Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
214,00 202,00 213,00
GO MT RJ
202,00 190,00 200,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2010,00
Garrote 18m 2310,00
Boi Magro 30m 2780,00
Bezerra 12m 1445,00
Novilha 18m 1690,00
Vaca Boiadeira 2110,00

Atualizado em: 13/7/2020 10:37

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos dizem temer novo embargo da China

 
 
 
Publicado em 24/06/2020

O maior controle exigido por Pequim para evitar uma segunda onda do novo coronavírus começou a afetar os frigoríficos brasileiros. Em um esforço de precaução, o Ministério da Agricultura suspendeu voluntariamente a autorização para o Frigorífico Agra, localizado em Rondonópolis (MT), exportar carne bovina à China. Ontem, a Administração Geral de Alfândegas do país asiático (GACC, na sigla
em inglês) informou publicamente ter recebido a decisão do governo brasileiro.

O temor de outros frigoríficos é que a ocorrência de casos de covid-19 entre funcionários seja suficiente para bloquear mais abatedouros, ainda que não existam evidências de contaminação pela carne.

Na indústria, a decisão do Ministério da Agricultura provocou muita confusão. Enquanto uns encararam a medida como precaução necessária, outros atribuíram a suspensão a uma falha de comunicação entre os dois países.

Do ponto de vista estratégico, o Ministério da Agricultura teria razão para agir de forma voluntária, sustentam fontes do setor. Ao suspender a autorização para o Frigorífico Agra exportar, a Pasta tomou as rédeas do processo, evitando que os chineses vetassem a unidade por conta própria. Sendo assim, o ministério poderá reinserir o abatedouro na lista dos autorizada a vender para a China, afirma uma fonte.

Por outro lado, há quem argumente que a suspensão foi um grande mal-entendido. Conforme uma fonte, a GACC teria se equivocado ao receber informações sobre as medidas adotadas pelo frigorífico. Na semana passada, a unidade foi paralisada temporariamente por decisão da vigilância sanitária local. A parada, que ocorreu após a suspeita de casos de covid-19 entre os funcionários, motivou a testagem de todos os trabalhadores da companhia, o que permitiu que o frigorífico fosse
autorizado a reabrir na segunda-feira.

“Por notícias e interpretações equivocadas, a GACC entendeu que, por causa da parada temporária, a planta teria sido suspensa pelo Ministério da Agricultura ou por iniciativa própria, o que não ocorreu”, afirma uma fonte. O Valor tentou contato com o Agra, mas não conseguiu localizar um porta-voz da empresa.

Procurado, o ministério negou que tenha havido uma falha de comunicação. “Não tem erros. Informamos às autoridades chinesas no domingo que, no momento, o estabelecimento estava suspenso por iniciativa deles para realização de testes nos funcionários, que teve um número de confirmados baixo. O estabelecimento já adotou as medidas necessárias de prevenção e voltou suas atividades. Agora o Ministério da Agricultura está preparando a documentação para solicitar a continuidade de exportação deste estabelecimento para China”, apontou a Pasta, em nota ao Valor.

O pano de fundo para o imbróglio que pôs executivos do setor frigorífico em alerta foi o reaparecimento da covid-19 em Pequim. Autoridades de saúde do país asiático estudam a hipótese de que a contaminação tenha ocorrido por meio de salmão importado. Nesse cenário, a embaixada brasileira em Pequim avisou que, como medida preventiva, o Bureau Municipal para Regulação de Mercado anunciou que reforçaria a inspeção de alimentos frescos e carne congelada.

Conforme o Valor antecipou, o Itamaraty transmitiu aos exportadores de carnes do Brasil, na quarta feira passada, uma mensagem do embaixador do Brasil na China, Paulo Estivallet de Mesquita, alertando que as medidas anunciadas poderiam afetar as exportações.

Na quinta-feira, os exportadores receberam outra mensagem do Itamaraty. No texto, obtido pelo Valor, consta que a “autoridade sanitária chinesa solicita que o Brasil suspenda as exportações de produtos alimentícios cujos estabelecimentos produtores tenham identificado funcionários infectados com a covid-19, em situação que crie risco de contaminação dos alimentos”.

Questionado sobre o pedido chinês, o Ministério da Agricultura informou que o posicionamento da Pasta “está alinhado com o documento da FAO e da OMS, e baseado na nota técnica da Anvisa, que aponta que não há evidência científica da transmissão do covid-19 por alimentos. No momento, estamos atendendo uma solicitação de informações do país importador”.

