Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 142,00 140,00
GO MT RJ
137,00 133,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1370,00
Garrote 18m 1600,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 1000,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1390,00

Atualizado em: 14/11/2018 10:38

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Exportações do agro faturaram 10% mais

 
 
 
Publicado em 06/11/2018

As exportações com origem no campo brasileiro tiveram de janeiro a setembro um faturamento 10% superior ao do mesmo período do ano passado, puxado pelo maior volume embarcado e pela desvalorização do real. A expectativa é que o bom resultado garanta a capacidade de investimento e fortalecimento do setor no País na safra 2018/19, segundo o Índice de Exportações do Agronegócio do terceiro trimestre, divulgado na segunda-feira (5) pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz).

O faturamento subiu a US$ 76 bilhões. Apesar da redução nas vendas ao exterior de oito dos 15 principais produtos, apenas três tiveram receita menor nos primeiros nove meses deste ano. No caso das frutas, por exemplo, houve redução de 1,2% no volume exportado e alta de 27,9% nos valores recebidos.

Conforme o Cepea, os preços médios em dólar recuaram 1%, mesmo índice em que houve aumento no volume. Ao mesmo tempo, a desvalorização do real em relação ao dólar levou ao aumento no faturamento, puxado pelo bom momento de produtos como o complexo da soja, a carne bovina, o suco de laranja, as frutas e madeira. "O agronegócio se beneficiou, e muito, pela alta do dólar, mesmo com o contexto conturbado que vivemos no Brasil e com as oscilações causadas pela política", diz o analista técnico da Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), Maiko Zanella.

A guerra comercial entre Estados Unidos e China também provocou um aumento nos prêmios pagos em portos por grãos brasileiros, diz o professor de economia Eugenio Stefanelo, da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e da FAE. "O prêmio pago no porto tem sido alto, em torno de US$ 2,50 (R$ 9,31, pela cotação de 05/11), e reflete os fundamentos de oferta e demanda porque a China é o principal parceiro comercial do Brasil", afirma.

Stefanelo lembra ainda que as exportações de carnes, que sofreram com alguns embargos como os propostos pela União Europeia e pela China para o frango, acabaram com bom faturamento diante de problemas sanitários em países importadores. "Apesar de tudo, doenças como a gripe aviária na China e pestes suínas na Europa e na Rússia fizeram com que esse pessoal se voltasse para a carne brasileira, também em meio à guerra comercial com os Estados Unidos."

De acordo com o Cepea, o agronegócio continua a ser um dos principais setores a contribuir para o aumento das reservas em dólares. "Em termos de indicadores macroeconômicos, a inflação ao redor da meta e a redução nas taxas de juros podem favorecer os investimentos na produção agrícola, o que contribui para que a oferta brasileira de alimentos, fibras e energia continue em expansão", informa no estudo. Ainda, aponta para a tendência de firme demanda por parte da China.

Para Zanella, o Brasil tem muito a crescer em área plantada, produção, produtividade e exportação no agronegócio e há crédito disponível, principalmente para pequenos e médios agricultores. Porém, diz que os investimentos devem levar em conta o custo dos insumos, que também variaram para cima por conta da desvalorização do real. "No Paraná, as cooperativas têm se destacado pelo profissionalismo e passam pela crise de forma mais tranquila e com esse aumento no faturamento nas exportações", diz. A Ocepar estima que o faturamento desse tipo de associações paranaenses do campo cresça 16,9%, de R$ 58,5 bilhões em 2017 para R$ 67,9 bilhões em 2018.

