Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
142,00 131,00 133,00
GO MT RJ
132,00 132,00 133,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1290,00
Garrote 18m 1550,00
Boi Magro 30m 1910,00
Bezerra 12m 990,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 20/4/2018 11:25

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Exportações de carne sobem 22% e puxam o agro

 
 
 
Publicado em 10/04/2018

As exportações do agronegócio somaram US$ 9,08 bilhões, em março, registrando crescimento de 4,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando as vendas foram de US$ 8,73 bilhões, de acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). As importações de produtos do setor alcançaram US$ 1,29 bilhão (-6,9% abaixo de março de 2017). Como resultado, a balança comercial do setor registrou saldo positivo da ordem de US$ 7,79 bilhões.

Os produtos do agronegócio representaram 45,2% do total das vendas externas brasileiras no mês, com aumento de quase dois pontos percentuais de participação comparado a março do ano passado.

Os produtos de origem vegetal foram os que mais contribuíram para o crescimento das exportações do setor, com incremento de US$ 417,08 milhões, principalmente em função de produtos florestais, cujas vendas externas foram US$ 374,49 milhões superiores. Se destacaram outros setores, como sucos (+US$ 107,51 milhões); cereais, farinhas e preparações (+US$ 93,55 milhões); fumo e seus produtos (+US$ 78,84 milhões) e fibras e produtos têxteis (+US$ 27,97 milhões).

Quanto ao valor exportado destacaram-se: complexo soja (44,3%), carnes (14,8%), produtos florestais (13,9%), complexo sucroalcooleiro (7%) e café (4,5%). Os cinco setores representam 84,4% das exportações do setor.

O complexo soja registrou montante de US$ 4,03 bilhões em exportações no mês, o que representou queda de 0,8% sobre março de 2017. A redução na quantidade embarcada do grão (-1,8%), aliada a um preço médio 1% inferior, resultou na redução, em valor, de 2,8%, passando de US$ 3,53 bilhões em março de 2017 para US$ 3,44 bilhões, explica o coordenador de Competitividade do Departamento de acesso a Mercados do Mapa, Luiz Fernando Wosch.

Já as exportações de farelo de soja registraram crescimento de 16,8%, atingindo US$ 507,14 milhões, enquanto as exportações de óleo de soja diminuíram 5,8%, com US$ 84,47 milhões.

Recorde

As carnes ocuparam a segunda posição no ranking, alcançando US$ 1,34 bilhão, praticamente o mesmo valor registrado no mês em 2017. O principal produto do setor foi a carne bovina, cujas vendas foram de US$ 591,97 milhões, recorde histórico para março. Em relação ao mesmo mês em 2017 houve incremento de 22,1% das vendas, em função da ampliação da quantidade em 24,1%, que compensou a queda de 1,6% no preço.

As exportações de frango apresentaram queda de 9,7%, com US$ 580,59 milhões. Além da retração da quantidade (-1,6%), houve queda no preço médio do produto (-8,2%). Também houve queda nas vendas de carne suína (-23,4%), decorrentes tanto da retração na quantidade embarcada (-7,8%), quanto do preço (-16,9%).

Importações

As importações de produtos do agronegócio sofreram queda de US$ 96,09 milhões na comparação com março de 2017 e março de 2018. Os principais produtos adquiridos pelo Brasil foram: pescados (US$ 142,72 milhões); álcool etílico (US$ 135,19 milhões); trigo (US$ 87,73 milhões); papel (US$ 78,73 milhões) e vestuário e produtos têxteis de algodão (US$ 58,35 milhões).

Além dos pescados e do trigo, outros produtos que tiveram as maiores reduções em importações foram arroz (-US$ 30,93 milhões); lácteos (-US$ 22,53 milhões) e malte (-US$ 15,24 milhões

Destinos

A Ásia se manteve como principal região de destino das exportações do agronegócio, somando US$ 4,65 bilhões. A União Europeia ocupou a segunda posição no ranking de blocos econômicos e regiões geográficas de destino das vendas externas do agronegócio brasileiro no mês. Houve crescimento de 22,9% nas vendas ao mercado, decorrentes, principalmente, do aumento nas exportações de celulose (+162,6%); soja em grãos (+59,7%); sucos de laranja (+38,8%); fumo não manufaturado (+120,2%) e farelo de soja (+12,9%).

Acumulado no ano

No acumulado do primeiro trimestre de 2018, as exportações brasileiras do agronegócio atingiram US$ 21,47 bilhões, cifra que supera em 4,6% o resultado de igual período do ano passado, significando recorde para resultados de janeiro a março. Tal acréscimo atribui-se ao aumento de 6,7% na quantidade embarcada, uma vez que houve queda de 1,9% no índice de preço.

As importações recuaram 3,9% no trimestre, caindo de US$ 3,76 bilhões para US$ 3,61 bilhões, desempenho explicado, sobretudo, pela queda de 3,8% no índice de quantidade, enquanto o índice de preço teve ligeiro decréscimo de 0,1%, de acordo com Luiz Fernando Wosch.

Com isso, o superávit comercial do agronegócio subiu de US$ 16,76 bilhões para US$ 17,86 bilhões, constituindo cifra recorde para períodos de janeiro-março.

Resultado em 12 meses

As exportações do agronegócio atingiram US$ 96,96 bilhões nos últimos 12 meses, apurados entre abril de 2017 e março deste ano. O número representa crescimento de 13,5% em relação aos US$ 85,42 bilhões exportados entre abril de 2016 e março de 2017. O incremento das exportações ocorreu em função, principalmente, do aumento da quantidade exportada, que subiu 13%. O índice que mede o preço das exportações apresentou alta de 0,5%.

