Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
140,00 132,00 135,00
GO MT RJ
132,00 129,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1200,00
Garrote 18m 1430,00
Boi Magro 30m 1720,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1130,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 19/10/2017 10:19

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Técnico da ABCZ: consultor, assessor e jurado

 
 
 
Publicado em 24/01/2008

Nelson Pineda

Conhecendo diferentes sistemas de produção, várias raças bovinas e outras associações, podemos afirmar que a ABCZ possui um corpo técnico diferenciado e motivado. Nossos técnicos têm formação sólida, são escolhidos por concurso e passam por um treinamento exaustivo antes de iniciar o atendimento ao criador. Muitos deles são jurados de destaque no âmbito nacional e mesmo internacional.

Um dos desafios da ABCZ sempre foi formar um corpo de técnicos, que tenham consciência de que são formadores de opinião que devem, por intermédio de seus atos e orientações, servir de elo de união entre os detentores da genética zebuína e os usuários deste material que, em última instância, são os criadores de rebanhos comerciais. Hoje, após anos de dedicação os técnicos usufruem o respeito da comunidade, são profissionais preparados, atualizados, emocionalmente estáveis, mas precisam de uma remuneração que lhes permita exercer suas funções com independência e objetividade. É obvio que nós, criadores, queremos usufruir destes conhecimentos e poder contratar estes profissionais como assessores das nossas propriedades e aproveitar assim a vivência de quem trabalha todos os dias com zebu.

Precisamos admitir que nossos técnicos de maior evidência, são chamados para prestar assessorias e que esta prestação de serviços ajuda a melhorar seus rendimentos. Porém, a maioria destas consultorias acontece em um mercado que não se caracteriza como uma relação trabalhista. Todo mundo sabe, todo mundo comenta, porém os técnicos da ABCZ estão atrelados a regulamentos internos da ABCZ que proíbem realizar esta atividade. Durante anos nos omitimos sem dar soluções para aquilo que todos sabem, mas continuam ignorando. Com o envolvimento em eventos comerciais televisionados para todo o Brasil, a atuação e os posicionamentos dos técnicos extravasam os limites de suas responsabilidades contratuais.

O convite para ser jurado é o reconhecimento público da competência do técnico. Mas, mesmo confiando no comportamento ético e imparcial quando é chamado a participar destes eventos e julgar animais de criadores para os quais dá assistência de forma informal, não resta dúvida que o técnico coloca em xeque o sistema, ficando difícil diferenciar os limites entre ser jurado ou técnico da ABCZ. Esta dicotomia gerou ao longo dos anos situações insustentáveis para a área técnica da casa. A sociedade se queixa nos bastidores, se omite sem ter a coragem de manifestar de forma clara e construtiva seu desacordo. Reconhecemos que na última gestão não conseguimos dar uma solução definitiva a esta ambigüidade.

Há a necessidade premente de criar mecanismos dentro da ABCZ que gerenciem este tipo de assessoria, que outorguem transparência ao sistema, a fim de gerar confiança na instituição. Deve ser visto com naturalidade que os jurados escolhidos para a exposição nacional declararem publicamente os serviços profissionais que exerceram nos dois últimos anos. Desta maneira, retirar-se do julgamento, dando lugar ao jurado suplente toda vez que animais dos criatórios assessorados estejam em pista, torna-se uma atitude transparente.

Precisamos admitir que a metodologia adotada para a escolha dos jurados da Expozebu, via voto do expositor, concede um ar de democracia participativa mal interpretada e leva, mesmo que inconscientemente, os jurados a adotar posições conciliatórias agradando a gregos e troianos em detrimento do uso de critérios essencialmente técnicos.

Como instituição detentora do registro genealógico a ABCZ deverá chamar para si a responsabilidade da escolha do juiz único, ponderando vários critérios, como experiência, capacitação profissional, repartição geográfica e oportunidade para novos valores. Será a oportunidade de enfrentar aquilo que todos comentam e censuram, que incomoda a grande maioria do corpo técnico da ABCZ, mas que até agora não tivemos a coragem de encarar.