Para o professor de economia da UFPR, porém, o desempenho nas vendas ao exterior permite ao produtor intensificar o uso de tecnologias no campo, como já ocorre com a soja. "Exportaremos mais de 76 milhões de toneladas de soja e mais de 26 milhões de milho neste ano", diz. "Apesar de um eventual aumento de custos, o produtor cada vez mais sabe que não pode usar uma tecnologia 'meia-boca', ou perde em produtividade e faturamento." Com informações da Folha de Londrina.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/11/2018] - Exportações têm o terceiro maior valor da história
[14/11/2018] - Exportações puxam abates no terceiro trimestre
[14/11/2018] - Funrural leva JBS a prejuízo
[14/11/2018] - Arroba: feriado não puxou preço do boi
[14/11/2018] - Exportação de boi cai com crise na Turquia
[14/11/2018] - Paraná: está mais caro repor o gado
[14/11/2018] - CNA pede que multas por frete sejam suspensas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/11/2018] - Carne Fraca ainda preocupa o MAPA
[13/11/2018] - Qual a previsão para a pecuária em 2019?
[13/11/2018] - Frigoríficos crêem em ano bom para eles
[13/11/2018] - STJ manda soltar Joesley Batista
[13/11/2018] - Arroba: prisão de Batista não afetou cotações
[13/11/2018] - Reposição: preços firmes para quem vende
[13/11/2018] - Atacado da carne segue sem definição
[13/11/2018] - Como estão as exportações em novembro?
[13/11/2018] - MAPA começa a fazer a transição
[13/11/2018] - Brasileiros vão à Venezuela combater a aftosa
[12/11/2018] - Justiça solta dois presos da Operação Capitu
[12/11/2018] - Operação começou por gravação com Geller
[12/11/2018] - Arroba: pressão de baixa diminuiu
[12/11/2018] - Carne: varejo segue devagar
[12/11/2018] - Milho sobe, depois de três meses de queda
[12/11/2018] - Tereza Cristina fala sobre o futuro do MAPA
[12/11/2018] - Minerva negocia investimento com árabes
[12/11/2018] - Crise não reduz consumo de carne na Argentina
[12/11/2018] - Mosca-dos-estábulos: como controlar?
[09/11/2018] - PF: Batista pagava para garantir monopólio à JBS
[09/11/2018] - Com Joesley preso, desconfiança volta à JBS
[09/11/2018] - Arroba: confinamento pressiona e o boi cai
[09/11/2018] - Preço do boi firme no RS
[09/11/2018] - Leite: segundo mês de queda para o produtor
[09/11/2018] - Leite: custo de produção tem leve queda
[09/11/2018] - Milho: pressão de baixa pode acabar
[09/11/2018] - Funrural: governo oficializa prazo até 31/12
[09/11/2018] - Tereza: frete não pode esperar até janeiro
[09/11/2018] - Descumprir tabela do frete: multa de R$ 10,5 mil
[08/11/2018] - Arroba: mercado está devagar
[08/11/2018] - CEPEA: alguns frigoríficos pagam mais pelo boi
[08/11/2018] - Consumo de leite segue fraco
[08/11/2018] - Tereza Cristina será a nova titular do MAPA
[08/11/2018] - Nova ministra quer defender a propriedade
[07/11/2018] - Arroba: alta da carne pode puxar o preço do boi
[07/11/2018] - Reposição em alta em Rondônia
[07/11/2018] - Irã e Egito querem importar gado do RS
[07/11/2018] - Bolsonaro: decisão sobre Israel não está tomada
[07/11/2018] - Sergio Moro defende punição contra invasões
[07/11/2018] - Bancada participa da transição de governo
[07/11/2018] - Bancada ruralista sai fortalecida das eleições
[07/11/2018] - Minerva anuncia prejuízo e culpa alta do dólar
[07/11/2018] - Marfrig: margem com carne em alta nos EUA
[06/11/2018] - Arroba: frigoríficos tentam pagar menos pelo boi
[06/11/2018] - Reposição sobe há 18 semanas
[06/11/2018] - CEPEA: lácteos seguem em queda
[06/11/2018] - JBS fecha acordo bilionário para vender carne
[06/11/2018] - Exportações do agro faturaram 10% mais
[06/11/2018] - Retaliação árabe traz apreensão ao mercado
[06/11/2018] - Marfrig reduz prejuízo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br