Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
153,00 139,00 149,00
GO MT RJ
139,00 140,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1500,00
Garrote 18m 1820,00
Boi Magro 30m 2080,00
Bezerra 12m 1150,00
Novilha 18m 1370,00
Vaca Boiadeira 1530,00

Atualizado em: 18/7/2019 11:23

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Produtores rurais apoiam decreto das armas

 
 
 
Publicado em 16/05/2019

A cada dez dias, um helicóptero com cinco policiais percorre fazendas da região de Sorriso (MT), cidade que é a maior produtora de soja do Brasil. Em algumas propriedades, os tripulantes descem e conversam com grupos de fazendeiros das redondezas sobre segurança no campo.

As principais recomendações: evitem construir paredões verdes, cercas vivas e muros opacos, que facilitam a ação de delinquentes; cuidem do entorno da propriedade como se fosse parte dela, para evitar o aspecto de abandono; invistam o quanto puder em iluminação.

E mais importante: formem teias de contato por WhatsApp e outras redes sociais para avisar ao menor sinal de perigo.

O projeto foi implantado no início do ano, uma parceria do Sindicato Rural de Sorriso (400 km ao norte de Cuiabá) com o Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas) do governo do estado, que reúne as polícias militar e civil e o corpo de bombeiros.

O que motivou a iniciativa, diz Tiago Stefanello, presidente do sindicato, foram os altos níveis de violência no campo. "A invasão de propriedades chegou num ponto inaceitável", diz ele.

Por isso, os produtores rurais do norte de Mato Grosso, uma das regiões onde o agronegócio é mais forte no país, aplaudiram efusivamente as medidas anunciadas pelo governo de facilitação de posse e uso de armas de fogo nas propriedades rurais, anunciadas nesta semana.

As principais ocorrências são roubo de fertilizantes e defensivos agrícolas, que são fortemente afetados pela alta do dólar e por isso nunca estiveram tão caros (uma tonelada de adubo, suficiente para dois hectares plantados, subiu de US$ 350 para US$ 390 em um ano).

Também há furto de sementes, cabeças de gado e máquinas. Em alguns casos, os bandidos usam de violência, agredindo e amarrando proprietários rurais e caseiros.

E há também a sempre presente possibilidade de ação de grupos de sem-terra, embora essa ameaça tenha sido reduzida nos últimos dois anos, afirma Stefanello. "Eles entraram na minha propriedade uns anos atrás, mas foram convencidos a se retirar de um jeito muito persuasivo", diz ele, que mobilizou policiais na época para removê-los.

Natural de Ibirubá (RS), Stefanello, 41, migrou para o Mato Grosso em 2000 para trabalhar numa propriedade como engenheiro agrônomo, mais um entre milhares de sulistas que vieram tentar a vida no Cerrado. Hoje, planta soja e milho.

Stefanello é eleitor de Bolsonaro e diz que 99% dos 620 fazendeiros que seu sindicato representa apoiaram o capitão na eleição. "Ele é contra invasão de terras e o aparelhamento do Incra, que nos trouxe muito prejuízo", afirma. Uma de suas ações à frente do sindicato foi distribuir bandeiras do Brasil para os produtores.. "Temos que reforçar o patriotismo", diz.

Em Sinop (MT), cidade vizinha que também é um pólo produtor de soja, Ilson Redivo, 62, catarinense de Caçador que migrou há 30 anos para a região, diz que as medidas adotadas por Bolsonaro para facilitar o uso de armas nas fazendas vão fazer a lei valer para todos.

"Se o cara vai lá na fazenda, chumbo grosso nele. Você primeiro atira e depois pergunta o que ele foi fazer lá", afirma Redivo, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais da cidade.

Segundo ele, a Polícia Militar no município mal tem condição de oferecer segurança urbana para a cidade de 140 mil habitantes, considerada a "capital do Nortão de Mato Grosso".

"A lei do desarmamento desarmou o cidadão de bem", afirma ele, que mantém um adesivo de Bolsonaro em seu computador de trabalho. "O Estado não tem condição de prover segurança, é preciso dar condições às pessoas de se defenderem".

Dezenas de grupos de WhatsApp coordenados pelo sindicato deixam os produtores em alerta constante para episódios de invasão à propriedade.

