Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
153,00 138,00 145,00
GO MT RJ
139,00 138,00 142,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2060,00
Bezerra 12m 1050,00
Novilha 18m 1300,00
Vaca Boiadeira 1480,00

Atualizado em: 19/2/2019 11:10

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

A confusão sobre o fim do Refis do Funrural

 
 
 
Publicado em 04/10/2018

O esvaziamento do Congresso Nacional nas últimas semanas pode atrapalhar os planos do setor agropecuário de prorrogar mais uma vez o prazo do Refis do Funrural. Pior ainda, pode encurtá-lo.

Sem conseguir votar as propostas que tratam do tema durante o período eleitoral, a Medida Provisória que prevê a data para a adesão vai expirar na próxima quarta-feira, dia 10 de outubro, e perderá a validade. Mesmo que deputados e senadores corram para aprovar uma nova prorrogação, por meio de emenda em uma outra MP, não vai existir tempo hábil para a sanção do presidente da República, Michel Temer. Sem respaldo da lei, a Receita Federal afirma que deve encerrar o recebimento de pedidos para o refinanciamento das dívidas a partir da quarta-feira que vem. Sem a renegociação, os agricultores perdem os descontos e a possibilidade de parcelar o passivo em até 176 vezes.

“Considerando que a validade da MP é até 10 de outubro, hipoteticamente caso a MP expire sem ser votada, o dia 10 será o último dia para adesão. As adesões regularmente realizadas enquanto a MP estiver em vigor permanecerão válidas, independente da expiração ou não da MP”, destaca a Receita Federal em nota ao Canal Rural.

Na prática, a data final para aderir ao programa de refinanciamento do passivo do Funrural é 30 de outubro, como prevê a Medida Provisória 834/2018 que ainda está em vigor. Mas essa matéria não caminhou no Congresso e vai perder a validade na próxima quarta-feira, dia 10 de outubro. Por outro lado, os parlamentares já criaram uma emenda em outra MP, a 842/2018, para estender a adesão ao Refis até 31 de dezembro. A proposta vai ser votada no Senado na semana que vem. Mas para esse novo prazo realmente valer e a Receita Federal continuar recebendo os pedidos normalmente, sem interrupções, a matéria teria que ser aprovada e sancionada antes do dia 10.

Do contrário, haverá um limbo, um espaço de tempo entre o dia 10 de outubro (quando expira a MP 834) e a sanção da MP 842 (que estende o prazo até 31/12) sem nenhum amparo legal que permita a adesão ao Refis. Na prática, o prazo real volta a ser 30 de maio, como instituído em lei anteriormente, e já expirado.

Especialistas e advogados envolvidos no tema têm opiniões diferentes sobre essa situação. Alguns alertam para a necessidade de adesão até a semana que vem, para garantir os benefícios do programa de refinanciamento e não ficar na dependência de uma nova prorrogação, e outros que acham que nada de extraordinário vai acontecer e o Refis estará aberto até o fim do ano, com mais tempo para os agricultores se decidirem.

O deputado federal Jerônimo Goergen (Progressistas/RS), articulador do assunto em Brasília, garante que não há riscos. “Não tem problema nenhum, o governo negociou conosco na 842. A votação está marcada para o dia 9 no Senado, já foi aprovada na Câmara e vai ser aprovada no Senado. Está tudo dentro do normal. Não tem risco a partir da aprovação”, declarou.

O advogado Saulo Mesquita, que acompanha casos sobre o Funrural, concorda que isso tudo vai gerar um embaraço jurídico que pode causar mais insegurança aos produtores rurais. “Com a MP caducando não tem lei que ampare a extensão do prazo. A receita pode simplesmente não aceitar novos pedidos de adesão ao parcelamento. Apesar de essa matéria ter sido regulamentada por instrução normativa (baseada no prazo de 30 de outubro), a IN não está amparada em nenhuma lei ou decreto. Acredito que não vai acontecer, mas se ela quiser fazer assim, ela pode”.

