Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 142,00 140,00
GO MT RJ
137,00 133,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1370,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 1000,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1390,00

Atualizado em: 14/11/2018 10:38

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Índios querem produzir, apesar de ambientalistas

 
 
 
Publicado em 06/11/2018

A safra 2018/2019 entrou para a história da aldeia Bacaval, em Sapezal (MT), onde moram 3.000 índios das etnias pareci, manoki e nambikwara. Há 15 anos, eles produziam soja em parceria com agricultores da região, mas, com o fim do contrato autorizado pela Justiça, vão assumir o controle total das lavouras nesta temporada, formando uma cooperativa. O modelo é considerado pioneiro no estado e pode garantir renda anual de R$ 6 milhões.

O gerente técnico do grupo, Arnaldo Zunizakaê, destaca a competência dos trabalhadores. “Fomos preparados para isso. Investimos em capacitação. Não resta dúvida de que o trabalho está sendo bem feito, e vai produzir com a mesma qualidade de antes”, diz.

Enquanto os índios não conseguem acessar linhas de crédito, dois parceiros vão continuar dando suporte, financiando as aplicações e fornecimento de insumos. “A gente fez um termo de comodato. Eles nos repassam e pagamos em produção. É baixo custo, o mesmo que eles pagaram no mercado. Não cobram nada além disso”, conta o presidente da cooperativa, Ronaldo Zokezomaiake.

De 1,5 milhão de hectares ocupados pelos nativos, cerca de 17,5 mil costumam ser utilizados para o plantio de soja. Neste ano, a área será um pouco menor: 12 mil hectares, separados em quatro unidades. O plantio é feito inteiramente com cultivares convencionais, ou seja, sem ser geneticamente modificadas, e protegidas por defensivos biológicos.

O técnico garante que os índios atuam para preservar os recursos naturais e as áreas consideradas sagradas por eles. “Todo esse cuidado foi tomado. Está no nosso plano de gestão ambiental”, afirma.

Por dentro da produção

O trabalho de campo é idêntico ao realizado em qualquer fazenda. Segundo Zunizakaê, a aldeia conta com maquinários de qualidade e tecnologia de última geração.

O operador de tratores Moacir Parecis esbanja técnica e tranquilidade na atividade. Ele fez um curso de qualificação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) dez anos atrás e diz estar sempre atento às novidades do mercado. “Cada ano que passa, as coisas mudam. Nós já temos trator que planta sozinho. Você tem que se aperfeiçoar, senão fica para trás”, conta.

Outro agente importante para o sucesso do projeto é Lúcio Avelino Ozanazokaese. Formado em agronomia, é dele a responsabilidade sobre as áreas agrícolas da aldeia. O jovem acompanha o plantio da safra em detalhes até a fase final. “Em 2017, fechamos entre 58 e 60 sacas por hectare. Neste ano, a expectativa é de 60 ou 61”, diz.

Modelo para o resto do país

“Eu vejo isso aqui como uma saída para os povos indígenas no Brasil que vivem a miséria, a prostituição e o envolvimento com drogas dentro de seu território”, declara Zunizakaê.

O gerente técnico diz que eles pretendem continuar a atividade dentro da legalidade, respeitando as questões cultural e ambiental. “Vamos tornar o povo independente, principalmente economicamente. Trazendo qualidade de vida, moradia, educação, saúde e transporte”, diz.

Negócios travados

Três meses atrás toda a área de cultivo foi embargada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Procurado pela equipe do Canal Rural, o órgão alegou que o plantio impedia a regeneração de plantas nativas. Além disso, afirma ter recebido denúncia de que parte da soja utilizada seria transgênica, o que é proibido por lei em terras indígenas.

Zunizakaê diz que existe resistência por parte de alguns órgãos e ambientalistas quando se trata de produção em terras indígenas. Para ele, há certa pressão internacional para combater o desenvolvimento dos povos nativos. “Todos sabem que é derramado milhões de dinheiro para manter as unidades de terras indígenas como se fossem de preservação. Porém, esse dinheiro não chega ao território indígena”, afirma Zunizakaê.

O gerente diz que a Fundação Nacional do Índio (Funai) se mostra muito favorável ao projeto, assim como o Ministério Público. No entanto, o impasse permanece e a produção local não pode ser comercializada.

