Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
191,00 176,00 190,00
GO MT RJ
179,00 176,00 175,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1750,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2550,00
Bezerra 12m 1350,00
Novilha 18m 1600,00
Vaca Boiadeira 1890,00

Atualizado em: 21/1/2020 09:45

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

China deve aumentar ainda mais as importações

 
 
 
Publicado em 06/11/2019

Os exportadores brasileiros estão animados com a possibilidade de que a China habilite mais uma leva de frigoríficos para exportar ao país. No setor privado, a expectativa é que um anúncio ocorra ainda no curto prazo. Companhias como BRF, JBS e Aurora devem aparecer na nova lista do país asiático.

Na semana passada, autoridades chinesas inspecionaram, por meio de videoconferência, abatedouros de frangos, suínos e bovinos do Brasil, disseram quatro fontes ao Valor.

Conforme uma das fontes, as indústrias avícolas mais perto de serem habilitadas por Pequim pertencem à Seara, da JBS, à Zanchetta e à Unitá, sociedade entre as cooperativa Copacol, Coagru e Cooperflora. No caso da carne suína, Aurora, BRF e Seara estariam bem posicionadas.

O otimismo com a ampliação do acesso ao mercado chinês coincide com a proximidade da cúpula dos Brics, que ocorrerá na semana que vem em Brasília. O presidente chinês, Xi Jinping, virá ao país para o encontro. Na avaliação de uma fonte, o mandatário poderá chegar ao Brasil já com o presente anunciado.

No Ministério da Agricultura, a ordem tem sido evitar previsões sobre os anúncios de Pequim. Assim, evita-se transmitir às autoridades chinesas a impressão de que Brasília estaria fazendo pressão.

Em julho, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Marcos Montes, chegou a prever, em entrevista ao Valor, que a China liberaria dezenas de frigoríficos em “dez dias”, o que não se confirmou.

À época, Pequim chegou a enviar um documento criticando a pressão. O episódio atrasou o anúncio para setembro, quando o país asiático finalmente habilitou 25 plantas do Brasil – 17 de carne bovina, seis de frango, uma de suíno e uma de jumento. Anteontem, a China liberou a exportação de miúdos suínos de sete unidades catarinenses.

Na indústria frigorífica, as habilitações chinesas geram ansiedade devido ao imenso potencial de vendas. Em outubro, o primeiro mês completo após a China liberar as exportação de mais 17 abatedouros de bovinos, as exportações de carne do país registraram o melhor desempenho da história, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

Em razão da epidemia de peste suína africana que dizimou o plantel chinês – o país responde por 50% do consumo global de carne suína -, a demanda da China está aquecida. De acordo com um executivo de uma das maiores agroindústrias exportadoras, o preço médio de alguns cortes de suínos com embarque para a China programado para dezembro saem por US$ 5 mil a tonelada. Há um ano, esses itens eram vendidos por US$ 2 mil.

Paralelamente às habilitações de frigoríficos, o governo brasileiro busca abrir o mercado chinês à genética avícola. Desde a última segunda-feira, uma comitiva de técnicos chineses está no Brasil para inspecionar estabelecimentos de produção de material genético. O grupo fará uma série de vistorias a quatro empresas até dia 11. O roteiro dos quatro auditores também inclui visitas a um laboratório oficial do Ministério da Agricultura e a uma unidade da Vigiagro (Unidade de Vigilância Agropecuária).

Nesse caso, a expectativa do setor produtivo nacional é que a China possa abrir seu mercado principalmente para a importação de ovos férteis produzidos no Brasil. Com eles, os chineses podem produzir matrizes e aumentar o plantel.