Michel Temer terá 15 dias para sancionar a MP 842 a partir do momento que ela chegar ao Palácio do Planalto. Isso pode demorar muito mais de duas semanas e ficaria tudo para novembro. Existe ainda a possibilidade de o presidente vetar a prorrogação do prazo. Dessa forma, caberia ao Congresso derrubar o veto, o que pode ser uma missão muito difícil com o ritmo dos trabalhos em Brasília no fim do ano. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[19/02/2019] - Procuradoria deve cobrar R$ 2 bilhões da JBS
[19/02/2019] - Exportações de carne podem ter alta de quase 40%
[19/02/2019] - Frigoríficos tentam continuar a vender ao Irã
[19/02/2019] - Exportações de carne do MS batem recorde
[19/02/2019] - Arroba: pressão mesmo com oferta curta
[19/02/2019] - Leite longa vida sobe com menor produção
[19/02/2019] - Minerva tenta atrair interesse por ações

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/02/2019] - Estados aumentam impostos sobre o Agro
[18/02/2019] - Arroba: frigoríficos seguem tentando pagar menos
[18/02/2019] - Milho: procura está em alta
[18/02/2019] - Leite: governo tentará retaliar a UE
[18/02/2019] - Enchente mata meio milhão de bois
[15/02/2019] - Frigoríficos aumentam a pressão sobre o boi
[15/02/2019] - Carne: será que as vendas melhoram no Carnaval?
[15/02/2019] - Leite: governo ainda não aumentou tarifa da UE
[15/02/2019] - Leite: CEPEA mudará cálculo do preço ao produtor
[15/02/2019] - China fecha acordo para importar frango do Brasil
[15/02/2019] - Acordo com China puxa ações de frigoríficos
[15/02/2019] - JBS substitui Marfrig e assina parceria com ACNB
[15/02/2019] - Empresa da JBS tem prejuízo nos EUA
[15/02/2019] - Marfrig já está exportando ao Japão
[14/02/2019] - Carne: margem de lucro do varejo aumentou
[14/02/2019] - Arroba: o mercado está devagar?
[14/02/2019] - CEPEA: produtividade aumentou nos últimos anos
[14/02/2019] - Justiça pede explicações sobre fim da tarifa
[14/02/2019] - Produtores de leite protestam por falta de energia
[14/02/2019] - Indígenas plantam 18 mil hectares de grãos
[14/02/2019] - Tereza defende o direito de índios de produzir
[14/02/2019] - Funrural: produtor tem dúvidas sobre o pagamento
[14/02/2019] - Governo incentiva financiamento rural
[14/02/2019] - Frio extremo mata gado leiteiro nos EUA
[13/02/2019] - Leite: como o governo aumentará a tarifa da UE?
[13/02/2019] - Reforma aumenta contribuição rural ao INSS
[13/02/2019] - Conta de luz rural pode aumentar
[13/02/2019] - Arroba: oferta curta está puxando preço do boi
[13/02/2019] - Exportações de couro em alta
[13/02/2019] - Oferta de gado pode diminuir
[13/02/2019] - MT: utilização de capacidade dos frigos é recorde
[13/02/2019] - Falta reposição no Pará
[13/02/2019] - Exportações do agro batem US$ 102 bi em 1 ano
[13/02/2019] - Minerva quer incentivo fiscal para reabrir unidade
[12/02/2019] - Exportações: fevereiro já começou com recordes?
[12/02/2019] - Exportações à Rússia em 2019 já batem 2018
[12/02/2019] - Governo deve rever fim de taxa ao leite europeu
[12/02/2019] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[12/02/2019] - Reposição: expectativa pela chegada dos bezerros
[12/02/2019] - Carne: queda nos preços perde força
[12/02/2019] - Milho: produtor deve ter cautela
[12/02/2019] - Funrural: Abrafrigo diz que dívida não existe
[12/02/2019] - Crédito rural tem forte alta nas contratações
[12/02/2019] - Índios e produtores comemoram colheita juntos
[11/02/2019] - Arroba: pecuarista segura o boi esperando a alta
[11/02/2019] - Exportações de gado cresceram 55% em 1 ano
[11/02/2019] - Conta do boi não fecha, diz líder rural
[11/02/2019] - Ministério não vê danos com leite da UE
[11/02/2019] - Produtores pedem taxa sobre o leite em pó
[11/02/2019] - Milho: colheita não reduziu preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br