Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
149,00 143,00 144,00
GO MT RJ
139,00 134,00 145,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1350,00
Garrote 18m 1570,00
Boi Magro 30m 1940,00
Bezerra 12m 970,00
Novilha 18m 1160,00
Vaca Boiadeira 1380,00

Atualizado em: 18/10/2018 10:22

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

CNA tenta acordo sobre frete sem o governo

 
 
 
Publicado em 11/06/2018

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) quer buscar um consenso com os caminhoneiros para o impasse gerado após a publicação da tabela de preços mínimos de frete. A entidade convidou representantes das associações de transportadores para reuniões na próxima semana, sem a intermediação do Palácio do Planalto, ministérios ou parlamentares.

O encontro deve ser realizado entre terça-feira e quarta-feira, dias 12 e 13 de junho. A visão, de ambos os lados, é que o governo mais atrapalha do que ajuda a solucionar a questão, ainda mais depois da trapalhada ocorrida na última quinta-feira, dia 8, com a publicação de um novo tabelamento que durou apenas quatro horas e teve que ser revogado.

“A CNA procurou os caminhoneiros porque nas reuniões do Fórum Permanente para o Transporte de Cargas ficou muito claro que a questão não é entre caminhoneiros e produtores rurais, que esses dois setores estão sendo sacrificados pelos desmandos das autoridades”, confirmou uma fonte da entidade. A CNA, no entanto, mantém a posição contrária à tabela de fretes e admite ir à justiça contra a aplicação dos valores mínimos caso não haja entendimento com a categoria dos caminhoneiros.

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, diz que não há conversas sobre extinção da tabela, mas confirma a busca por consenso com embarcadores e empresários sem a participação do governo. “Está havendo encaminhamento nessa linha, o caminho correto seria esse. Aceitamos a posição de haver negociação entre os presentes, sem governo. Vamos discutir o valor ideal, não pode ser mão grande”.

Ainda segundo Lopes, é possível ter um entendimento entre caminhoneiros e contratantes. "Tem que ver uma fórmula de negociar com os embarcadores, eles é que estão pegando pesado, que entendem que tem que derrubar a tabela. Não é assim que vai resolver o problema, é ter entendimento para os dois lados. Inclusive, tirar o governo nessa primeira negociação pra ver se entra em entendimento. Aí vamos puxar o governo para avalizar tudo o que foi discutido. Não é momento para ameaça de greve, a greve está em segundo plano agora. O que precisamos é bom senso pra chegar a denominador comum e isso a partir da semana que vem vai acontecer"

A tabela de preços mínimos de fretes já era uma demanda dos caminhoneiros na primeira grande greve, em 2015, mas o setor produtivo conseguiu convencer os transportadores da inviabilidade da medida. A pacificação para o fim da paralisação, na época, veio com a criação do Fórum Permanente para o Transporte Rodoviário de Cargas, em maio daquele ano, que reúne todos os agentes envolvidos e serve como órgão consultivo para a apresentação de propostas para este segmento. Ou seja, um ambiente de diálogo e tentativa de solucionar os problemas sem radicalismos.

Segundo uma fonte envolvida no debate, a situação ainda não foi solucionada porque o governo repete os mesmos erros do passado, além de estar mais fraco. “Como foi em 2015, o governo jogou caminhoneiros contra o agronegócio, mas o negócio deles é o transporte do agronegócio. Em 2015, o governo tentou botar a tabela, fomos convidados a discutir a tabela e desmontamos o desentendimento entre caminhoneiros e agronegócio. Dessa vez, eles não nos convidaram pra mesa, não tivemos acesso. O governo está tão desmoralizado que não sabe pra que lado correr”. Em reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, fala que o tabelamento "talvez não seja a melhor solução para os caminhoneiros e para a sociedade como um todo".

O setor produtivo quer mostrar para os caminhoneiros que “o buraco é mais embaixo” e engrossar o discurso contra o governo, principalmente para mostrar os velhos e repetitivos problemas no setor logístico. “Nosso problema não é com os caminhoneiros. Nosso custo logístico é 3 ou 4 vezes maior que dos americanos e argentinos. Os governos não fazem sua parte, mas não somos palhaços de governo nenhum. Então agora vamos entortar o governo de vez. Vamos engrossar, ir pra cima do governo. No setor portuário, por exemplo, desde antes de 2013 foram paralisadas as licitações, não saem, não aumentam capacidade portuária onde precisa para aumentar a competição. Quem está pagando para não ter licitação? Para emperrar esse país? Será que não tem gente aceitando esse jogo internacional para o Brasil não ir pra frente?”.