O Brasil goza de credibilidade genética e sanitária porque é o único grande produtor sem registros de gripe aviária. “A parte genética e sanitária é a melhor do mundo, igual ou melhor que da Europa e dos Estados Unidos”, avaliou Érico Pozzer, ex-presidente Câmara Setorial de Aves e Suínos do Ministério da Agricultura. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[21/01/2020] - China quer renegociar até carne já embarcada
[21/01/2020] - Exportações perderam ritmo mas seguem fortes
[21/01/2020] - Frigoríficos querem forçar baixa do boi
[21/01/2020] - Pecuaristas travam vendas com arroba menor
[21/01/2020] - Queda da carne não é generalizada
[21/01/2020] - PIB do Agro cresceu 1,15% até outubro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/01/2020] - Arroba: preços continuarão caindo?
[20/01/2020] - SC bate recorde na exportação de carne
[20/01/2020] - Vai faltar leite em 2020?
[20/01/2020] - Farelo de soja está mais caro
[20/01/2020] - Novos adidos agrícolas tomam posse
[20/01/2020] - Anvisa decide que abamectina continuará à venda
[20/01/2020] - MS deve criar fundo privado para sanidade
[20/01/2020] - Tabela de frete será julgada em fevereiro?
[17/01/2020] - O acordo EUA-China prejudica a carne brasileira?
[17/01/2020] - China: produção de carne suína tem queda histórica
[17/01/2020] - Bois e carne viram foco de bandidos
[17/01/2020] - Carne volta a cair com força no atacado
[17/01/2020] - Arroba volta a cair: pressão de baixa continua
[17/01/2020] - Controladores do Minerva venderão ações
[17/01/2020] - Minerva quer voltar a distribuir lucro
[17/01/2020] - Saída do BNDES da JBS vai atrasar novamente
[17/01/2020] - Nova tabela de frete: alta de 11 a 15%
[16/01/2020] - Arroba: frigoríficos estão pagando preços iguais?
[16/01/2020] - A alta do boi em 2019 foi realmente forte?
[16/01/2020] - Agro respondeu por 43% das exportações do Brasil
[16/01/2020] - Pecuarista investiu apesar da crise
[16/01/2020] - Inflação medida pelo IGP mostra desaceleração
[16/01/2020] - Leite: preço deve subir no curto prazo
[16/01/2020] - Minerva fará oferta de ações
[15/01/2020] - Arroba volta a cair com pressão dos frigoríficos
[15/01/2020] - Preço da carne bovina tem queda forte em MT
[15/01/2020] - China pressiona frigoríficos por preços menores
[15/01/2020] - China vende mais carne das reservas estatais
[15/01/2020] - Arábia Saudita abre mercado ao Uruguai
[15/01/2020] - Vendas do varejo tiveram alta em novembro
[15/01/2020] - MAPA prevê crescimento de 17% no PIB da Pecuária
[15/01/2020] - Reposição: muita especulação em Mato Grosso
[15/01/2020] - Leite: captação caiu com força no RS
[15/01/2020] - Milho: exportações reduzem ritmo em janeiro
[14/01/2020] - Exportações de carne começaram o ano em alta
[14/01/2020] - JBS aumentará abates em SP
[14/01/2020] - Arroba: frigoríficos aumentam a pressão de baixa
[14/01/2020] - CEPEA prevê ano bom para a pecuária brasileira
[14/01/2020] - Impasse trava mercado de reposição
[14/01/2020] - Acordo tenta formalizar pecuaristas em MT
[13/01/2020] - Frigoríficos: exportações continuarão com força
[13/01/2020] - Arroba: frigoríficos pressionam por arroba menor
[13/01/2020] - Chuvas ajudam pecuarista a segurar o boi
[13/01/2020] - Carne caiu no atacado
[13/01/2020] - Preço da carne caiu no pasto, mas não no prato
[13/01/2020] - Donos da JBS venderam ações em dezembro
[13/01/2020] - JBS anuncia aumento de produção em outra unidade
[13/01/2020] - Agro protesta contra aumento de impostos
[13/01/2020] - Acordo com China vai puxar vendas do agro dos EUA
[10/01/2020] - JBS abre unidade prevendo demanda forte da Ásia

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br