Direitos

Zokezomaiake diz que a cooperativa vai propor ao presidente da Funai a criação de uma Conferência Nacional de Agricultura para povos indígenas. “Nela, iremos expor todas as dificuldades e necessidades, como aquelas que podem ser atendidas pelo Estado. Todos os fatores que, hoje, são entraves”, conta.

O líder da cooperativa conta com o apoio do próximo presidente da República e dos parlamentares eleitos. “Falar que o índio é preguiçoso e que quer um monte de terra é fácil, o difícil é dar condições a ele”, enfatiza. Com informações do Canal Rural.

 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/11/2018] - Exportações têm o terceiro maior valor da história
[14/11/2018] - Exportações puxam abates no terceiro trimestre
[14/11/2018] - Funrural leva JBS a prejuízo
[14/11/2018] - Arroba: feriado não puxou preço do boi
[14/11/2018] - Exportação de boi cai com crise na Turquia
[14/11/2018] - Paraná: está mais caro repor o gado
[14/11/2018] - CNA pede que multas por frete sejam suspensas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/11/2018] - Carne Fraca ainda preocupa o MAPA
[13/11/2018] - Qual a previsão para a pecuária em 2019?
[13/11/2018] - Frigoríficos crêem em ano bom para eles
[13/11/2018] - STJ manda soltar Joesley Batista
[13/11/2018] - Arroba: prisão de Batista não afetou cotações
[13/11/2018] - Reposição: preços firmes para quem vende
[13/11/2018] - Atacado da carne segue sem definição
[13/11/2018] - Como estão as exportações em novembro?
[13/11/2018] - MAPA começa a fazer a transição
[13/11/2018] - Brasileiros vão à Venezuela combater a aftosa
[12/11/2018] - Justiça solta dois presos da Operação Capitu
[12/11/2018] - Operação começou por gravação com Geller
[12/11/2018] - Arroba: pressão de baixa diminuiu
[12/11/2018] - Carne: varejo segue devagar
[12/11/2018] - Milho sobe, depois de três meses de queda
[12/11/2018] - Tereza Cristina fala sobre o futuro do MAPA
[12/11/2018] - Minerva negocia investimento com árabes
[12/11/2018] - Crise não reduz consumo de carne na Argentina
[12/11/2018] - Mosca-dos-estábulos: como controlar?
[09/11/2018] - PF: Batista pagava para garantir monopólio à JBS
[09/11/2018] - Com Joesley preso, desconfiança volta à JBS
[09/11/2018] - Arroba: confinamento pressiona e o boi cai
[09/11/2018] - Preço do boi firme no RS
[09/11/2018] - Leite: segundo mês de queda para o produtor
[09/11/2018] - Leite: custo de produção tem leve queda
[09/11/2018] - Milho: pressão de baixa pode acabar
[09/11/2018] - Funrural: governo oficializa prazo até 31/12
[09/11/2018] - Tereza: frete não pode esperar até janeiro
[09/11/2018] - Descumprir tabela do frete: multa de R$ 10,5 mil
[08/11/2018] - Arroba: mercado está devagar
[08/11/2018] - CEPEA: alguns frigoríficos pagam mais pelo boi
[08/11/2018] - Consumo de leite segue fraco
[08/11/2018] - Tereza Cristina será a nova titular do MAPA
[08/11/2018] - Nova ministra quer defender a propriedade
[07/11/2018] - Arroba: alta da carne pode puxar o preço do boi
[07/11/2018] - Reposição em alta em Rondônia
[07/11/2018] - Irã e Egito querem importar gado do RS
[07/11/2018] - Bolsonaro: decisão sobre Israel não está tomada
[07/11/2018] - Sergio Moro defende punição contra invasões
[07/11/2018] - Bancada participa da transição de governo
[07/11/2018] - Bancada ruralista sai fortalecida das eleições
[07/11/2018] - Minerva anuncia prejuízo e culpa alta do dólar
[07/11/2018] - Marfrig: margem com carne em alta nos EUA
[06/11/2018] - Arroba: frigoríficos tentam pagar menos pelo boi
[06/11/2018] - Reposição sobe há 18 semanas
[06/11/2018] - CEPEA: lácteos seguem em queda
[06/11/2018] - JBS fecha acordo bilionário para vender carne
[06/11/2018] - Exportações do agro faturaram 10% mais
[06/11/2018] - Retaliação árabe traz apreensão ao mercado
[06/11/2018] - Marfrig reduz prejuízo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br