Temos que avaliar a magnitude do problema, que é bem maior do que se pensa. A estrutura atual não tem condições operacionais para obter sucesso, a menos que, profundas transformações aconteçam no seio da instituição. A nova diretoria precisa adotar uma postura clara, esgotar a discussão se realmente quiser resolver o problema de forma duradoura e permanente.

Sempre existirá mais de um caminho, porém acreditamos que a solução definitiva não passa por decisões transitórias e sim por um grupo técnico com respaldo amplo, irrestrito e incondicional por parte da diretoria da ABCZ, capaz de gerenciar o processo sob critérios técnicos e essencialmente éticos. O ônus político, o desgaste emocional e social ao enfrentar esta situação será muito grande, mas será o recado claro de que os pecuaristas e o Brasil têm instituições que geram a confiança, pela qual estamos tão sedentos como cidadãos.

(*) Pineda é Pecuarista nos Estados de São Paulo e Bahia.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[19/10/2017] - Saída da JBS trava mercado do boi no MS
[19/10/2017] - Pecuaristas não aceitam tombo da arroba no MS
[19/10/2017] - CPI: ação da JBS é estratégia do medo
[19/10/2017] - Protesto de funcionários da JBS reúne 4 mil no MS
[19/10/2017] - Com parada da JBS, pecuaristas pedem ICMS menor
[19/10/2017] - Justiça suspende bloqueio de bens dos Batista
[19/10/2017] - Arroba: parada da JBS afeta mercado do boi em SP

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[19/10/2017] - Incerteza trava o mercado do boi
[19/10/2017] - Cade: venda do Mataboi deve ser anulada em 1 mês
[19/10/2017] - Marfrig reinicia abates em mais uma unidade
[19/10/2017] - Exportação de boi tem queda de quase 70%
[19/10/2017] - Leite cada vez mais caro para produzir
[19/10/2017] - Queda do leite deixa produtores com dívidas
[19/10/2017] - Produtores e índios querem trabalhar. E a Funai?
[19/10/2017] - Juízes e fiscais se recusam a aplicar nova lei
[18/10/2017] - JBS suspende abates em todas as unidades do MS
[18/10/2017] - Cade rejeita compra do Mataboi por Júnior Friboi
[18/10/2017] - BNDES pagou caro por ações da JBS, diz TCU
[18/10/2017] - Arroba: mercado do boi está devagar
[18/10/2017] - Polpa cítrica está mais cara
[18/10/2017] - Cade em alerta por concentração em insumos
[17/10/2017] - A verdade sobre a portaria do trabalho escravo
[17/10/2017] - Funcionários da JBS temem demissões em massa
[17/10/2017] - JBS disse que quer vender ações nos EUA em 2018
[17/10/2017] - CVM abre processo contra diretor da JBS
[17/10/2017] - Exportações de carne bovina sinalizam recorde
[17/10/2017] - UE: França vai usar Carne Fraca para barrar acordo
[17/10/2017] - Arroba: mercado trava com ofertas baixas
[17/10/2017] - Reposição sofre com a seca e indefinição da arroba
[17/10/2017] - Maggi: bloqueio ao leite uruguaio é temporário
[17/10/2017] - Produtores pedem maior atenção à pecuária de leite
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco
[11/10/2017] - Produtor de leite vive momento complicado
[11/10/2017] - Milho volta a subir
[10/10/2017] - Justiça já bloqueou R$ 730 milhões da JBS
[10/10/2017] - PF aponta que irmãos Batista manipularam o mercado
[10/10/2017] - Carne: preço sobe e ensaia recuperação
[10/10/2017] - Exportações: outubro começou com alta de 25%
[10/10/2017] - Arroba: frigoríficos estão testando o pecuarista
[10/10/2017] - Governo do MT não vai prorrogar ICMS menor

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br