Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 142,00 140,00
GO MT RJ
137,00 133,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1370,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 1000,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1390,00

Atualizado em: 14/11/2018 10:38

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos ampliam abates e reclamam do consumo

 
 
 
Publicado em 16/05/2018

A retomada da economia brasileira e, consequentemente, do consumo de carne bovina no mercado interno deve ocorrer somente em 2019, projetam analistas. Nesse cenário, o mercado externo tende a ganhar ainda mais importância para as indústrias.

“Vejo com ceticismo a melhora da economia ainda em 2018, o que ficou adiado, na melhor das hipóteses, para 2019”, afirma o diretor técnico da Informa Economics IEG | FNP, Vicente Ferraz. “Desta forma, o consumo fraco no mercado interno registrado no primeiro semestre do ano deve persistir e as exportações devem se manter em alta”, acrescenta Ferraz.

Ele destaca, no entanto, que essa expansão dos embarques tem limite e que não é capaz de compensar integralmente a redução da demanda doméstica, uma vez que o mercado interno, tradicionalmente, representa em torno de 70% das vendas do setor. “As empresas terão de rever o aumento da capacidade de abate e tentar ampliar as exportações”, avalia.

Mesmo diante de um cenário desafiador, o CEO da Marfrig, Martin Secco, se disse satisfeito com o desempenho das plantas que entraram em atividade recentemente e sinalizou que a estratégia de ampliar a oferta a partir destas unidades de abate deve continuar.

“Nós tomamos essa decisão conscientes de que tínhamos vários desafios pela frente e sentimos que tivemos uma performance boa”, avaliou. No primeiro trimestre deste ano os abates da divisão Beef da companhia aumentaram 50% no Brasil. A Marfrig registrou prejuízo líquido de R$ 206 milhões no período, leve redução ante a perda de R$ 233 milhões registrada no mesmo trimestre de 2017.

Secco destacou o aumento das exportações como “importante frente a um ambiente complexo no mercado interno brasileiro”. O volume foi 67% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Ele ainda afirmou que a venda da Keystone deve ser concluída no curto prazo.

Maior player do setor no mundo, a JBS registrou lucro de R$ 506,4, milhões no primeiro trimestre do ano. O incremento de 43,5% em relação ao mesmo período do ano passado foi puxado pelo desempenho da companhia no exterior, amparado pelo crescimento da economia norte-americana, no caso da JBS USA, e por um desempenho acima do esperado no México na Pilgrim´s Pride.

A receita líquida da JBS Brasil, porém, recuou 4,7%, para R$ 5,9 bilhões. Em conferência com analistas, o diretor global de operações da companhia, Gilberto Tomazoni destacou o aumento da competitividade na compra do gado e também o aumento da oferta de carnes no mercado doméstico, o que reduziu as margens da companhia. O negócio de bovinos representa 13% do faturamento da empresa. “Focamos no aumento nas exportações, em maior valor agregado e em mercados mais rentáveis”, destacou Tomazoni.

De acordo com a empresa, o número de animais processados cresceu 7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. O valor médio de venda, porém, recuou 4,8% no período, na mesma base de comparação. Já no mercado externo, a companhia registrou aumento de preços, de 5,4%.