Na terça-feira, a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados vai realizar uma audiência pública para debater o aumento dos combustíveis e o impacto no setor agropecuário. Diversas entidades e autoridades foram convidadas para o encontro. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/10/2018] - Queda da arroba ganha força
[18/10/2018] - Produtividade do boi de SP é maior
[18/10/2018] - Carne bovina salva balança comercial de carnes
[18/10/2018] - Cuidado ao aderir ao Refis do Funrural
[18/10/2018] - Deputados reagem a nova demarcação no Paraná
[17/10/2018] - Senado prorroga adesão ao Refis do Funrural
[17/10/2018] - Arroba perde força e recua

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[17/10/2018] - Brasil não aproveita cota para vendas à UE
[17/10/2018] - Justiça aceita recuperação judicial de frigorífico
[17/10/2018] - BRF tenta acordo de leniência
[17/10/2018] - Milho: preços despencam e travam vendas
[17/10/2018] - Bancada já indica nomes ao MAPA de Bolsonaro
[17/10/2018] - Políticos já falam em taxar o agronegócio
[17/10/2018] - Reposição ganha força no Maranhão
[16/10/2018] - Exportações devem bater recorde novamente
[16/10/2018] - EUA prevêem que Brasil exportará mais carne
[16/10/2018] - Arroba: confinamento chega e pressiona o boi
[16/10/2018] - Consumo de carne dá sinais de melhora
[16/10/2018] - Leite: longa vida cai no atacado e no varejo
[16/10/2018] - PF vê fraudes praticadas pela BRF
[16/10/2018] - BRF diz ter tolerância zero
[16/10/2018] - MAPA: vigilância contra aftosa em Roraima
[15/10/2018] - Abílio Diniz é indiciado pela Carne Fraca
[15/10/2018] - Incêndio fecha unidade do Marfrig
[15/10/2018] - JBS tenta levantar US$ 500 mi para rolar dívidas
[15/10/2018] - Arroba: frigoríficos estão testando o mercado
[15/10/2018] - Reposição: preços vão subir?
[15/10/2018] - Carne recua no atacado
[15/10/2018] - Milho: compradores se retraem e preço cai
[15/10/2018] - Leite: preço afasta pecuaristas da atividade
[15/10/2018] - Confusão sobre Refis do Funrural só aumenta
[15/10/2018] - STF mantém liberação de gado em Santos
[15/10/2018] - Invasão de índios à Funai termina em morte
[11/10/2018] - Exportações do Agro devem chegar a R$ 100 bi
[11/10/2018] - Exportações de carne bovina devem bater R$ 7 bi
[11/10/2018] - Arroba: frigoríficos pressionam e mercado trava
[11/10/2018] - CEPEA: preço do boi oscila com força
[11/10/2018] - EUA batem recorde na exportação de carne
[10/10/2018] - Aliado detalha propostas de Bolsonaro para o Agro
[10/10/2018] - Bancada vai ao RJ para dar apoio a Bolsonaro
[10/10/2018] - Arroba: confinamento pressiona cotação do boi
[10/10/2018] - Preço da carne não caiu
[10/10/2018] - Leite: primeira queda em sete meses
[10/10/2018] - Custo para produzir leite continua subindo
[10/10/2018] - Novas regras devem facilitar o SISBOV
[10/10/2018] - Mato Grosso bate recorde de exportação de carne
[10/10/2018] - Senado deixa Funrural para o último dia
[09/10/2018] - Arroba: frigoríficos testam o mercado
[09/10/2018] - Carne tem preço firme no varejo
[09/10/2018] - Abrafrigo: exportações bateram recorde histórico
[09/10/2018] - Exportação começa outubro mantendo ritmo
[09/10/2018] - UE comprará mais carne bovina dos EUA
[09/10/2018] - Exportação de couro cresceu quase 20%
[09/10/2018] - Leite: preço do longa vida continua recuando
[09/10/2018] - JBS dobra capacidade em duas unidades
[09/10/2018] - CNA tenta cancelar audiência sobre frete
[08/10/2018] - Bolsonaro e Haddad farão segundo turno

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br