Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
141,00 133,00 137,00
GO MT RJ
133,00 130,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1200,00
Garrote 18m 1430,00
Boi Magro 30m 1720,00
Bezerra 12m 900,00
Novilha 18m 1130,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 16/10/2017 10:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

ARTIGO - Confisco de terras produtivas

 
 
 
Publicado em 16/11/2009

Luis Carlos Heinze

Produtores rurais dos Estados das regiões Sul e Sudeste estão prestes a perder mais 17 milhões de hectares de terras produtivas a título de reserva legal. O prejuízo é quase que incalculável para os proprietários e para o país.

O espólio atinge agricultores do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul que terão de entregar mais de 30% de suas propriedades. Podemos imaginar o tamanho do rombo ao analisarmos que a área total dos Estados é de 91 milhões de hectares e que 18 milhões deles já estão destinados à preservação. Um confisco que pode chegar próximo a 37 milhões de hectares - 41% da área. Os produtores ainda precisam reservar mais 5 milhões de hectares para matas ciliares, o que, aliás, é absolutamente correto, mas que não deixa de aumentar o volume de terras preservadas.

Ninguém se preocupou em saber o valor disso tudo. Pior ainda: em saber quanto o Brasil deixará de produzir de grãos, lácteos e carnes e de quantos empregos serão escoados pelo ralo da incompetência de uma empreitada suicida e inconcebível. Pois eu digo: só no Rio Grande do Sul mais de 100 mil propriedades fecharão as porteiras e 700 mil postos de trabalho serão extintos.

O novo massacre realizado com os produtores rurais poderia muito bem ser estendido a outros segmentos produtivos. Já imaginou o mesmo confisco no sistema financeiro, na indústria do aço, nos fundos de pensão, nos hipermercados, na indústria automobilística e até nas grandes redes de comunicação? Dá para pensar o tamanho da revolução? Certamente que sim. Nenhum dos segmentos aceitaria passivamente.

Mas, com o produtor rural é diferente. Afinal, ele já está acostumado a enfrentar os oligopólios dos fertilizantes, dos defensivos, das máquinas, dos bancos, da carga tributária, a criminalização pela sociedade urbana e ainda tem que subsidiar o consumidor brasileiro.

Jogar mais um peso nas costas de quem produz alimento não deve ter nenhum problema, na visão dos defensores da legislação suicida. Só que eles, infelizmente, são de uma miopia que não vai além de seus próprios narizes. Não devem nem saber que o campo enfrenta barreiras tarifárias, sanitárias e trabalhistas nas exportações. Não conhecem a importância do segmento para a economia nacional, pois é responsável por mais de 80% do saldo da balança comercial e por 37% dos empregos gerados no país.

Um segmento que deveria merecer, no mínimo, mais respeito. Mas, pelo contrário, os produtores ainda sofrem com imposições malucas como esta, em nome de uma barreira ambiental, que os nossos concorrentes americanos, europeus e asiáticos não têm. O brasileiro é o único a pagar a conta do pânico ambientalista.

Luis Carlos Heinze é deputado federal pelo PP do Rio Grande do Sul.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[16/10/2017] - JBS desiste de oferta de ações nos EUA
[16/10/2017] - Cade deve rejeitar nesta semana compra do Mataboi
[16/10/2017] - Arroba: mercado vive impasse
[16/10/2017] - Atacado da carne caiu mas margem de frigo subiu
[16/10/2017] - ICMS cai, mas preço da carne não cairá
[16/10/2017] - Leite: produtor pede socorro
[16/10/2017] - Governo envia missão para discutir leite uruguaio

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/10/2017] - Reposição lenta não derruba preços em MG
[16/10/2017] - Uréia agrícola está mais cara
[16/10/2017] - Argentina quer 5% do mercado da UE para o Mercosul
[11/10/2017] - MPF concorda com a PF e denuncia irmãos Batista
[11/10/2017] - PF vê risco de calote bilionário da JBS
[11/10/2017] - Frigoríficos esperam novos mercados ainda em 2017
[11/10/2017] - Arroba: mercado em ritmo de feriadão
[11/10/2017] - MAPA tenta solução para vender mais ao Irã
[11/10/2017] - Brasil suspende importação de leite do Uruguai
[11/10/2017] - O leite vai subir com embargo ao Uruguai?
[11/10/2017] - CEPEA: consumo de leite ainda é fraco
[11/10/2017] - Produtor de leite vive momento complicado
[11/10/2017] - Milho volta a subir
[10/10/2017] - Justiça já bloqueou R$ 730 milhões da JBS
[10/10/2017] - PF aponta que irmãos Batista manipularam o mercado
[10/10/2017] - Carne: preço sobe e ensaia recuperação
[10/10/2017] - Exportações: outubro começou com alta de 25%
[10/10/2017] - Arroba: frigoríficos estão testando o pecuarista
[10/10/2017] - Governo do MT não vai prorrogar ICMS menor
[10/10/2017] - Acrimat: ICMS menor estimula concorrência pelo boi
[09/10/2017] - MPF vê risco de quebra da JBS
[09/10/2017] - Pecuaristas ainda preocupados com a crise da JBS
[09/10/2017] - Carne sobe e pode puxar a arroba do boi
[09/10/2017] - Arroba: frigoríficos tentam pressão sobre o boi
[09/10/2017] - Reposição: esperando pela chuva e pela alta do boi
[09/10/2017] - Pecuaristas do Mercosul criticam oferta européia
[06/10/2017] - Juiz bloqueia todos os bens da família Batista
[06/10/2017] - Justiça do MS bloqueia unidades e R$ 115 mi da JBS
[06/10/2017] - JBS reage a bloqueio de bens e dinheiro no MS
[06/10/2017] - Arroba: nem para lá, nem para cá
[06/10/2017] - Brasil abre mais um mercado para carne
[06/10/2017] - Arroba: preço do boi cai em Belo Horizonte
[06/10/2017] - Pecuaristas pedem volta do ICMS menor no MT
[06/10/2017] - Mato Grosso tem receita recorde com a carne bovina
[06/10/2017] - Pecuaristas denunciam fraude no leite uruguaio
[06/10/2017] - Funrural: Receita ignora resolução do Senado
[06/10/2017] - Governo prorroga desconto no ICMS de insumos
[05/10/2017] - BNDES volta a pedir mudanças na JBS
[05/10/2017] - Advogados vão atrás de provas contra os Batista
[05/10/2017] - Arroba: frigoríficos oferecem mais
[05/10/2017] - Arroba: exportações em alta não deixam sobrar boi
[05/10/2017] - Maggi negocia ampliação das vendas à Rússia
[05/10/2017] - Pecuarista joga 1.000 litros de leite fora
[05/10/2017] - Temer nega ter prometido arrendamento de reservas
[04/10/2017] - Arroba: reação dos preços está próxima?
[04/10/2017] - Reposição: relação de troca melhora no Tocantins
[04/10/2017] - Coaf identifica repasse de frigoríficos a político
[04/10/2017] - Coutinho diz que não apoiou monopólio da JBS
[04/10/2017] - PIB do Agro bate recorde histórico no Mato Grosso
[04/10/2017] - UE oferece cota baixa para carne do Mercosul

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br