Assim como em Sorriso, em Sinop o principal problema é o roubo de fertilizantes e defensivos. "Roubo de defensivo tinha que ser crime inafiançável como é o tráfico de drogas. Quem sabe o Bolsonaro não muda isso também?," pede. Com informações do Zero Hora.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[17/07/2019] - Exportações devem crescer com doença na China
[17/07/2019] - Arroba: como ficará o preço do boi em agosto?
[17/07/2019] - Preço da carne subiu no atacado
[17/07/2019] - Arroba: frigoríficos pressionam a arroba do boi
[17/07/2019] - Rebanho bovino cresceu no Mato Grosso
[17/07/2019] - Crise eleva abates de vacas na Argentina
[17/07/2019] - Deputado quer proibir cães na caça ao javali

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[17/07/2019] - ANTT aprova mudanças na tabela de frete
[16/07/2019] - Como estão as exportações de carne em julho?
[16/07/2019] - Arroba: mercado devagar e indefinido
[16/07/2019] - Exportações de carne do MS cresceram 60%
[16/07/2019] - Turquia está importando menos bois do Brasil
[16/07/2019] - PIB da Pecuária sobe e evita queda maior do Agro
[16/07/2019] - Mercosul avança em novos acordos comerciais
[16/07/2019] - Impostos travam investimento na pecuária do MT
[16/07/2019] - Agro: 97% das exportações do Mato Grosso
[16/07/2019] - Indenizações sanitárias em alta no RS
[15/07/2019] - Há espaço para uma alta da arroba do boi?
[15/07/2019] - Arroba: o que está segurando uma alta do boi?
[15/07/2019] - Pecuária mostra força e puxa vendas do Agro
[15/07/2019] - Milho: exportações seguem fortes
[15/07/2019] - Milho: recordes travam negócios
[15/07/2019] - Acordo UE-Mercosul: agora, italianos protestam
[12/07/2019] - Fusão BRF-Marfrig não vai acontecer
[12/07/2019] - Por que a fusão BRF-Marfrig fracassou?
[12/07/2019] - PIB da Pecuária deve crescer mais de 7%
[12/07/2019] - Arroba: consumo interno está segurando o boi
[12/07/2019] - Reposição: mercado congela com tempo frio
[12/07/2019] - MAPA marca auditoria para retirar vacina no RS
[12/07/2019] - Acordo com a UE pode começar a valer em 2 anos
[12/07/2019] - Produtores não aceitam imposto maior no MT
[12/07/2019] - Polícia prende cobradores de dívidas rurais
[11/07/2019] - Arroba: frio pressiona o preço do boi
[11/07/2019] - Mercado paga mais por bezerro precoce
[11/07/2019] - Acordo define o futuro da Itambé
[11/07/2019] - Reforma da Previdência é aprovada na Câmara
[11/07/2019] - Justiça manda expulsar milhares de produtores
[11/07/2019] - Europeus protestam contra acordo UE-Mercosul
[11/07/2019] - Portugueses: acordo com Mercosul é desleal
[11/07/2019] - Vaca louca pode estar presente em humanos
[10/07/2019] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[10/07/2019] - Reposição: arroba indefinida travou o mercado
[10/07/2019] - Exportações de carne bovina podem surpreender
[10/07/2019] - Brasil e Paraguai reforçarão vigilância sanitária
[10/07/2019] - Frigoríficos: MS vai dar mais incentivos fiscais?
[10/07/2019] - Ásia: mais de 4 milhões de suínos sacrificados
[09/07/2019] - Arroba: feriado em SP travou negócios
[09/07/2019] - Rússia mantêm bloqueio à carne dos EUA e da UE
[09/07/2019] - MAPA edita norma para importação de animais
[09/07/2019] - Surto de raiva obriga 200 pecuaristas a vacinar
[09/07/2019] - Maia espera aprovar previdência até amanhã
[09/07/2019] - CNA quer que inscrição no CAR seja definitiva
[09/07/2019] - MP sobre transporte não acabará com tabela
[08/07/2019] - Frio intenso pode matar bois nas fazendas
[08/07/2019] - Frigoríficos seguem otimistas com exportações
[08/07/2019] - Abiec diz que acordo facilita novas negociações
[08/07/2019] - Atacado da carne tem alta de preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br