Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
141,00 133,00 137,00
GO MT RJ
133,00 130,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1200,00
Garrote 18m 1430,00
Boi Magro 30m 1720,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1130,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 16/10/2017 10:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

ARTIGO - Agronegócio chantageado

 
 
 
Publicado em 26/10/2009

Editorial do jornal Estado de Minas - 26/10/2009

Corre risco o agronegócio brasileiro. Quando parecia /superada a ameaça da esdrúxula obrigatoriedade de toda propriedade rural ter sua produtividade dobrada em 2010, uma nova pressão é articulada em Brasília. Movidos pelo anacronismo das economias planejadas do século passado, em que o governo arbitrava até os volumes de produção - por isso mesmo as levou à falência -, os defensores dessa irracionalidade não desistem. Agora, pretendem usar até a caneta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o produtor rural.

É conhecido o verdadeiro pavor que o Palácio do Planalto tem pela abertura e, pior ainda, pelo avanço de qualquer forma de investigação parlamentar sobre possíveis desvios da administração, em véspera de eleição. O que ocorre com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, sufocada pelo rolo compressor do governo, acabou inspirando os que pretendem forçar a entrada em vigor da tal produtividade obrigatória. Sonham em tomar para a reforma agrária bons pedaços de terra de quem não se virar para produzir não o que pede o mercado, mas o que manda a lei.

Querem envolver o presidente na chantagem de baixar o decreto da produtividade como forma de contra-ataque, de intimidação aos ruralistas que apoiam a CPI do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Essa investigação parlamentar só foi possível graças às imagens de vandalismo protagonizadas por tratores destruindo pés de laranja numa propriedade invadida por membros do MST, em São Paulo. Controlador de confortável maioria no Congresso, a qual mantém pela via de liberação de emendas do orçamento e nomeações para os milhares de cargos que manipula na máquina pública, o governo certamente não precisa do tal decreto. Bastará um breve sinal a seus liderados para impedir que a CPI abra arquivos a respeito de cerca de R$ 160 milhões de verbas federais que, segundo a ONG Contas Abertas, foram parar nas mãos do MST desde 2002. Tão desnecessário quanto desprovido de bom senso, decretar a revisão da produtividade rural com o propósito de atingir membros de uma CPI será ato à altura de quem tramou o golpe, mas certamente muito abaixo de um estadista de inédita aprovação popular.

Diferentemente de pôr mais lenha na fogueira e aumentar a temperatura do confronto entre o agronegócio e certas áreas do governo, o que se espera do presidente Lula é que ele acrescente mais luz e menos calor ao debate. A questão agrária, assim como os embates no campo ambiental, precisa ganhar logo a importância e a profundidade que realmente tem. O Brasil não será democracia madura nem economia competitiva se não aprender a lidar com questões dessa magnitude sem trocar a postura acadêmico-juvenil pela visão adulta e pragmática do mundo moderno. A ideia distorcida e preconceituosa do agronegócio, mantida por certos setores contaminados pelo viés retrógrado do controle da vida pelo Estado, só faz afastar o Brasil das economias mais desenvolvidas do mundo. E é com elas que teremos de negociar o lugar que merecemos. Resta esperar que a prioridade eleitoral não tenha ainda afetado o bom senso de Lula e que ele faça prevalecer a racionalidade.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco
[11/10/2017] - Produtor de leite vive momento complicado
[11/10/2017] - Milho volta a subir
[10/10/2017] - Justiça já bloqueou R$ 730 milhões da JBS
[10/10/2017] - PF aponta que irmãos Batista manipularam o mercado
[10/10/2017] - Carne: preço sobe e ensaia recuperação
[10/10/2017] - Exportações: outubro começou com alta de 25%
[10/10/2017] - Arroba: frigoríficos estão testando o pecuarista
[10/10/2017] - Governo do MT não vai prorrogar ICMS menor
[10/10/2017] - Acrimat: ICMS menor estimula concorrência pelo boi
[09/10/2017] - MPF vê risco de quebra da JBS
[09/10/2017] - Pecuaristas ainda preocupados com a crise da JBS
[09/10/2017] - Carne sobe e pode puxar a arroba do boi
[09/10/2017] - Arroba: frigoríficos tentam pressão sobre o boi
[09/10/2017] - Reposição: esperando pela chuva e pela alta do boi
[09/10/2017] - Pecuaristas do Mercosul criticam oferta européia
[06/10/2017] - Juiz bloqueia todos os bens da família Batista
[06/10/2017] - Justiça do MS bloqueia unidades e R$ 115 mi da JBS
[06/10/2017] - JBS reage a bloqueio de bens e dinheiro no MS
[06/10/2017] - Arroba: nem para lá, nem para cá
[06/10/2017] - Brasil abre mais um mercado para carne
[06/10/2017] - Arroba: preço do boi cai em Belo Horizonte
[06/10/2017] - Pecuaristas pedem volta do ICMS menor no MT
[06/10/2017] - Mato Grosso tem receita recorde com a carne bovina
[06/10/2017] - Pecuaristas denunciam fraude no leite uruguaio
[06/10/2017] - Funrural: Receita ignora resolução do Senado
[06/10/2017] - Governo prorroga desconto no ICMS de insumos
[05/10/2017] - BNDES volta a pedir mudanças na JBS
[05/10/2017] - Advogados vão atrás de provas contra os Batista
[05/10/2017] - Arroba: frigoríficos oferecem mais
[05/10/2017] - Arroba: exportações em alta não deixam sobrar boi
[05/10/2017] - Maggi negocia ampliação das vendas à Rússia
[05/10/2017] - Pecuarista joga 1.000 litros de leite fora
[05/10/2017] - Temer nega ter prometido arrendamento de reservas
[04/10/2017] - Arroba: reação dos preços está próxima?
[04/10/2017] - Reposição: relação de troca melhora no Tocantins
[04/10/2017] - Coaf identifica repasse de frigoríficos a político
[04/10/2017] - Coutinho diz que não apoiou monopólio da JBS
[04/10/2017] - PIB do Agro bate recorde histórico no Mato Grosso
[04/10/2017] - UE oferece cota baixa para carne do Mercosul

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br