Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
 
 
 
 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Imea constata mercado em alta no MT
 
 
Publicado em 20/09/2006
Do 24horasNews: O mercado da pecuária está em alta, em Mato Grosso. O preço da desmama fêmea foi o que apresentou maior variação nos índices apurados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola (Imea), da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), no Boletim da Pecuária, na última quinzena. O valor da fêmea, com até 12 meses, subiu 16,66%, a cotação passou de R$ 180,00 para R$ 210,00, no Estado. O preço da desmama macho também aumentou, mas a variação foi menor, 13,08%, passou de R$ 268,00 por cabeça para R$ 305,00 por cabeça.

Seguindo a mesma tendência, garrotes e novilhas, com até 24 meses, tiveram uma boa valorização no período avaliado pelo Instituto, A alta no preço do garrote foi de 16,61%, assim, a cotação subiu de R$ 386,33 para 463,33. Para a novilha, de dois anos, o aumento foi de 15,08%. Quanto ao boi gordo, o levantamento do Imea aponta uma variação na cotação da arroba, em áreas habilitadas para exportação, de 5,5%, na primeira quinzena de setembro em relação à última quinzena de agosto. De janeiro a setembro, o índice acumulado do aumento da arroba do boi gordo chega a 13,74%.

Em contra-partida à evolução de preços na comercialização do rebanho, o pecuarista mato-grossense gastou mais para produzir, nos últimos seis meses do ano. O índice de aumento do Custo Operacional Efetivo da Pecuária de Corte, calculado pelo CEPEA/Esalq, foi de 5,88%. A variação é maior do que a média brasileira registrada de 5,65%. O Boletim da Pecuária, está disponível no menu da página da Famato, na opção Imea.

O mercado da arroba do boi gordo continua com tendência ascendente de preços na primeira quinzena do mês de setembro. Nas duas últimas semanas, a arroba subiu, em média, 5,5% nas regiões habilitadas a exportação para a União Européia, que compreende os municípios de Pedra Preta, Barra do Garças, Cuiabá, Paranatinga, Tangará da Serra, Araputanga, Pontes de Lacerda, Canarana e São José dos Quatro Marcos, e 7% nas áreas não habilitadas, que compreende os frigoríficos dos municípios de Vila Rica, Cáceres, Juína, Juara, Sinop, Colíder, Alta Floresta, Barra do Garças, Cuiabá e Matupá.

O mercado do gado de reposição, acompanhando a arroba do boi gordo, obteve aumento, na primeira quinzena deste mês, se comparado ao mês anterior, a média da matriz prenha apresentou um aumento este mês de 10,70%, passando de R$ 417,02 por cabeça para R$ 461,67 por cabeça. O boi magro obteve um aumento de 7,69%, de R$ 487,50 por cabeça para R$ 525,00 por cabeça.

Desmama macho obteve aumento de 13,08%, passando de R$ 268,00 por cabeça para R$ 305,00 por cabeça, e para desmama fêmea o aumento foi de R$ 30,00 por cabeça, alta de R$ 16,66%.

Para garrote de até 24 meses o aumento foi maior do que para novilha de 24 meses, alta de 16,61%, passando de R$ 386,33 por cabeça para R$ 463,33 por cabeça. Para novilha de 24 meses o aumento foi de 15,08%.

O mercado de cortes de carnes também apresentou um leve aumento nas cotações comparado ao mês anterior. No atacado, os preços do dianteiro e traseiro com osso e o traseiro sem osso e a ponta de agulha da vaca subiram R$ 0,20 por quilo, no município de Cuiabá.

No mercado de exportações, a evolução dos preços da carne "in natura" no mercado internacional tem beneficiado as exportações brasileiras de carnes. Os preços médios atingiram em agosto US$ 2.554,00 por tonelada, alta de 13,67% sobre agosto do ano passado, quando os preços praticados eram de US$ 2.246,88 por toneladas, conforme divulgado pela Abiec (Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carnes),

Apesar da recuperação da arroba do boi gordo nesse segundo semestre do ano, que nada mais é do que a tendência natural do ciclo, visto que estamos no período da entressafra, o custo da pecuária de corte continua apresentando elevações.

O Custo Operacional Efetivo da Pecuária de Corte, calculado pelo CEPEA/Esalq, apresentou variação positiva de 5,88% para o estado de Mato grosso, no primeiro semestre deste ano. Na média brasileira, que representa os nove maiores estados produtores de carne, o aumento do Custo foi na ordem de 5,65%.

