Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
279,00 266,00 274,00
GO MT RJ
271,00 264,00 274,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2400,00
Garrote 18m 2940,00
Boi Magro 30m 3660,00
Bezerra 12m 2100,00
Novilha 18m 2630,00
Vaca Boiadeira 2850,00

Atualizado em: 25/11/2020 08:46

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Dólar cai abaixo dos R$ 5,10

 
 
 
Publicado em 22/07/2020

A melhora da percepção sobre o quadro político brasileiro contribui para manter o real na dianteira dos melhores desempenhos entre as moedas globais nesta quarta-feira. Mesmo diante de um ambiente externo mais desafiador, refletindo tensões renovadas entre Estados Unidos e China, a moeda americana manteve queda firme e furou o patamar de R$ 5,10.

Por volta das 13h30, o dólar operava em queda de 2,16%, a R$ 5,0971. Na mínima intradiária, tocou R$ 5,0906, o menor patamar desde os R$ 5,0484 registrados em 16 de junho.

Com isso, o real tem o melhor desempenho entre as 33 principais divisas do mundo pela segunda sessão consecutiva. Contra a rúpia indonésia, a segunda divisa de melhor desempenho da sessão, a queda era de 1,25%.

Para Jairo Rezende, gerente de Tesouraria do Bank of China, o fato novo continua sendo a mudança de postura do governo em relação ao Congresso na negociação das reformas, que voltaram à fazer parte da agenda legislativa. "Até me surpreende essa queda rápida, porque ficamos durante um bom tempo operando numa banda entre R$ 5,25 e R$ 5,40, sem conseguir furá-la", nota. "Mas não vejo outro motivo específico além dessa sinalização de negociação entre governo e Congresso."

O profissional lembra ainda que o real é uma das divisas que mais se desvalorizaram em relação ao dólar. "Na hora de fazer o caminho de volta, é até natural que seja tenha performance melhor que a dos pares", diz. No ano, a moeda americana acumula alta de 27,40% em relação ao real, contra 17,50% do peso mexicano e 15,16% da lira turca.

Recentemente, alguns gestores têm notado que, depois de muito tempo com performance abaixo da observada por outros ativos locais, o real poderia começar a recuperar esse terreno perdido em meio a um recuo da volatilidade, que foi a grande marca do mercado cambial nas últimas semanas, mas vem se reduzindo ultimamente.

Em live promovida pelo Valor mais cedo, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou a tratar do tema. O dirigente afirmou que as investigações promovidas pela instituição apontam para a influência de alguns elementos novos na negociação, como o uso de contratos menores de câmbio e fundos de negociação automatizada. Ainda assim, eles não conseguem responder inteiramente pelo problema identificado. Campos disse que as investigações ainda continuam, mas que a volatilidade de longo prazo já está em patamar mais normal e que "vai tender a cair" nas próximas semanas, sem entrar em detalhes.

Lá fora, após um início de sessão mais negativo refletindo os ativos de risco ensaiam uma recuperação. Os índices acionários em Nova York operam perto da estabilidade. Já o dólar caía 0,34% contra o peso mexicano, após apontar alta de 0,10% no início da manhã.

Mesmo com a recaída do sentimento de risco após os Estados Unidos exigirem o fechamento de um consulado chinês em Houston, o índice DXY da ICE, que compara o dólar com uma cesta de divisas desenvolvidas, permanece com viés de baixa, o que é outro fator positivo para a moeda brasileira. No horário citado, ele recuava 0,20%, aos 94,92 pontos.

