Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
250,00 242,00 245,00
GO MT RJ
236,00 238,00 241,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2180,00
Garrote 18m 2430,00
Boi Magro 30m 3010,00
Bezerra 12m 1860,00
Novilha 18m 2330,00
Vaca Boiadeira 2440,00

Atualizado em: 1/10/2020 11:03

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Raios: ameaça constante ao pecuarista

 
 
 
Publicado em 10/09/2020

Em agosto deste ano, uma descarga atmosférica (raio) matou um pecuarista e cerca de 30 cabeças de gado em uma propriedade rural no município de Loanda, na região Noroeste do Paraná. O fato reacendeu a necessidade de discutir formas de prevenção a este tipo de acidente.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o meio rural é o ambiente onde mais ocorrem esses acidentes. Isso acontece porque as pessoas estão naturalmente expostas, trabalhando mais tempo a céu aberto. De acordo com o órgão, 26% das fatalidades com raios acontecem em áreas rurais. Os acidentes dentro de casa vêm em segundo lugar, com 21% dos casos fatais.

Entre 2000 e 2019, 2.194 pessoas foram vítimas de raios no Brasil, deste total, 114 no Paraná. Segundo dados da Defesa Civil, em 2019 foram nove vítimas de raios no Estado. Este ano, o único caso fatal até o momento foi o do pecuarista de Loanda.

De acordo com o Inpe, o Brasil é campeão mundial em incidência de raios, com cerca de 77,8 milhões de descargas no solo por ano. Para o coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto, Osmar Pinto Junior, isso ocorre porque o Brasil é o maior país em região tropical do mundo.

“Regiões mais quentes e mais úmidas são mais favoráveis”, afirma Junior. Desta forma, as estações do ano que mais concentram ocorrências são o verão e a primavera. “Varia de local para local. Na região Sul, principalmente no Paraná, o verão predomina, seguido da primavera. Na região da Amazônia, a primavera predomina”, complementa.

De acordo com o especialista, via de regra os acidentes acontecem durante tempestades, inclusive, quando se aproximam rapidamente, podem pegar as vítimas de surpresa.

“Tem que estar muito atento ao céu. Se enxergar uma tempestade, mesmo que esteja afastada, é bom interromper o trabalho. Se a pessoa já está ouvindo o barulho do trovão, a tempestade já está a pelo menos 20 quilometros de distância. Então, a sugestão é interromper o que estiver fazendo imediatamente, pois um raio pode andar na horizontal e atingir a pessoa”, orienta Junior.

Cuidado rural

Segundo o instrutor do SENAR-PR Ricardo Biscaro, a pecuária leiteira é uma das atividades onde mais costumam acontecer acidentes com raios. “Normalmente ficam muitos animais agrupados em pequenos piquetes. Em dias de chuva, as vacas acabam se juntando mais e, no caso de uma descarga, se não houver um aterramento correto na cerca, aquela energia vai se dissipar quando o animal encostar no arame”, observa.

A segurança, nesse caso, está ligada à boa instalação de cercas elétricas e/ou mesmo cercas de arame (farpado ou liso) por onde a energia elétrica pode correr no caso de uma descarga. “O produtor precisa fazer os aterramentos corretos, seguir os protocolos, principalmente no que se refere à instalação de para-raios. Hoje, posso afirmar que 90% das cercas estão mal instaladas”, afirma o instrutor, que ministra cursos na área de construção de cercas pelo SENAR-PR. “É fácil encontrar cercas com reaproveitamento de metal, fios oxidados, pedaços de enxada e foices. Pela forma como o pessoal lida com as cercas, até que acontece pouco acidente”, complementa Biscaro.

De acordo com o instrutor do SENAR-PR, o recomendado é que sejam feitos aterramentos a cada 200 metros de cerca. “Caso a região tenha alta incidência de raios, é preciso vários pontos na cerca com descarga [faiscadores no caso de cercas elétricas e aterramentos em cercas normais]. Dessa forma, quando ocorre uma descarga elétrica, essa energia não percorre toda cerca, vai ser dissipada”, diz.

Além do perigo para a saúde dos moradores, instalações malfeitas também podem queimar equipamentos caros, como ordenhadeiras e resfriadores.

Para auxiliar os produtores e trabalhadores rurais paranaenses a construir cercas de forma correta, o SENAR-PR oferece dois cursos: “Cercas de arame farpado e de arame liso” e “Cercas elétricas”.