As importações do agronegócio diminuíram de US$ 14,35 bilhões entre abril de 2016 e março de 2017 para US$ 14,01 bilhões entre abril de 2017 e março de 2018 (-2,4%). A queda de 9,6% no índice de preço dos produtos importados explica, em grande parte, a redução do valor das importações. O quantum importado, por outro lado, aumentou 8,0%.

O crescimento das exportações com concomitante redução das importações fez com que o saldo comercial do agronegócio aumentasse de US$ 71,07 bilhões registrados entre abril de 2016 e março de 2017 para US$ 82,96 bilhões entre abril de 2017 e março de 2018.

Os cinco principais setores exportadores do agronegócio apurados em 12 meses foram: complexo soja (participação de 32,7% nas exportações do agronegócio); carnes (participação de 15,9%); produtos florestais (participação de 12,8%); complexo sucroalcooleiro (participação de 11,8%); e cereais, farinhas e preparações (participação de 5,8%).

O coordenador de Competitividade do Departamento de Acesso a Mercados do Mapa observou que, na relação dos vinte maiores importadores do agronegócio, tiveram crescimento na aquisição de produtos brasileiros em índices acima de 30%: Egito (+92,4%; US$ 2,15 bilhões); Espanha (+49,7%; US$ 2,12 bilhões); Bangladesh (+41,3%; US$ 1,51 bilhão); Vietnã (+33,6%; US$ 1,46 bilhão); Emirados Árabes Unidos (+33,5%; US$ 1,76 bilhão); e Hong Kong (+31,1%; US$ 2,67 bilhões). Com informações do portal Estadão.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/04/2018] - Carne bovina sobe depois de dois meses
[20/04/2018] - O embargo europeu vai afetar o preço do boi?
[20/04/2018] - Maggi: embargo não é o fim do mundo
[20/04/2018] - Quais são os frigoríficos embargados pela UE?
[20/04/2018] - BRF dá férias coletivas a mais 2 mil funcionários
[20/04/2018] - Arroba: para onde vão os preços?
[20/04/2018] - Incerteza no boi trava a reposição

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/04/2018] - Proibição do transporte de gado vai à Justiça
[20/04/2018] - JBS: provas expõem a compra de políticos
[19/04/2018] - UE oficializa embargo ao frango brasileiro
[19/04/2018] - Embargo da UE: demissões no Brasil
[19/04/2018] - Arroba: o que segura o boi é a exportação
[19/04/2018] - Arroba: mercado em tendência de baixa
[19/04/2018] - Exportação de bois cresceu quase 20%
[19/04/2018] - Prefeitura proíbe transporte de bois em Santos
[19/04/2018] - Para onde vai a reposição?
[19/04/2018] - Está mais caro produzir leite
[19/04/2018] - JBS: Batistas não poderão votar em ações contra si
[19/04/2018] - Funrural: setor pressiona por fim das dívidas
[18/04/2018] - Brasil exportará volume histórico de carne bovina
[18/04/2018] - MAPA anuncia novos mercados para a carne do Brasil
[18/04/2018] - Exportações do MT têm melhor trimestre em 4 anos
[18/04/2018] - Arroba: mercado perde força
[18/04/2018] - Aumenta a procura por animais de reposição
[18/04/2018] - Leite: consumo está melhorando
[18/04/2018] - Índia libera a importação de embriões do Brasil
[18/04/2018] - MAPA vai à OMC contra embargo da UE à BRF
[18/04/2018] - Preço do frango volta ao fundo do poço
[18/04/2018] - Preço do milho volta a subir no RS
[17/04/2018] - Terras para pastagem devem se valorizar
[17/04/2018] - Arroba: frigoríficos querem pagar menos
[17/04/2018] - Exportações de carne perderam ritmo em abril
[17/04/2018] - Frigoríficos estão mantendo a margem de lucro
[17/04/2018] - UE deve embargar 15 unidades da BRF
[17/04/2018] - Produtores se unem por internet de qualidade
[16/04/2018] - Época: caso JBS é escandaloso
[16/04/2018] - Como o embargo à BRF pode derrubar a arroba do boi
[16/04/2018] - Arroba: mercado está travado
[16/04/2018] - Minerva: frigoríficos devem reduzir abates
[16/04/2018] - Produtores de milho saem do mercado
[13/04/2018] - Aftosa ressurge na Colômbia e preocupa o Brasil
[13/04/2018] - China compra quase 50% das exportações de carne
[13/04/2018] - Arroba: preços podem cair ainda mais
[13/04/2018] - Início do mês não puxou as vendas de carne bovina
[13/04/2018] - Farelo de soja caro pode afetar o confinamento
[13/04/2018] - Brasil ameaça retaliar se UE embargar carne
[13/04/2018] - Produtor rural é morto durante assalto a fazenda
[13/04/2018] - Quadrilha é presa em flagrante por furto de gado
[12/04/2018] - Pecuaristas do Paraná já falam em investir
[12/04/2018] - Arroba: pressão de baixa aumenta
[12/04/2018] - Cautela domina o mercado do boi
[12/04/2018] - Mais um frigorífico entra em recuperação judicial
[12/04/2018] - Laticínios preferem comprar de grandes produtores
[12/04/2018] - Embargo à BRF pode respingar na carne bovina
[12/04/2018] - Aftosa: governo quer controlar fundos estaduais
[12/04/2018] - Governo desiste de mudar critérios para o leite
[11/04/2018] - Aumenta a competição pelo boi gordo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br