Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 142,00 140,00
GO MT RJ
137,00 133,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1370,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 1000,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1390,00

Atualizado em: 14/11/2018 10:38

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Retaliação árabe traz apreensão ao mercado

 
 
 
Publicado em 06/11/2018

Uma eventual retaliação dos países árabes ao Brasil por conta de declarações pró-Israel do presidente eleito Jair Bolsonaro teria impacto negativo nas exportações brasileiras a médio prazo, especialmente de carnes, segundo especialistas em comércio exterior. O Brasil é o maior exportador de carne Halal do mundo, isto é, com os animais abatidos sem sofrimento, seguindo os preceitos da religião muçulmana. Nos frigoríficos certificados por religiosos muçulmanos, as linhas de abate, por exemplo, estão voltadas para Meca.

“Não acredito em rompimento de relações diplomáticas e comerciais, mas os árabes poderão preferir outros concorrentes brasileiros, não certificar novas plantas para o abate Halal ou não renovar a certificação”, alerta Welber Barral, ex-secretário de Comércio Exterior do Ministério de Indústria e Comércio. Ele destaca que o mercado árabe paga preço adicional pelo produto Halal.

No ano passado, as exportações de frango Halal, por exemplo, renderam ao País US$ 3,2 bilhões e responderam por 45% das receitas totais de vendas externas do produto, segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Para José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), “algumas palavras políticas hoje poderão ter reflexos negativos na área econômica”, ressalta. Na sua opinião, todos os desencontros que ocorreram na semana pós-eleição mostram a descoordenação da novo governo. “O reflexo negativo recai na economia e, no caso das exportações, o dano só não será maior porque não há fornecedores alternativos a alguns produtos”, pondera.

Castro destaca que, juntos, os países do Oriente Médio representaram 4% das exportações totais brasileiras de janeiro a outubro deste ano, cerca de US$ 8 bilhões, uma participação superior à da África , que foi de 3,4%. O economista ressalta que os países árabes têm muito dinheiro e, por isso, são mercados com potencial de crescimento muito grande.

O presidente da AEB lembra que o Egito é um dos poucos países que o Brasil tem acordo comercial porque negocia muitos produtos, cerca de 800. Isso significa que, a princípio, a retaliação que o país poderia fazer em relação ao produtos brasileiros não seria imediata porque existe um precedente que é o bom relacionamento.

De toda forma, o mercado já coloca no radar os efeitos negativos no lado comercial. A XP Investimentos, por exemplo, informou, por meio de nota, que “ainda que nada tenha sido confirmado, a mesa de Commodities da XP Investimentos chama a atenção para os possíveis impactos futuros desta medida ao agronegócio brasileiro, seja por parte do Egito ou por parte de algum dos outros países envolvidos no conflito Palestina/Israel”. O Egito foi o 3.º maior comprador da carne bovina brasileira, 146,95 mil toneladas e participação de 12,1%.

Procurada, a Abiec, que reúne os exportadores de carne não quis se pronunciar. A ABPA, por meio de nota, disse que “acredita que esta questão será novamente avaliada no início do novo governo.”

Para o diretor da MB Agro, José Carlos Hausknecht, o estremecimento das relações entre Brasil e Egito pode afetar as vendas de açúcar para os países árabes. O Brasil exporta cerca de 28 milhões de toneladas de açúcar por ano-safra. Só para o Egito, foram embarcadas no ano passado 1,5 milhão de toneladas. “Não dá para se ter um impacto sobre as exportações ainda, mas o bloco árabe é um importante mercado para o Brasil”, disse Hausknecht. Procurada a União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica) não se posicionou. Com informações da Gazeta do Povo.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/11/2018] - Exportações têm o terceiro maior valor da história
[14/11/2018] - Exportações puxam abates no terceiro trimestre
[14/11/2018] - Funrural leva JBS a prejuízo
[14/11/2018] - Arroba: feriado não puxou preço do boi
[14/11/2018] - Exportação de boi cai com crise na Turquia
[14/11/2018] - Paraná: está mais caro repor o gado
[14/11/2018] - CNA pede que multas por frete sejam suspensas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/11/2018] - Carne Fraca ainda preocupa o MAPA
[13/11/2018] - Qual a previsão para a pecuária em 2019?
[13/11/2018] - Frigoríficos crêem em ano bom para eles
[13/11/2018] - STJ manda soltar Joesley Batista
[13/11/2018] - Arroba: prisão de Batista não afetou cotações
[13/11/2018] - Reposição: preços firmes para quem vende
[13/11/2018] - Atacado da carne segue sem definição
[13/11/2018] - Como estão as exportações em novembro?
[13/11/2018] - MAPA começa a fazer a transição
[13/11/2018] - Brasileiros vão à Venezuela combater a aftosa
[12/11/2018] - Justiça solta dois presos da Operação Capitu
[12/11/2018] - Operação começou por gravação com Geller
[12/11/2018] - Arroba: pressão de baixa diminuiu
[12/11/2018] - Carne: varejo segue devagar
[12/11/2018] - Milho sobe, depois de três meses de queda
[12/11/2018] - Tereza Cristina fala sobre o futuro do MAPA
[12/11/2018] - Minerva negocia investimento com árabes
[12/11/2018] - Crise não reduz consumo de carne na Argentina
[12/11/2018] - Mosca-dos-estábulos: como controlar?
[09/11/2018] - PF: Batista pagava para garantir monopólio à JBS
[09/11/2018] - Com Joesley preso, desconfiança volta à JBS
[09/11/2018] - Arroba: confinamento pressiona e o boi cai
[09/11/2018] - Preço do boi firme no RS
[09/11/2018] - Leite: segundo mês de queda para o produtor
[09/11/2018] - Leite: custo de produção tem leve queda
[09/11/2018] - Milho: pressão de baixa pode acabar
[09/11/2018] - Funrural: governo oficializa prazo até 31/12
[09/11/2018] - Tereza: frete não pode esperar até janeiro
[09/11/2018] - Descumprir tabela do frete: multa de R$ 10,5 mil
[08/11/2018] - Arroba: mercado está devagar
[08/11/2018] - CEPEA: alguns frigoríficos pagam mais pelo boi
[08/11/2018] - Consumo de leite segue fraco
[08/11/2018] - Tereza Cristina será a nova titular do MAPA
[08/11/2018] - Nova ministra quer defender a propriedade
[07/11/2018] - Arroba: alta da carne pode puxar o preço do boi
[07/11/2018] - Reposição em alta em Rondônia
[07/11/2018] - Irã e Egito querem importar gado do RS
[07/11/2018] - Bolsonaro: decisão sobre Israel não está tomada
[07/11/2018] - Sergio Moro defende punição contra invasões
[07/11/2018] - Bancada participa da transição de governo
[07/11/2018] - Bancada ruralista sai fortalecida das eleições
[07/11/2018] - Minerva anuncia prejuízo e culpa alta do dólar
[07/11/2018] - Marfrig: margem com carne em alta nos EUA
[06/11/2018] - Arroba: frigoríficos tentam pagar menos pelo boi
[06/11/2018] - Reposição sobe há 18 semanas
[06/11/2018] - CEPEA: lácteos seguem em queda
[06/11/2018] - JBS fecha acordo bilionário para vender carne
[06/11/2018] - Exportações do agro faturaram 10% mais
[06/11/2018] - Retaliação árabe traz apreensão ao mercado
[06/11/2018] - Marfrig reduz prejuízo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br