As escalas para abate, que contemplavam os 23 frigoríficos SIF no estado de Mato Grosso, fecharam o mês de agosto com média de 6,27 dias. Na primeira quinzena do mês de setembro, período em que passou a ser considerado mais 2 frigoríficos SIF (Cuiabá e Colíder), a média foi de 6,06 dias para abate, a menor média dos últimos 9 meses.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir


   Leia também:
 
[22/07/2014] - Acordo com EUA poderá prejudicar carne do Brasil
[22/07/2014] - Pressão e lentidão no mercado do boi
[22/07/2014] - Indea confirma estomatite e descarta aftosa no MT
[22/07/2014] - O boi em xeque
[22/07/2014] - Governo destina R$ 25 mi à qualidade do leite
[22/07/2014] - Escândalo da carne se espalha na China
[21/07/2014] - Exportações aos países árabes crescem 18,4%

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[21/07/2014] - Situação econômica já afeta vendas de carne
[21/07/2014] - Oferta de boi encurta, escalas ainda confortáveis
[21/07/2014] - Reposição: fêmeas têm queda de preço
[21/07/2014] - No Triângulo Mineiro, o problema é a seca
[21/07/2014] - Cheias destroem pastos e lavouras no RS
[21/07/2014] - Superavit do agro continua em alta: US$ 8,4 bi
[21/07/2014] - Venda de adubo bate recorde
[21/07/2014] - CAR avança, mas ainda tem problemas
[21/07/2014] - Fazendas sofrem com falta de mão-de-obra
[18/07/2014] - China derruba embargo à carne brasileira
[18/07/2014] - Brasil espera vender R$ 1 bi de carne à China
[18/07/2014] - ABIEC: abertura chinesa é estratégica
[18/07/2014] - Economia afeta consumo e segura a arroba
[18/07/2014] - Milho abaixo de R$ 10 a saca
[17/07/2014] - Pressão de baixa sobre a arroba não é generalizada
[17/07/2014] - CEPEA: arroba cai, custos em alta
[17/07/2014] - Embargos derrubam exportações do Mato Grosso
[17/07/2014] - Reposição está até 26% mais cara no MT
[17/07/2014] - Alta das carnes ajuda a reduzir deflação
[17/07/2014] - Produtores denunciam abates clandestinos de índios
[17/07/2014] - Lácteos Brasil pode se tornar venezuelana?
[16/07/2014] - Mercado do boi continua devagar
[16/07/2014] - Reposição: só bezerro caiu no MS
[16/07/2014] - Laboratório tenta relançar promotor polêmico
[16/07/2014] - BNDES: quebra do Independência foi surpresa
[16/07/2014] - LBR pode arrecadar R$ 740 mi com ativos
[15/07/2014] - Exportações de carne: alta forte e novos recordes
[15/07/2014] - Frigoríficos mantém pressão de baixa
[15/07/2014] - Vendas de carne melhoram
[15/07/2014] - China dificulta compras de produtos elaborados
[15/07/2014] - Lei contra a tuberculose já vale no Mato Grosso
[15/07/2014] - Como usar a ureia no período da seca?
[15/07/2014] - JBS avança no setor de aves com nova compra
[15/07/2014] - O tombo no preço do milho
[15/07/2014] - Deputado quer proibir transgênicos por lei
[14/07/2014] - JBS demite e funcionários temem fechamento em SP
[14/07/2014] - Arroba: escalas mais longas e pressão de baixa
[14/07/2014] - Preço da carne bovina faz surgir rodízio suíno
[14/07/2014] - Lácteos: exportações aumentaram
[14/07/2014] - Valor da produção cresce menos que previsão
[11/07/2014] - Avermectinas: guerra entre frigorífico e produtor
[11/07/2014] - Oferta de confinado melhora e pressiona a arroba
[11/07/2014] - Venda de carne está lenta e pressiona frigoríficos
[11/07/2014] - Semana lenta na reposição
[11/07/2014] - Renegociação depende de norma do governo
[11/07/2014] - Acabou a tranquilidade nas fazendas de SP
[10/07/2014] - Escalas mais longas pressionam o boi, diz CEPEA
[10/07/2014] - Exportações de carne continuam com força
[10/07/2014] - Bezerro continua em alta no Mato Grosso do Sul
[10/07/2014] - Indústria do agro cresce 7,1% no MS

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br