O presidente do conselho de administração e diretor de Relações com Investidores, Jeremiah O‘Callaghan comentou o acordo firmado com bancos relativo às dívidas da empresa. “O acordo com bancos foi feito para a preservação das linhas de crédito e manutenção das posições dos contratos”, esclareceu o executivo. O acordo prevê a manutenção de linhas de crédito de R$ 12,2 bilhões por 36 meses a partir de julho. A partir de janeiro de 2019, a JBS deve começar a amortizar cerca de 25% do principal da dívida até fim do período, em julho de 2021. A dívida líquida da companhia encerrou o primeiro trimestre em R$ 45,5 bilhões, 4,8% menor do que nos primeiros três meses de 2017. Com informações do DCI.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/11/2018] - Exportações têm o terceiro maior valor da história
[14/11/2018] - Exportações puxam abates no terceiro trimestre
[14/11/2018] - Funrural leva JBS a prejuízo
[14/11/2018] - Arroba: feriado não puxou preço do boi
[14/11/2018] - Exportação de boi cai com crise na Turquia
[14/11/2018] - Paraná: está mais caro repor o gado
[14/11/2018] - CNA pede que multas por frete sejam suspensas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/11/2018] - Carne Fraca ainda preocupa o MAPA
[13/11/2018] - Qual a previsão para a pecuária em 2019?
[13/11/2018] - Frigoríficos crêem em ano bom para eles
[13/11/2018] - STJ manda soltar Joesley Batista
[13/11/2018] - Arroba: prisão de Batista não afetou cotações
[13/11/2018] - Reposição: preços firmes para quem vende
[13/11/2018] - Atacado da carne segue sem definição
[13/11/2018] - Como estão as exportações em novembro?
[13/11/2018] - MAPA começa a fazer a transição
[13/11/2018] - Brasileiros vão à Venezuela combater a aftosa
[12/11/2018] - Justiça solta dois presos da Operação Capitu
[12/11/2018] - Operação começou por gravação com Geller
[12/11/2018] - Arroba: pressão de baixa diminuiu
[12/11/2018] - Carne: varejo segue devagar
[12/11/2018] - Milho sobe, depois de três meses de queda
[12/11/2018] - Tereza Cristina fala sobre o futuro do MAPA
[12/11/2018] - Minerva negocia investimento com árabes
[12/11/2018] - Crise não reduz consumo de carne na Argentina
[12/11/2018] - Mosca-dos-estábulos: como controlar?
[09/11/2018] - PF: Batista pagava para garantir monopólio à JBS
[09/11/2018] - Com Joesley preso, desconfiança volta à JBS
[09/11/2018] - Arroba: confinamento pressiona e o boi cai
[09/11/2018] - Preço do boi firme no RS
[09/11/2018] - Leite: segundo mês de queda para o produtor
[09/11/2018] - Leite: custo de produção tem leve queda
[09/11/2018] - Milho: pressão de baixa pode acabar
[09/11/2018] - Funrural: governo oficializa prazo até 31/12
[09/11/2018] - Tereza: frete não pode esperar até janeiro
[09/11/2018] - Descumprir tabela do frete: multa de R$ 10,5 mil
[08/11/2018] - Arroba: mercado está devagar
[08/11/2018] - CEPEA: alguns frigoríficos pagam mais pelo boi
[08/11/2018] - Consumo de leite segue fraco
[08/11/2018] - Tereza Cristina será a nova titular do MAPA
[08/11/2018] - Nova ministra quer defender a propriedade
[07/11/2018] - Arroba: alta da carne pode puxar o preço do boi
[07/11/2018] - Reposição em alta em Rondônia
[07/11/2018] - Irã e Egito querem importar gado do RS
[07/11/2018] - Bolsonaro: decisão sobre Israel não está tomada
[07/11/2018] - Sergio Moro defende punição contra invasões
[07/11/2018] - Bancada participa da transição de governo
[07/11/2018] - Bancada ruralista sai fortalecida das eleições
[07/11/2018] - Minerva anuncia prejuízo e culpa alta do dólar
[07/11/2018] - Marfrig: margem com carne em alta nos EUA
[06/11/2018] - Arroba: frigoríficos tentam pagar menos pelo boi
[06/11/2018] - Reposição sobe há 18 semanas
[06/11/2018] - CEPEA: lácteos seguem em queda
[06/11/2018] - JBS fecha acordo bilionário para vender carne
[06/11/2018] - Exportações do agro faturaram 10% mais
[06/11/2018] - Retaliação árabe traz apreensão ao mercado
[06/11/2018] - Marfrig reduz prejuízo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br