Procurada, a Associação Brasileira de Proteína Anima (ABPA) também ressaltou “que não há risco de contaminação de alimentos” e frisou que as indústrias adotaram protocolo de prevenção “validado cientificamente pelo Hospital Albert Einstein”. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[13/07/2020] - Agro brasileiro ocupa espaço no mercado mundial
[13/07/2020] - EUA: Covid não é transmitido pelos alimentos
[13/07/2020] - MP já pediu o fechamento de 11 frigoríficos
[13/07/2020] - Impasse no mercado do boi
[13/07/2020] - Arroba: pressão de baixa não funcionou
[13/07/2020] - JBS aproveita caixa alto para antecipar dívidas
[13/07/2020] - Molina compra mais ações da Marfrig
[13/07/2020] - Qual a tendência para o preço do milho?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[10/07/2020] - PIB do Agro deve crescer quase 9% em 2020
[10/07/2020] - Exportações do Agro são as maiores da história
[10/07/2020] - FIESP prevê disparada no preço da carne bovina
[10/07/2020] - Arroba: frigoríficos continuam precisando de boi
[10/07/2020] - Mercado faz sua aposta para o futuro da arroba
[10/07/2020] - Carne bovina volta a subir no atacado
[10/07/2020] - Justiça manda JBS seguir normas estaduais
[10/07/2020] - Normas podem reduzir produção de frigos em 50%
[09/07/2020] - Começa a faltar carne na China
[09/07/2020] - Exportações: governo manda carta aos chineses
[09/07/2020] - Arroba: frigoríficos pressionam o pecuarista
[09/07/2020] - Arroba do boi volta ao recorde de dezembro
[09/07/2020] - Frigoríficos: excesso de normas gera confusão
[09/07/2020] - Preço do milho em alta
[09/07/2020] - Pedidos de seguro-desemprego recuam em junho
[09/07/2020] - Governo permite inspeção privada em frigoríficos
[09/07/2020] - Crédito rural cresceu 11% em 2020
[09/07/2020] - Agro responde por 72% das exportações de SC
[08/07/2020] - Tendência para o boi é de alta
[08/07/2020] - Como estão as exportações de carne em julho?
[08/07/2020] - Arroba: pressão dos frigoríficos fracassou
[08/07/2020] - Onde o preço do bezerro disparou?
[08/07/2020] - Comércio tem maior alta nas vendas em 20 anos
[08/07/2020] - Inflação subiu em junho, segundo a FGV
[08/07/2020] - Mais um recorde a ser batido pelo Agro brasileiro
[08/07/2020] - Teste detecta 185 funcionários curados em frigoríf
[07/07/2020] - PIB da Pecuária cresceu 8% de janeiro a abril
[07/07/2020] - Frigoríficos querem testar carne vendida à China
[07/07/2020] - Pequenos frigoríficos têm medo de vender à China
[07/07/2020] - Arroba: o boi vai continuar subindo?
[07/07/2020] - Reposição: mercado está aquecido
[07/07/2020] - Leite: preço dos lácteos disparou em junho
[07/07/2020] - Marfrig lança crédito para bares e restaurantes
[07/07/2020] - JBS informa contaminação em outra unidade
[07/07/2020] - Governador do MS é indiciado por propinas da JBS
[07/07/2020] - Bolsonaro testa positivo para o coronavírus
[06/07/2020] - China suspende importações de mais duas unidades
[06/07/2020] - Justiça permite que JBS reabra unidade
[06/07/2020] - Tereza Cristina fala sobre o embargo chinês
[06/07/2020] - Abrafrigo confirma recorde na exportação de carne
[06/07/2020] - Arroba; mercado firme para o boi
[06/07/2020] - Reabertura de restaurantes pode puxar preço do boi
[06/07/2020] - Varejo segue repassando alta do boi para a carne
[06/07/2020] - Milho chega perto de R$ 50 a saca
[03/07/2020] - Um alerta urgente para toda a Pecuária Brasileira
[03/07/2020] - Qual será o real impacto do embargo chinês aqui?
[03/07/2020] - Arroba: frigoríficos precisam comprar boi
[03/07/2020] - Arroba do boi já chegou a R$ 214 em MG
[03/07/2020] - Preço do boi disparou também no Rio Grande do Sul
[03/07/2020] - Expointer 2020 é oficialmente cancelada

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br