Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
214,00 202,00 213,00
GO MT RJ
202,00 190,00 200,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2010,00
Garrote 18m 2310,00
Boi Magro 30m 2780,00
Bezerra 12m 1445,00
Novilha 18m 1690,00
Vaca Boiadeira 2110,00

Atualizado em: 13/7/2020 10:37

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

China suspende mais três frigoríficos brasileiros

 
 
 
Publicado em 30/06/2020

Em um movimento ainda confuso para os frigoríficos brasileiros, a China suspendeu a habilitação de três abatedouros que estavam autorizados a exportar ao país e tiveram casos de covid-19 entre funcionários. A decisão, tomada nos últimos dias, ampliou o temor com a imprevisibilidade do parceiro comercial.

Desde a semana passada, quatro frigoríficos brasileiros tiveram a licença para exportar à China retirada, pelo menos temporariamente. Fazem parte da lista as unidades mato-grossenses de abate de bovinos de Várzea Grande, da Marfrig, e de Rondonópolis, que é da Agra (Grupo Alibem). Na indústria avícola, foram suspensas as exportações do frango processado pela Minuano em Lajeado e pela JBS em Passo Fundo – ambas no Rio Grande do Sul.

Na contramão do discurso alardeado – inclusive pelas autoridades chinesas – desde a semana passada, quando as restrições começaram, a decisão não partiu do Ministério da Agricultura do Brasil. Fontes chegaram a dizer que a Pasta estaria agindo preventivamente após os pedidos feitos pelos chineses sobre a situação de determinados frigoríficos. Nesse cenário, a reinserção das plantas na lista de
autorizados a vender à China seria simples.

Mas Agra, Marfrig e Minuano tiveram as autorizações retiradas pela Administração Geral de Alfandêgas da China (GACC, na sigla em inglês). Dos quatro abatedouros suspensos, o da JBS foi a único a ter a licença suspensa por decisão do governo brasileiro, mas apenas porque a unidade está, desde o fim da semana passada, paralisada pela Justiça do Trabalho.

Em nota, o Ministério da Agricultura admitiu desconhecer os motivos que levaram os chineses a suspender os frigoríficos. A Pasta informou que “está buscando junto à GACC as razões da suspensão dos três estabelecimentos”, e que, ao mesmo tempo, iniciou negociações para que as suspensões possam ser levantadas, visando à retomada por parte dessas empresas das exportações para a China”. Segundo o ministério, a portaria que determina as medidas de “prevenção, controle e mitigação” de riscos de transmissão da covid-19 nos frigoríficos foi traduzida para o mandarim e enviada para as autoridades chinesas.

Diante da falta de informações sobre a motivação de Pequim, a tensão segue no ar. Não está claro se outros frigoríficos que registraram casos de covid-19 entre os funcionários serão atingidos por medidas de restrição. Além disso, os brasileiros não são os únicos afetados – empresas do Reino Unido, Holanda, Estados Unidos e Canadá também tiveram unidades suspensas. Como pano de fundo, a estratégia de
Pequim para evitar a contaminação da covid-19 via importação de alimentos, mesmo não existindo evidências de que esses produtos possam transmitir o vírus.

Outro motivo de inquietação no setor é que, embora os atingidos pela decisão chinesa tenham registrado casos de coronavírus entre funcionários, não há um padrão determinado entre as plantas atingidas. “Tudo é possível tratando-se de China”, lamentou uma fonte do setor. Há desde casos de abatedouros que tiveram número de casos recentes e relativamente pequeno – a Agra registrou cerca de dez casos em Rondonópolis- até frigoríficos que tiveram surtos relevantes, mas que ocorreram há mais tempo.

Esse é o caso da Minuano de Lajeado, que chegou a ficar paralisada temporariamente pela Justiça, mas em meados de maio. Outras unidades na mesma situação, no entanto, não sofreram com as restrições dos chineses, pelo menos por enquanto.

No caso da Marfrig de Várzea Grande, a esperança é que o protocolo de segurança da empresa, que testou todos os funcionários para detectar a covid-19, ajude no processo de reinserção do abatedouro na lista de autorizados por Pequim.

Por enquanto, a companhia terá de realocar a carne exportada à China para outras unidades. No Brasil, a empresa tem outros seis abatedouros habilitados a vender ao país asiático. De toda forma, a retirada do frigorífico de Várzea Grande é negativa, dado que a planta é a mais importante para o grupo no Brasil e, no último ano, recebeu investimentos em ampliação. Além disso, mesmo que existam mercados alternativos, nenhum deles é tão relevante quanto a China, de acordo com analistas.