Cuidado com os raios

Durante uma tempestade é importante tomar algumas precauções de segurança:

Evitar contato com cercas de arame, grades, tubos metálicos, linhas telefônicas, redes de energia elétrica e qualquer objeto ou estrutura metálica;

Afastar-se das máquinas agrícolas, motocicletas, bicicletas e carroças;

Não permanecer em locais descampados e abertos, como pastos, campos de futebol, piscinas, lagos e praias;

Ficar longe de árvores isoladas, postes, mastros e locais elevados;

Procurar edificações para se proteger;

Se o automóvel possui teto de metal, permanecer dentro com os vidros fechados até a tempestade passar; – Se estiver em campo aberto e não houver outra opção, abaixar-se e abraçar o joelho diminuindo ao máximo a altura. Com informações do INPE.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[01/10/2020] - MPF quer que Batistas expliquem suspeitas dos EUA
[01/10/2020] - JBS se socorre novamente no banco do grupo
[01/10/2020] - Frigoríficos podem dar férias coletivas?
[01/10/2020] - Disputa pelo boi está forte, arroba já bate R$ 260
[01/10/2020] - Arroba bate recorde, mas pecuarista não vê lucro
[01/10/2020] - Arroba: oferta maior não deve derrubar o boi
[01/10/2020] - China: oferta suína demorará a se recuperar
[01/10/2020] - Safra brasileira confirmou recorde em 2019
[01/10/2020] - Mercado de máquinas já voltou ao nível pré-crise
[01/10/2020] - Pecuaristas também são vítimas das queimadas
[01/10/2020] - Argentina deve reduzir impostos sobre a carne

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[30/09/2020] - Pecuaristas protestam contra ação dos frigoríficos
[30/09/2020] - Candidato à presidência dos EUA ameaça o Brasil
[30/09/2020] - Bolsonaro reage às ameaças de Biden
[30/09/2020] - China barra importações de unidade do Minerva
[30/09/2020] - Por que a unidade do Minerva foi embargada?
[30/09/2020] - Marfrig aposta em novas liberações pela China
[30/09/2020] - Arroba: referência já subiu em São Paulo
[30/09/2020] - Leite: até quando vai a alta nos preços?
[30/09/2020] - EUA podem comprar mais carne do Brasil
[30/09/2020] - MAPA está analisando sementes suspeitas em MS
[30/09/2020] - Mercado está mais otimista com a economia
[30/09/2020] - Desemprego bate recorde no Brasil
[30/09/2020] - Polônia também tem surto de peste suína
[29/09/2020] - Brasil recebe menos que concorrentes pela carne
[29/09/2020] - Arroba do boi pode voltar a subir em outubro
[29/09/2020] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[29/09/2020] - Paraná muda regras para trânsito de bovinos
[29/09/2020] - MAPA reforça alerta contra sementes misteriosas
[29/09/2020] - Chuvas podem voltar antes ao Centro-Sul do país
[29/09/2020] - IGP-M dispara em setembro
[28/09/2020] - Reposição já subiu mais de 50% em 2020
[28/09/2020] - Arroba: fim do auxílio emergencial derruba o boi?
[28/09/2020] - China quer parar de importar carne suína
[28/09/2020] - Milho volta a bater recorde do CEPEA
[28/09/2020] - Milho pode chegar a R$ 70 a saca ainda em 2020
[28/09/2020] - Sementes misteriosas chegaram ao Paraná
[25/09/2020] - Arroba: boi China já se aproxima de R$ 260
[25/09/2020] - Alta do boi está perdendo força?
[25/09/2020] - Tesouro dos EUA monitorava atividades da JBS
[25/09/2020] - Empresa suspeita tem relação com a JBS
[25/09/2020] - Alemanha cerca fronteira contra peste suína
[25/09/2020] - Prazo para entrega do ITR termina no dia 30
[24/09/2020] - JBS: BNDES aumenta pressão contra os Batista
[24/09/2020] - Arroba: frigoríficos sobem a oferta pelo boi
[24/09/2020] - Arroba: vai sobrar boi no final do ano?
[24/09/2020] - Reposição já subiu mais de 80% na Bahia
[24/09/2020] - Leite: alta generalizada nos preços
[24/09/2020] - Milho: alta continua em algumas praças
[24/09/2020] - Filipinas detecta novos focos de peste suína
[24/09/2020] - Polícia apreende gado contrabandeado do Paraguai
[23/09/2020] - Reservas de carne da China estão acabando
[23/09/2020] - Arroba: escalas de abate diminuíram. E agora?
[23/09/2020] - Exportações de carne seguem em bom ritmo
[23/09/2020] - JBS vai aumentar monitoramento de pecuaristas
[23/09/2020] - CEO de empresa da JBS é acusado de fraude
[23/09/2020] - JBS faz nova antecipação no banco do grupo
[23/09/2020] - Minerva usará software de ONG em monitoramento
[23/09/2020] - Agência eleva nota de crédito da Marfrig
[22/09/2020] - Está chegando a hora da queda do boi?
[22/09/2020] - Arroba: alta deu uma trégua

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br