Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
163,00 153,00 158,00
GO MT RJ
148,00 147,00 156,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1540,00
Garrote 18m 1850,00
Boi Magro 30m 2160,00
Bezerra 12m 1200,00
Novilha 18m 1410,00
Vaca Boiadeira 1540,00

Atualizado em: 23/10/2019 10:13

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos: MS vai dar mais incentivos fiscais?

 
 
 
Publicado em 10/07/2019

Fechamentos de unidades de abate que “surpreendem” com a geração de centenas de desempregados, evasão fiscal decorrente de produtos transportados ilegalmente a outros Estados e valorização de um item que, por anos, foi motivo de orgulho para Mato Grosso do Sul. Estes e outros pontos foram destacados durante audiência pública na tarde desta terça-feira (9) na Assembleia Legislativa, em Campo Grande, visando a discutir os desafios da indústria frigorífica no Estado, e que resultará em uma carta de intenções a ser levada a diferentes órgãos estaduais e federais para tentar um novo fortalecimento da cadeia estadual da carne.

Durante os debates no plenário Julio Maia, também vieram à tona dois fatos que ainda geram repercussão: o repentino fechamento de uma unidade arrendada pelo frigorífico Marfrig em Paranaíba –a 422 km de Campo Grande–, que deixou cerca de 700 desempregados; e cobranças por incentivos fiscais diferenciados pelo Estado, seguindo as necessidades de cada região conforme sua proximidade com mercados produtores e consumidores.

“A ideia é elaborar uma carta de princípios com o resumo de tudo o que foi abordado e tomar providências dentro daquilo que nos passaram como dificuldade”, disse o deputado estadual João Henrique Catan (PL), que propôs a audiência. Ele citou entre uma das questões a serem enfrentadas a venda clandestina de carne para São Paulo, que faz compradores deixarem de recolher os 12% de imposto e “de forma criminosa causam prejuízo em toda a cadeia”.

Catan também destacou que pretende solicitar incentivos à tecnologia e qualificação da mão de obra das indústrias, garantindo mais desossa nos frigoríficos locais, adoção de cortes especiais para agregar valor ao produto e revitalização de segmentos “que estão começando a dar sinais de cansaço”. “Conseguimos ampliar em 180 graus nosso campo de visão para trazer ao governo como implantar um modelo de política pública para o setor”, disse.

O evento serviu também como palco de reclamações sobre ações recentes no setor. O fechamento da unidade do Marfrig em Paranaíba foi um exemplo. “Fomos dormis com 700 postos de emprego e acordamos com 700 desempregados”, afirmou o prefeito Ronaldo Miziara (PSDB), segundo quem os efeitos do desemprego se alastraram pela economia, sobretudo sobre os pequenos comerciantes.

O fechamento da unidade chamou a atenção por ocorrer, conforme Catan, há sete meses do encerramento do contrato de arrendamento do Margen. “Como pode uma planta pagando aluguel, pelo que nos apresentaram, de R$ 500 mil por mês, para não funcionar? Por que não deixar os proprietários alugarem, fazer contrato com as 14 licenças?”, questionou o deputado, ao afirmar que representantes da indústria foram convidados para a audiência.

Tomazoni (em pé à esquerda) solicitou incentivos fiscais diferenciados para o setor. (Foto: Humberto Marques)Tomazoni (em pé à esquerda) solicitou incentivos fiscais diferenciados para o setor. (Foto: Humberto Marques)

Representando o governo do Estado, o adjunto de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Ricardo Sena, destacou que o governo estadual estabelece critérios claros para conceder incentivos a empresas do setor, que devem cumprir regras rígidas. Segundo ele, o Marfrig deve prestar esclarecimentos.

Da mesma forma, o prefeito Jeferson Tomazoni (MDB), de São Gabriel do Oeste –a 140 km da Capital– cobrou a proposição de incentivos fiscais diferenciados por região. Ele destacou que o norte do Estado tem maior proximidade com Mato Grosso, outro grande mercado produtor, “diferente de outras que são mais próximas de São Paulo e outros grandes consumidores”. Nesse sentido, porém, o proponente da audiência lembrou que tais políticas são acordadas no Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária, com participação de outros Estados).

“Mas o cuidado deve ser grande porque essa política de regionalizar incentivos não pode ser levada na plenitude, podendo consertar um lugar e desarranjar outro”, advertiu Catan. “Se for mexer, é preciso muito cuidado”, prosseguiu, apontando também influência dos mercados internacionais nesse campo.

Resultados – O empresário Regis Comarella, do Sicadems (Sindicato das Indústrias de Frios, Carnes e Derivados do Estado), lembrou que o maior problema que atinge os frigoríficos está focado na parte tributária. Por isso, enquanto os debates aconteciam em Campo Grande, muitos participantes mantinham os olhares para Brasília, à espera de notícias sobre a reforma previdenciária –que deve anteceder a tributária.