Na bolsa, a decisão chinesa não teve grande impacto. As ações da Marfrig ficaram praticamente estáveis na B3. Procurada pelo Valor, a Marfrig não comentou. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) também não respondeu. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[13/07/2020] - Agro brasileiro ocupa espaço no mercado mundial
[13/07/2020] - EUA: Covid não é transmitido pelos alimentos
[13/07/2020] - MP já pediu o fechamento de 11 frigoríficos
[13/07/2020] - Impasse no mercado do boi
[13/07/2020] - Arroba: pressão de baixa não funcionou
[13/07/2020] - JBS aproveita caixa alto para antecipar dívidas
[13/07/2020] - Molina compra mais ações da Marfrig
[13/07/2020] - Qual a tendência para o preço do milho?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[10/07/2020] - PIB do Agro deve crescer quase 9% em 2020
[10/07/2020] - Exportações do Agro são as maiores da história
[10/07/2020] - FIESP prevê disparada no preço da carne bovina
[10/07/2020] - Arroba: frigoríficos continuam precisando de boi
[10/07/2020] - Mercado faz sua aposta para o futuro da arroba
[10/07/2020] - Carne bovina volta a subir no atacado
[10/07/2020] - Justiça manda JBS seguir normas estaduais
[10/07/2020] - Normas podem reduzir produção de frigos em 50%
[09/07/2020] - Começa a faltar carne na China
[09/07/2020] - Exportações: governo manda carta aos chineses
[09/07/2020] - Arroba: frigoríficos pressionam o pecuarista
[09/07/2020] - Arroba do boi volta ao recorde de dezembro
[09/07/2020] - Frigoríficos: excesso de normas gera confusão
[09/07/2020] - Preço do milho em alta
[09/07/2020] - Pedidos de seguro-desemprego recuam em junho
[09/07/2020] - Governo permite inspeção privada em frigoríficos
[09/07/2020] - Crédito rural cresceu 11% em 2020
[09/07/2020] - Agro responde por 72% das exportações de SC
[08/07/2020] - Tendência para o boi é de alta
[08/07/2020] - Como estão as exportações de carne em julho?
[08/07/2020] - Arroba: pressão dos frigoríficos fracassou
[08/07/2020] - Onde o preço do bezerro disparou?
[08/07/2020] - Comércio tem maior alta nas vendas em 20 anos
[08/07/2020] - Inflação subiu em junho, segundo a FGV
[08/07/2020] - Mais um recorde a ser batido pelo Agro brasileiro
[08/07/2020] - Teste detecta 185 funcionários curados em frigoríf
[07/07/2020] - PIB da Pecuária cresceu 8% de janeiro a abril
[07/07/2020] - Frigoríficos querem testar carne vendida à China
[07/07/2020] - Pequenos frigoríficos têm medo de vender à China
[07/07/2020] - Arroba: o boi vai continuar subindo?
[07/07/2020] - Reposição: mercado está aquecido
[07/07/2020] - Leite: preço dos lácteos disparou em junho
[07/07/2020] - Marfrig lança crédito para bares e restaurantes
[07/07/2020] - JBS informa contaminação em outra unidade
[07/07/2020] - Governador do MS é indiciado por propinas da JBS
[07/07/2020] - Bolsonaro testa positivo para o coronavírus
[06/07/2020] - China suspende importações de mais duas unidades
[06/07/2020] - Justiça permite que JBS reabra unidade
[06/07/2020] - Tereza Cristina fala sobre o embargo chinês
[06/07/2020] - Abrafrigo confirma recorde na exportação de carne
[06/07/2020] - Arroba; mercado firme para o boi
[06/07/2020] - Reabertura de restaurantes pode puxar preço do boi
[06/07/2020] - Varejo segue repassando alta do boi para a carne
[06/07/2020] - Milho chega perto de R$ 50 a saca
[03/07/2020] - Um alerta urgente para toda a Pecuária Brasileira
[03/07/2020] - Qual será o real impacto do embargo chinês aqui?
[03/07/2020] - Arroba: frigoríficos precisam comprar boi
[03/07/2020] - Arroba do boi já chegou a R$ 214 em MG
[03/07/2020] - Preço do boi disparou também no Rio Grande do Sul
[03/07/2020] - Expointer 2020 é oficialmente cancelada

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br