Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
189,00 173,00 187,00
GO MT RJ
178,00 175,00 173,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1750,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2550,00
Bezerra 12m 1350,00
Novilha 18m 1600,00
Vaca Boiadeira 1840,00

Atualizado em: 24/1/2020 10:20

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Exportações à China podem crescer em US$ 1 bi

 
 
 
Publicado em 10/09/2019

Após meses de espera, a China autorizou ontem que mais frigoríficos brasileiros exportem carnes ao país asiático, o que poderá agregar US$ 1 bilhão às indústrias, especialmente as de carne bovina. Ao todo, Pequim habilitou 25 abatedouros, sendo 17 de bovinos, seis de aves, um de suínos e outro de jumento.

Com isso, o número de frigoríficos de bovinos habilitados mais que dobrou, de 15 para 32. No caso das unidades de carne de frango, o número de habilitações chegou a 43, ao passo que 11 unidades poderão vender carne suína aos chineses.

Dos 25 novos frigoríficos habilitados, seis pertencem a empresas com ações listadas na B3. BRF, Marfrig Global Foods e Minerva Foods tiveram, cada uma, duas unidades aprovadas por Pequim. No caso da BRF, a China autorizou as exportações de carne suína e de carne de frango produzidas na unidade de Lucas do Rio Verde (MT). Para a Marfrig, Pequim habilitou os frigoríficos de bovinos de Tangará da Serra (MT) e Várzea Grande (MT). A Minerva recebeu autorização para exportar carne bovina partir de Rolim de Moura (RO) e Palmeiras de Goiás (GO).

As habilitações chinesas tendem a aumentar a participação - e a dependência - do país asiático nas exportações dos frigoríficos brasileiros. A China já é o principal destino das embarques. Entre janeiro e julho, as exportações de carne bovina, suína e de frango ao país renderam US$ 1,7 bilhão, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura. Para todos os mercados, as exportações de carnes totalizaram US$ 8,6 bilhões no período.

No mercado, a avaliação é que o ritmo das vendas à China deve acelerar não apenas em razão das novas habitações, mas sobretudo porque o país asiático precisará de mais carne devido ao surto de peste suína africana que atingiu seu plantel. Os chineses consomem em torno de 50% da carne suína do planeta.

Diante dessa oportunidade, não é de se estranhar o grau de ansiedade - e até mesmo de animosidade - dos donos de frigoríficos com a demora de Pequim em autorizar mais unidades a exportar. No início de maio, a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) chegou a criticar o Ministério da Agricultura pelo que considerava ser um suposto privilégio a grandes frigoríficos.

À época, as autoridades consideram a possibilidade de priorizar a habilitação de plantas que já contassem com a aprovação da União Europeia - o bloco é considerado um dos mais rigorosos em matéria sanitária -, o que limitaria o espaço dos frigoríficos pequenos e médios.

A proposta, porém, não prosperou. Além disso, a lista de frigoríficos divulgada ontem por Pequim veio na contramão da preocupação inicial. A China habilitou diversos frigoríficos pequenos e médios e deixou de fora a JBS, dona da Friboi (principal produtora de carne bovina do Brasil) e da Seara (segunda maior produtora de aves e suínos do país), o que contribuiu para derrubar o preço das ações do grupo na B3. 

Ao ampliar o leque de fornecedores, Pequim dá uma indicação de que quer mais competição. "O chinês é feroz e vai jogar o preço para baixo", avaliou um executivo do setor. Em outras palavras, os maiores frigoríficos podem até continuar dominando o mercado, mas a definição dos preços não será tão fácil.

No governo, as novas habilitações foram comemoradas e vistas com surpresa, uma vez que muitos apostavam que o anúncio só ocorreria em outubro, durante visita da presidente Jair Bolsonaro ao país asiático.

Ao Valor, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, destacou o sistema de inspeção online adotado pela primeira vez pelo Brasil. Na semana passada, frigoríficos de bovinos foram inspecionados por meio de teleconferências na qual técnicos chineses acompanharam de Pequim as auditorias feitas por fiscais do Ministério da Agricultura dentro das linhas de produção. "Estávamos trabalhando desde maio. Bom que as autorizações vieram logo depois das auditorias", disse ela.

A experiência deixou a ministra otimista. De acordo com ela, novas habilitações podem ocorrer em breve por meio do sistema de teleconferência. "A gente tinha pedido 30 plantas. Avaliaram 25, mas devem analisar mais nove", disse, ponderando que a qualidade do sinal das transmissões precisará melhorar para as próximas auditorias.

