Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
200,00 182,00 194,00
GO MT RJ
186,00 185,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1830,00
Garrote 18m 2170,00
Boi Magro 30m 2690,00
Bezerra 12m 1370,00
Novilha 18m 1620,00
Vaca Boiadeira 1850,00

Atualizado em: 14/2/2020 10:40

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

China tenta voltar ao trabalho em meio ao surto

 
 
 
Publicado em 10/02/2020

Milhões de pessoas retornaram ao trabalho nesta segunda-feira (10) na China, após as férias prolongadas para tentar impedir a propagação do novo coronavírus, que já deixou mais de 900 mortos no país e obrigou o presidente Xi Jinping a aparecer pela primeira vez em público com uma máscara.

Ao menos 40.000 pessoas na China continental foram infectadas pelo vírus, que cientistas suspeitam que surgiu no fim de 2019 em um mercado da capital da província de Hubei, Wuhan.

Nesta segunda-feira, pela primeira vez o presidente chinês Xi Jinping apareceu em público com uma máscara de proteção e teve a temperatura controlada, como acontece diariamente com milhões de chineses.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou sinais de que a epidemia está em fase de estabilização, mas seu diretor geral advertiu que podem acontecer mais casos no exterior de pessoas que nunca viajaram à China. "É possível que estejamos observando apenas a ponta do iceberg", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus. Uma equipe de especialistas da OMS, liderada por Bruce Aylward, um veterano de emergências sanitárias, está a caminho da China.

Em uma tentativa de conter o vírus, as cidades de Hubei estão confinadas e as autoridades bloquearam as vias de transporte no país para deter o deslocamento de centenas de milhões de pessoas, que geralmente visitam as famílias durante as férias do Ano Novo Lunar. Oficialmente, o recesso foi prolongado por apenas três dias, mas várias cidades e províncias estenderam o prazo até 10 de fevereiro.

As medidas sem precedentes transformaram diversas áreas em cidades fantasmas. Alguns sinais, no entanto, indicam que o país começa a retomar a normalidade. Nas avenidas de Pequim e Xangai o trânsito estava muito mais intenso que nos últimos dias, mas diversas lojas permaneciam fechadas. A cidade de Guangzhou (sul) anunciou a retomada do transporte público.

Muitas pessoas não escondiam o receio na volta ao trabalho. "Quando os clientes entram, primeiro medimos a temperatura, depois usamos desinfetante e pedimos que lavem as mãos", disse uma jovem funcionária em um centro de estética de Pequim.

Trabalho de casa

Dezenas de milhões de pessoas da província de Hubei não retornaram ao trabalho porque, como a região é o foco da epidemia, o confinamento prossegue. E fora da província em quarentena, muitas empresas limitam o número de funcionários.

O governo de Xangai sugeriu reduzir as concentrações de pessoas com horários de trabalho escalonados, cortar os sistemas de ar acondicionado, evitar as refeições em grupo e respeitar uma distância de pelo menos um metro entre os colegas de trabalho.

A plataforma de comunicação empresarial on-line DingTalk anunciou na semana passada que quase 200 milhões de pessoas estavam usando sua ferramenta para o 'home office'.

Uma pesquisa feita pela Câmara de Comércio Americana em Xangai mostrou que 60% das empresas planejam o trabalho de casa. A imprensa estatal informou que o número de passageiros no metrô de Pequim nesta segunda-feira era quase 50% inferior ao de um dia normal de trabalho.

Vários centros comerciais na capital estavam desertos, com lojas vazias ou fechadas. Empresas como a montadora Toyota adiaram o retorno ao trabalho por mais uma semana. Escolas e universidades de todo o país permanecem fechadas.

Dificuldades de transporte

Os chineses enfrentaram dificuldades nos meios de transporte em seu retorno ao trabalho. A cidade de Wuxi (leste) informou que pessoas procedentes de províncias com um grande número de casos serão obrigadas a retornar, enquanto Suzhou, perto do centro financeiro de Xangai, suspendeu o transporte de passageiros aos distritos próximos.

A indústria turística segue em crise: vários países proibiram a entrada de pessoas procedentes da China e as principais companhias aéreas suspenderam os voos.

O número de mortos pelo novo coronavírus superou a quantidade de óbitos em todo o mundo pela epidemia de Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) de 2002-2003, quando a China foi acusada de acobertar os casos.

Em Londres, o governo britânico classificou nesta segunda-feira o novo coronavírus como "ameaça grave e iminente para a saúde pública", ao mesmo tempo que anunciou novas medidas para proteger a população. A União Europeia programou uma reunião para quinta-feira de seus ministros da Saúde, com a presença de um representante da OMS, para adotar medidas contra a propagação do novo coronavírus.