“Quem sabe com a reforma a gente consiga fazer investimentos, reduzindo a carta tributária. Uma indústria forte representa um país forte, com o pecuarista bem remunerado”, destacou Comarella. “Torcemos para que a economia do país fique forte. A economia voltando a movimentar, com certeza, melhora tudo”, emendou o também empresário Sergio Capucci.

Sena pontuou que o debate foi positivo, também, para trazer a cadeia da carne para discutir políticas públicas. “Dessa forma avançamos muito na criação de programas como o Precoce-MS e o Programa de Carne Orgânica e Carne Sustentável do Pantanal, entre outros”, considerou. Já Marcelo Bertone, representante da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) na audiência, destacou que a intenção da entidade foi ouvir os reclames a fim de se alinhar no apoio que for necessário. “Após entendermos o processo conversamos com o governo em busca das diretrizes a serem tomadas”. Com informações do Campo Grande News.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/10/2019] - Alta do boi deve continuar
[23/10/2019] - Exportações e entressafra estão puxando a arroba
[23/10/2019] - Arroba do boi continua em alta
[23/10/2019] - Carne sobe e reforça otimismo com o boi
[23/10/2019] - Quais negócios Bolsonaro planeja fechar na China?
[23/10/2019] - Polícia fecha frigorífico clandestino em fazenda
[23/10/2019] - CPI aprova relatório sem PT mas com JBS
[23/10/2019] - Chineses compram frigorífico na Argentina

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/10/2019] - Frigorífico é salvo por exportações à China
[22/10/2019] - Investidores otimistas com frigoríficos
[22/10/2019] - Exportações de carne caem, mas projetam recorde
[22/10/2019] - Carne sobe forte no atacado
[22/10/2019] - Arroba: confinamento não segura a alta do boi
[22/10/2019] - Mercado está otimista com o preço futuro do boi
[22/10/2019] - Está faltando boi no Mato Grosso
[22/10/2019] - CPI do BNDES pode ficar sem relatório final
[22/10/2019] - Preço do leite cai no RS
[22/10/2019] - Tereza chega à China para discutir exportações
[22/10/2019] - Aprovada renegociação de dívidas ruraiis
[21/10/2019] - Arroba: mercado vai para onde?
[21/10/2019] - Especulação no mercado de reposição
[21/10/2019] - Bolsonaro vai ao Oriente em busca de mercados
[21/10/2019] - JBS confirma que estuda venda de ações em NY
[21/10/2019] - Mercado reduz previsão de inflação
[21/10/2019] - Milho:preços sobem há 5 semanas
[21/10/2019] - Bolsonaro dá prazo para regularização ambiental
[18/10/2019] - O boi vai parar de subir?
[18/10/2019] - Arroba: boi segue em alta firme
[18/10/2019] - Americanos estimam que Brasil baterá recordes
[18/10/2019] - Como está o preço do boi em Santa Catarina?
[18/10/2019] - MP investigará incentivos dados à JBS
[18/10/2019] - CPI tentará aprovar relatório sem petistas
[18/10/2019] - Preço da uréia está menor em 2019
[18/10/2019] - Prioridade do Incra é a regularização de terras
[17/10/2019] - Arroba: boi sobe e frigoríficos oferecem mais
[17/10/2019] - CEPEA: boi e carne batem recordes de preço
[17/10/2019] - Preço do boi dispara também nos Estados Unidos
[17/10/2019] - Relator tira Lula e Dilma da CPI do BNDES
[17/10/2019] - Justiça absolve Temer em conversa com Joesley
[17/10/2019] - JBS prepara reestruturação
[17/10/2019] - Novo presidente do INCRA é pecuarista
[16/10/2019] - Mercado futuro já sinaliza arroba a R$ 170
[16/10/2019] - Estiagem prolongada preocupa pecuaristas no MS
[16/10/2019] - Qual a tendência para a arroba do boi?
[16/10/2019] - Reposição: oferta está curta em Goiás
[16/10/2019] - Varejo tenta puxar para cima o preço da carne
[16/10/2019] - BNDES: funcionários estariam travando venda da JBS
[16/10/2019] - Presidente da CPI do BNDES acusa Batistas e PT
[16/10/2019] - Bolsonaro tentará negociar acordo com o Japão
[16/10/2019] - O que muda com o fim da vacinação no Paraná?
[16/10/2019] - Milho está mais caro que em 2018
[16/10/2019] - Sérgio Moro atuará contra venda casada no crédito
[15/10/2019] - Exportações de carne bovina devem bater recorde
[15/10/2019] - China aumenta importação de carne bovina
[15/10/2019] - Arroba do boi volta a subir
[15/10/2019] - Arroba: diminui a diferença entre o MS e SP
[15/10/2019] - Preço da carne reage e sobe
[15/10/2019] - Alta forte da pecuária evita queda no PIB do Agro

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br