"O Dollar Index está revertendo a tendência de longo prazo iniciada em início de 2018. Abaixo de 96,50 abre tendência de longo prazo de baixa", diz José Faria Junior, diretor da WIA Investimentos. "Com a alta das commodities, notadamente dos metais, do euro e das principais moedas de commodities, era previsível a valorização do real."  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[25/11/2020] - Qual a perspectiva para o boi em 2021?
[25/11/2020] - Arroba: pecuarista continua recusando oferta menor
[25/11/2020] - Alta na arroba não alivia situação do pecuarista
[25/11/2020] - Frigoríficos exportadores sob pressão
[25/11/2020] - Milho: preços futuros em queda
[25/11/2020] - Leite: preço subiu menos que o custo no RS
[25/11/2020] - Frigoríficos gaúchos cobram taxa do século passado

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[25/11/2020] - IPEA prevê crescimento menor do Agro
[25/11/2020] - China ameaça Brasil por tuíte de Eduardo Bolsonaro
[24/11/2020] - Frigoríficos usam domínio para derrubar o boi
[24/11/2020] - Arroba: pecuaristas não aceitam ofertas menores
[24/11/2020] - Exportações perdem força mas recorde é provável
[24/11/2020] - Frigoríficos não conseguem alongar as escalas
[24/11/2020] - Consultoria prevê que pressão sobre o boi continua
[24/11/2020] - Seca leva produtores do RS ao desespero
[24/11/2020] - Governo vai cobrar IPVA de trator?
[23/11/2020] - Arroba: analista crê em alta do boi em dezembro
[23/11/2020] - Arroba: frigoríficos fora das compras
[23/11/2020] - Carne recua no atacado
[23/11/2020] - Milho: como está o mercado no início da semana?
[23/11/2020] - Bolsonaro: conservação ambiental com prosperidade
[23/11/2020] - Como registrar gratuitamente seu trator?
[23/11/2020] - Vândalos destroem silos com soja na Argentina
[20/11/2020] - Leite: deputados pedem travas às importações
[20/11/2020] - Arroba: frigoríficos conseguem pequena folga
[20/11/2020] - Semana foi de pressão dos frigoríficos
[20/11/2020] - Analista diz que tendência para o boi não mudou
[20/11/2020] - China continuará importando carne suína por anos
[20/11/2020] - Carne suína alemã pode ser banida por mais de ano
[19/11/2020] - SEM ALTERNATIVA, PRODUTOR DE LEITE ABATE VACAS
[19/11/2020] - Arroba: pecuarista não vende a preço menor
[19/11/2020] - CEPEA confirma queda de braço no boi
[19/11/2020] - Balança comercial do Agro bate novo recorde
[19/11/2020] - Produtores artesanais de carne têm novas regras
[18/11/2020] - Arroba: pecuaristas reagem e travam venda de bois
[18/11/2020] - China defende inspeções em embalagens de carne
[18/11/2020] - CEPEA: leite pode cair até 7% em novembro
[18/11/2020] - Leite: produtores do PR também prevêem queda forte
[18/11/2020] - Produtor de leite sofre com alta nos custos
[18/11/2020] - IGP-M sobe forte, sem sinal de alívio
[18/11/2020] - Dólar cai a R$ 5,30 com otimismo global
[18/11/2020] - Crédito rural dispara 20% no Banco do Brasil
[18/11/2020] - Gripe aviária se espalha por países europeus
[17/11/2020] - Exportações devem bater novamente o recorde
[17/11/2020] - Exportadores protestam contra acusações da China
[17/11/2020] - Argentinos crêem que acusação é para baixar preços
[17/11/2020] - CEO da Marfrig nega contaminação na carne
[17/11/2020] - Arroba: quem aceitou a manobra dos frigoríficos?
[17/11/2020] - Pecuaristas não aceitam queda de preço no boi
[17/11/2020] - Disparada dos grãos anula alta do boi
[17/11/2020] - Até quando vai faltar milho?
[16/11/2020] - Arroba: estratégia dos frigoríficos funcionou?
[16/11/2020] - Carne sobe no atacado, mas negócios travam
[16/11/2020] - Acusação da China não trará problemas ao Marfrig
[16/11/2020] - Frigol reforça time para encarar os grandes
[16/11/2020] - Leite: pecuaristas gaúchos pedem socorro
[16/11/2020] - Leite: produtores contam prejuízos

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br