No Japão, outras 65 pessoas, entre passageiros e tripulantes, do cruzeiro "Diamond Princess" apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus, segundo o ministério da Saúde. Isto eleva a 135 o número de infectados no cruzeiro, que está em quarentena e tem 3.700 pessoas a bordo. O confinamento no cruzeiro pode prosseguir até 19 de fevereiro.

Em Hong Kong, os turistas confinados a bordo do cruzeiro "World Dreams" durante cinco dias foram autorizados a desembarcar no domingo.Com informações da AFP.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/02/2020] - Arroba do boi já bateu até R$ 210. Sobe mais?
[14/02/2020] - Arroba: frigoríficos compraram boi pro Carnaval
[14/02/2020] - Minerva aposta em forte alta nas exportações
[14/02/2020] - Mais um país abre mercado à carne do Brasil
[14/02/2020] - IBGE: desemprego caiu em 16 estados
[14/02/2020] - Prévia do PIB de 2019 decepciona
[14/02/2020] - Coronavírus pode adiar saída do BNDES da JBS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/02/2020] - Fux adia novamente julgamento da tabela de frete
[14/02/2020] - CNA: tabelamento de frete prejudica o setor
[13/02/2020] - Arroba do boi segue em ritmo de alta
[13/02/2020] - Exportações podem bater recorde em fevereiro
[13/02/2020] - Vendas à China seguiram fortes em janeiro
[13/02/2020] - Exportações de carne salvam balança do agro
[13/02/2020] - Província chinesa registra 242 mortes em um dia
[13/02/2020] - Por que os números do coronavírus subiram tanto?
[13/02/2020] - Coronavírus vai afetar economia do Brasil, diz BC
[13/02/2020] - Frigoríficos do MS esperam crescimento com China
[13/02/2020] - Abates recuaram no quarto trimestre de 2019
[13/02/2020] - Tabela de frete: governo pede adiamento ao STF
[12/02/2020] - Arroba: pecuarista segura o boi à espera da alta
[12/02/2020] - O preço da carne bovina vai subir?
[12/02/2020] - Preço do garrote subiu quase 50% no Tocantins
[12/02/2020] - Milho dispara e bate recorde de preço
[12/02/2020] - China diz que baterá metas econômicas em 2020
[12/02/2020] - Qual será o impacto econômico do coronavírus?
[12/02/2020] - Câmara aprova texto da MP do Crédito Rural
[12/02/2020] - Bolsonaro passa Conselho da Amazônia a Mourão
[11/02/2020] - Briga dos Batista trava venda de ações da JBS
[11/02/2020] - Arroba: pecuaristas estão segurando as vendas
[11/02/2020] - Como está a exportação de carne em fevereiro?
[11/02/2020] - Aumentou a procura por reposição
[11/02/2020] - Custo da pecuária subiu 33% com alta da reposição
[11/02/2020] - MAPA e produtores ampliam trabalho na China
[11/02/2020] - PIB do Agro cresceu puxado pela pecuária
[11/02/2020] - Produtor terá crédito para quitar dívidas
[10/02/2020] - Exportações brasileiras já sentem o surto na China
[10/02/2020] - Chineses voltam a falar em aumento de importações
[10/02/2020] - China tenta voltar ao trabalho em meio ao surto
[10/02/2020] - Arroba do boi segue apontando para a alta
[10/02/2020] - Carne volta a subir no atacado
[10/02/2020] - Confiança do pecuarista bate recorde histórico
[10/02/2020] - Deputado ruralista apoia aumento de impostos
[10/02/2020] - Milho: cotações em queda
[07/02/2020] - China parou de comprar carne do Brasil
[07/02/2020] - Chineses também seguraram compras dos EUA
[07/02/2020] - Menos pessoas reportaram coronavírus, diz OMS
[07/02/2020] - Arroba: vida difícil para compradores dos frigos
[07/02/2020] - Carcaça casada subiu quase 9% na semana
[07/02/2020] - Carne ajuda e inflação tem menor nível em 26 anos
[07/02/2020] - Dólar dispara e bate os R$ 4,30
[07/02/2020] - BNDES, enfim, prepara a venda da JBS
[07/02/2020] - Investimento em ferrovias pode bater R$ 30 bilhões
[07/02/2020] - Venda de máquinas caiu quase 6% em janeiro
[06/02/2020] - Justiça dos EUA manda entregar documentos da JBS
[06/02/2020] - Arroba do boi volta a se aproximar de R$ 200
[06/02/2020] - Bezerro está em alta no Paraná
[06/02/2020] - Leite: preço pago ao produtor subiu

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br