Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
279,00 268,00 274,00
GO MT RJ
271,00 265,00 271,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2400,00
Garrote 18m 2940,00
Boi Magro 30m 3660,00
Bezerra 12m 2100,00
Novilha 18m 2630,00
Vaca Boiadeira 2850,00

Atualizado em: 23/11/2020 10:10

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Agro brasileiro ocupa espaço no mercado mundial

 
 
 
Publicado em 13/07/2020

Se no mercado interno a demanda por grãos e carnes continua abalada por causa das medidas de isolamento social, no comércio exterior o Brasil fortalece seu papel de principal fornecedor de alimentos. O ganho de espaço no cenário internacional é atribuído à alta do dólar, que torna os produtos brasileiros competitivos e/ou mais “baratos” para o comprador estrangeiro, ao aumento da demanda dos principais clientes, que começam a voltar às compras após a quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus, e, por fim, porque outros importantes players mundiais estão enfrentando dificuldades de suprir o apetite dos importadores.

Nos Estados Unidos, os estoques de soja estão em patamares não muito confortáveis e a produção de carnes despencou com a paralisação de grandes frigoríficos, com funcionários infectados pelo novo coronavírus. Criadores norte-americanos se veem obrigados a sacrificar animais nas propriedades e os consumidores deparam com prateleiras sem carnes nos supermercados. A Argentina, outro importante fornecedor mundial de soja e milho, também tenta driblar os problemas provocados pela pandemia e pela crise de endividamento. O país vizinho elevou as tarifas de exportação de grãos, tirando competitividade dos produtos.

Enquanto isso, o Brasil vem embarcando volumes recordes de grãos e carnes nos primeiros meses deste ano. Dados levantados pela Associação Nacional de Exportadores de Cereais (Anec) mostram que, de janeiro a maio de 2020, as exportações brasileiras de soja chegaram a quase 50 milhões de toneladas, mais precisamente 49,7 milhões de toneladas. E, com base no ritmo dos embarques dos portos na primeira semana de junho, a projeção da entidade aponta para um total de 60,5 milhões de toneladas de soja no primeiro semestre do ano.

Além do volume, chama a atenção a distribuição das exportações brasileiras por portos. O fluxo de soja e milho cresce muito tanto no sistema Sul e Sudeste como no chamado Arco Norte, conjunto de portos que vai de Rondônia a Salvador.

Somente o Porto de Barcarena, no Pará, exportou quase o mesmo volume que o tradicional Porto de Paranaguá (PR), o segundo maior do país. Em Santos, maior porta de entrada e saída de mercadorias da América Latina, o ritmo de embarques também segue acelerado.

Custos

Ao mesmo tempo que o dólar alto valoriza os grãos brasileiros e estimula as vendas externas do país, pressiona os pecuaristas, que dependem de soja e milho para a nutrição animal. Segundo o sócio-diretor da Athenagro, Maurício Palma Nogueira, a escalada nos preços dos grãos no Brasil deve reduzir os ganhos e margens da cadeia de carnes. “Não acredito que consista numa ameaça que inviabilize a produção, mas irá impactar as margens, aumentando a exigência gerencial dos produtores”, disse ele em reportagem publicada no site da revista Globo Rural.

Sobre as carnes, aliás, o Brasil também vem registrando desempenho histórico nas exportações. No mês de maio, o país colocou nos navios, em média, 7,76 mil toneladas de carne bovina in natura por dia (+37%) e fechou o mês com o total de 155,13 mil toneladas – um recorde. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/11/2020] - Arroba: analista crê em alta do boi em dezembro
[23/11/2020] - Arroba: frigoríficos fora das compras
[23/11/2020] - Carne recua no atacado
[23/11/2020] - Milho: como está o mercado no início da semana?
[23/11/2020] - Bolsonaro: conservação ambiental com prosperidade
[23/11/2020] - Como registrar gratuitamente seu trator?
[23/11/2020] - Vândalos destroem silos com soja na Argentina

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/11/2020] - Leite: deputados pedem travas às importações
[20/11/2020] - Arroba: frigoríficos conseguem pequena folga
[20/11/2020] - Semana foi de pressão dos frigoríficos
[20/11/2020] - Analista diz que tendência para o boi não mudou
[20/11/2020] - China continuará importando carne suína por anos
[20/11/2020] - Carne suína alemã pode ser banida por mais de ano
[19/11/2020] - SEM ALTERNATIVA, PRODUTOR DE LEITE ABATE VACAS
[19/11/2020] - Arroba: pecuarista não vende a preço menor
[19/11/2020] - CEPEA confirma queda de braço no boi
[19/11/2020] - Balança comercial do Agro bate novo recorde
[19/11/2020] - Produtores artesanais de carne têm novas regras
[18/11/2020] - Arroba: pecuaristas reagem e travam venda de bois
[18/11/2020] - China defende inspeções em embalagens de carne
[18/11/2020] - CEPEA: leite pode cair até 7% em novembro
[18/11/2020] - Leite: produtores do PR também prevêem queda forte
[18/11/2020] - Produtor de leite sofre com alta nos custos
[18/11/2020] - IGP-M sobe forte, sem sinal de alívio
[18/11/2020] - Dólar cai a R$ 5,30 com otimismo global
[18/11/2020] - Crédito rural dispara 20% no Banco do Brasil
[18/11/2020] - Gripe aviária se espalha por países europeus
[17/11/2020] - Exportações devem bater novamente o recorde
[17/11/2020] - Exportadores protestam contra acusações da China
[17/11/2020] - Argentinos crêem que acusação é para baixar preços
[17/11/2020] - CEO da Marfrig nega contaminação na carne
[17/11/2020] - Arroba: quem aceitou a manobra dos frigoríficos?
[17/11/2020] - Pecuaristas não aceitam queda de preço no boi
[17/11/2020] - Disparada dos grãos anula alta do boi
[17/11/2020] - Até quando vai faltar milho?
[16/11/2020] - Arroba: estratégia dos frigoríficos funcionou?
[16/11/2020] - Carne sobe no atacado, mas negócios travam
[16/11/2020] - Acusação da China não trará problemas ao Marfrig
[16/11/2020] - Frigol reforça time para encarar os grandes
[16/11/2020] - Leite: pecuaristas gaúchos pedem socorro
[16/11/2020] - Leite: produtores contam prejuízos
[16/11/2020] - Milho: impasse no mercado
[16/11/2020] - IGP-10 mostra aceleração da inflação
[16/11/2020] - Ferrovia ganha espaço no Agro de Mato Grosso
[16/11/2020] - Pix: pagamento instantâneo começa a funcionar hoje
[13/11/2020] - FRIGORÍFICOS UNIDOS PARA DERRUBAR A ARROBA
[13/11/2020] - Frigoríficos se queixam do preço do boi
[13/11/2020] - Arroba: hora de tomar cuidado
[13/11/2020] - China: cidade centro da epidemia acusa o Marfrig
[13/11/2020] - China: notificação não assusta mercado do boi
[13/11/2020] - Acusação chinesa derruba ações da Marfrig
[13/11/2020] - MAPA prevê crescimento de 6% para PIB da Pecuária
[13/11/2020] - PIB brasileiro se recupera acima da expectativa
[13/11/2020] - SP retira período de carência após a vacinação
[12/11/2020] - Arroba: boi comum também vai bater os R$ 300?
[12/11/2020] - Scot: dia agitado no mercado do boi
[12/11/2020] - CEPEA: alta do boi passa de 5% em novembro

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br