: “Por conta disso, como o Brasil é um grande fornecedor internacional desses produtos, a gente deve fazer um comércio maior com a China, que já é a nossa maior parceira comercial no mundo. Com certeza isso já está acontecendo no mercado da soja e a expectativa é que aconteça também no mercado do milho, quando a gente colher a segunda safra, e na área de carnes, em especial suínos. A gente sem dúvida nenhuma deve fazer parte dessa demanda, haja vista que temos um mercado grande ao redor do mundo”.

A China não anunciou quando passa a valer a sobretaxa dos produtos norte-americanos. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/04/2019] - Doença na China pode ajudar pecuaristas do Brasil
[22/04/2019] - Arroba perde força mas oferta está curta
[22/04/2019] - Como está o mercado do boi no Maranhão?
[22/04/2019] - Caminhoneiros estão divididos sobre greve
[22/04/2019] - Caminhoneiros: governo enfrenta negociação difícil
[22/04/2019] - Milho cai ao menor valor desde novembro
[22/04/2019] - Produtores rurais argentinos criticam Macri

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/04/2019] - Arroba: não tem espaço para baixa
[18/04/2019] - Melhorou cenário para o confinamento?
[18/04/2019] - Chuvas puxam preço do boi no Mato Grosso
[18/04/2019] - Como está a reposição no Pará?
[18/04/2019] - RS procura mercados para exportar gado em pé
[18/04/2019] - Exportações: receita do frango supera carne bovina
[18/04/2019] - Caminhoneiros vão mesmo entrar em greve?
[18/04/2019] - Pecuaristas preocupados com a volta da aftosa
[17/04/2019] - Arroba: tem frigorífico pagando mais
[17/04/2019] - Carne: varejo dá sinais de melhora
[17/04/2019] - Leite vai continuar subindo?
[17/04/2019] - Especialistas defendem prazo maior para o CAR
[17/04/2019] - Governo quer destravar o crédito rural
[16/04/2019] - Arroba: alta perdeu força
[16/04/2019] - É hora de vender o boi?
[16/04/2019] - Carne: preços não têm força para subir
[16/04/2019] - Exportações estão mais fracas em abril
[16/04/2019] - China fala em ampliar compras de carne do Brasil
[16/04/2019] - Rússia adia visita que liberaria mais frigoríficos
[16/04/2019] - Bertin terá que explicar negócio com a JBS
[16/04/2019] - Banco prevê alta forte para ações da JBS
[16/04/2019] - PIB do Agro deverá crescer mais que o previsto
[16/04/2019] - Nova Previdência trará investimentos para o Agro
[16/04/2019] - Governo anuncia pacote para evitar greve
[16/04/2019] - Caminhoneiros se dizem insatisfeitos com ajuda
[15/04/2019] - Invasões de terra caíram com Bolsonaro
[15/04/2019] - Arroba: preço não dá sinal de queda
[15/04/2019] - Reposição está ficando mais cara
[15/04/2019] - Bezerro está em falta no Mato Grosso
[15/04/2019] - JBS vale R$ 35 bilhões a mais após a delação
[15/04/2019] - Produtores rurais cobram aplicação de impostos
[15/04/2019] - Vai sobrar milho em 2019?
[12/04/2019] - Governo teme nova greve dos caminhoneiros
[12/04/2019] - Líder dos caminhoneiros elogia ação de Bolsonaro
[12/04/2019] - Arroba: boi segue em subindo com força
[12/04/2019] - Milho: como ficará a produção em 2019?
[12/04/2019] - Arroba em alta forte também no Pará
[12/04/2019] - Paraná vai debater fim da vacinação
[12/04/2019] - Crise chega forte à pecuária argentina
[11/04/2019] - Arroba: boi continua subindo sem parar
[11/04/2019] - CEPEA: uma mudança importante na arroba
[11/04/2019] - Exportação de gado em pé subiu em março
[11/04/2019] - Imposto sobre a carne sobe 140%
[11/04/2019] - Catástrofe sanitária pode beneficiar a JBS
[11/04/2019] - Lácteos: importações caíram com força em março
[11/04/2019] - Bolsonaro: Brasil está de braços abertos a árabes
[11/04/2019] - Qual opinião dos árabes sobre encontro?
[11/04/2019] - Bolsonaro enfrenta dilema com setor rural
[10/04/2019] - A arroba do boi vai continuar subindo?
[10/04/2019] - Arroba do boi em alta firme

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br