Mas também há lições a serem tiradas da tortuosa trajetória para a habilitação dos frigoríficos, ressaltou um técnico do Ministério da Agricultura. Do universo total de 78 plantas que chegaram a reivindicar acesso ao mercado chinês, muitas responderam os formulários enviados por Pequim de forma inadequada. Problemas graves de tradução também foram detectados. Em alguns casos, companhias informaram erroneamente a capacidade de abate, lembrou a mesma fonte.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[24/01/2020] - Arroba: frigoríficos seguraram as compras
[24/01/2020] - Atacado da carne segue corrigindo preços
[24/01/2020] - Brasil tem a maior criação de empregos desde 2013
[24/01/2020] - Minerva levanta mais de R$ 1 bilhão na Bolsa
[24/01/2020] - Milho: alta de 28,3%
[24/01/2020] - Agro responde por 77% das exportações do PR
[23/01/2020] - Queda do boi não tem relação com a China

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/01/2020] - BRF nega renegociação com a China
[23/01/2020] - Vender à China é coisa pra frigorífico grande?
[23/01/2020] - A China pode levar para onde o valor do boi?
[23/01/2020] - Arroba: mercado parado em São Paulo
[23/01/2020] - Pecuaristas protestam contra preço do boi em RO
[23/01/2020] - Frigoríficos do PR querem travar venda de bois
[23/01/2020] - Inflação desacelera com queda no preço da carne
[23/01/2020] - Milho: exportações perderam ritmo
[22/01/2020] - Frigoríficos estão mesmo tendo prejuízo na China?
[22/01/2020] - Frigoríficos perdem valor com impasse chinês
[22/01/2020] - Carne bovina cai também no Brasil
[22/01/2020] - Arroba: impasse no mercado do boi gordo
[22/01/2020] - Pecuaristas estão cautelosos na reposição
[22/01/2020] - Milho segue com preço firme
[22/01/2020] - CNI protesta contra reajuste da Tabela de Frete
[22/01/2020] - Justiça condena dez da Operação Carne Fraca
[21/01/2020] - China quer renegociar até carne já embarcada
[21/01/2020] - Exportações perderam ritmo mas seguem fortes
[21/01/2020] - Frigoríficos querem forçar baixa do boi
[21/01/2020] - Pecuaristas travam vendas com arroba menor
[21/01/2020] - Queda da carne não é generalizada
[21/01/2020] - PIB do Agro cresceu 1,15% até outubro
[20/01/2020] - Arroba: preços continuarão caindo?
[20/01/2020] - SC bate recorde na exportação de carne
[20/01/2020] - Vai faltar leite em 2020?
[20/01/2020] - Farelo de soja está mais caro
[20/01/2020] - Novos adidos agrícolas tomam posse
[20/01/2020] - Anvisa decide que abamectina continuará à venda
[20/01/2020] - MS deve criar fundo privado para sanidade
[20/01/2020] - Tabela de frete será julgada em fevereiro?
[17/01/2020] - O acordo EUA-China prejudica a carne brasileira?
[17/01/2020] - China: produção de carne suína tem queda histórica
[17/01/2020] - Bois e carne viram foco de bandidos
[17/01/2020] - Carne volta a cair com força no atacado
[17/01/2020] - Arroba volta a cair: pressão de baixa continua
[17/01/2020] - Controladores do Minerva venderão ações
[17/01/2020] - Minerva quer voltar a distribuir lucro
[17/01/2020] - Saída do BNDES da JBS vai atrasar novamente
[17/01/2020] - Nova tabela de frete: alta de 11 a 15%
[16/01/2020] - Arroba: frigoríficos estão pagando preços iguais?
[16/01/2020] - A alta do boi em 2019 foi realmente forte?
[16/01/2020] - Agro respondeu por 43% das exportações do Brasil
[16/01/2020] - Pecuarista investiu apesar da crise
[16/01/2020] - Inflação medida pelo IGP mostra desaceleração
[16/01/2020] - Leite: preço deve subir no curto prazo
[16/01/2020] - Minerva fará oferta de ações
[15/01/2020] - Arroba volta a cair com pressão dos frigoríficos
[15/01/2020] - Preço da carne bovina tem queda forte em MT
[15/01/2020] - China pressiona frigoríficos por preços menores
[15/01/2020] - China vende mais carne das reservas estatais

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br