Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
264,00 251,00 256,00
GO MT RJ
247,00 247,00 249,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2330,00
Garrote 18m 2810,00
Boi Magro 30m 3350,00
Bezerra 12m 2010,00
Novilha 18m 2490,00
Vaca Boiadeira 2670,00

Atualizado em: 23/10/2020 10:25

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Bolsonaro é desculpa para europeus travarem acordo

 
 
 
Publicado em 07/10/2020

O Parlamento Europeu advertiu nesta quarta-feira (07/10) que não ratificará o acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul "no seu estado atual" usando como desculpa uma suposta política ambiental contrária à Amazônia do governo do presidente Jair Bolsonaro. Essa orientação foi incluída numa resolução aprovada por 345 votos a favor, 295 contra e 56 abstenções.

Incluída pela bancada francesa num relatório sobre política comercial comum, a emenda contra o acordo, que não é vinculativa, ressalta "a profunda preocupação com a política ambiental de Jair Bolsonaro", que, segundo o texto, "contradiz os compromissos assumidos com o Acordo de Paris". "Nessas circunstâncias, o acordo entre a UE e o Mercosul não pode ser ratificado em seu atual estado", afirma o texto aprovado.

A França é, historicamente, contrária a acordos de livre-comércio que incluam produtos agrícolas (como o do Mercosul), por pressão de seu setor rural, fortemente subsidiado.

A emenda foi incluída num relatório do Parlamento Europeu sobre aplicação da política comercial comum. Ela afirma que o acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul tem potencial para criar um mercado aberto "que beneficiaria ambos os blocos, abrangendo 800 milhões de cidadãos".

O texto, porém, salienta que o acordo "deve garantir condições de concorrência leal e respeito pelas regulamentações e modos de produção europeus", além de conter um capítulo vinculativo sobre desenvolvimento sustentável "que deve ser aplicado, colocado em prática e plenamente avaliado".

Perda de aliados

Para entrar em vigor, o acordo – fechado em junho de 2019, após 20 anos de negociações – depende da ratificação de todos os países envolvidos. À época, o governo do presidente Jair Bolsonaro celebrou o desfecho como um triunfo da política externa.

Os parlamentos de Áustria, Holanda e o da região da Valônia, na Bélgica, já anunciaram que não darão seu aval ao acordo. A ratificação do pacto também encontra resistência na França, na Irlanda e em Luxemburgo. Pecuaristas da Irlanda protestam há anos contra a importação de carne brasileira, que chega à Europa com preços melhores que a carne irlandesa.

Até o mês passado, a Alemanha ainda constava entre os defensores europeus do acordo. No ano passado, a chanceler federal Angela Merkel chegou a defender publicamente o pacto contra as críticas do Bundestag (Parlamento alemão). Mas, no fim de agosto, Merkel, em um claro recado ao Brasil, disse ter "sérias dúvidas" sobre a implementação do acordo. Sua ministra da Agricultura já se posicionou contra.

Atualmente, o acordo está em processo de verificação jurídica e de tradução em todas as línguas oficiais da UE. Depois disso, ele precisa ser aprovado pelos legislativos de todos os países-membros e só então é analisado no Parlamento Europeu, que também precisa dar o seu aval para ele poder entrar em vigor. Com informações da Deutsche Welle.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/10/2020] - Arroba: frigoríficos sobem ofertas e não acham boi
[23/10/2020] - Consultor acredita que confinamento caiu 25%
[23/10/2020] - Acionista da JBS pede que Batistas a indenizem
[23/10/2020] - Confiança do consumidor caiu em outubro
[23/10/2020] - Aftosa: Mato Grosso deve adiar retirada da vacina
[22/10/2020] - Mercado já projeta arroba acima de R$ 290
[22/10/2020] - Arroba do boi: alta vai parar nos R$ 270?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/10/2020] - Alta do boi alivia custos que não param de subir
[22/10/2020] - China pede correções em frigoríficos embargados
[22/10/2020] - Disparada do milho não dá sinal de trégua
[22/10/2020] - Feiras do Pró-Genética chegarão a São Paulo
[21/10/2020] - Arroba: alta do boi continua
[21/10/2020] - Arroba dispara na Bolsa e passa de R$ 280
[21/10/2020] - Exportações seguem fortes
[21/10/2020] - JBS vai emitir dívida para comprar bois
[21/10/2020] - Leite: possível queda de preço preocupa o produtor
[21/10/2020] - Milho: preços dispararam hoje na Bolsa
[21/10/2020] - Milho: preços em alta em Goiás
[21/10/2020] - Milho: retirada de imposto não deve reduzir preços
[21/10/2020] - Exportação de milho deve superar expectativas
[21/10/2020] - Sementes misteriosas: já são 525 casos
[20/10/2020] - Brasil registra primeiro caso de Covid em animais
[20/10/2020] - Guerra JBS x BNDES entra em fase decisiva
[20/10/2020] - Exportações podem crescer 8% em outubro
[20/10/2020] - Arroba: começo de semana estável
[20/10/2020] - Como está a demanda chinesa pelo boi?
[20/10/2020] - MT tem a maior área plantada de milho desde 2014
[20/10/2020] - Estoques de milho continuarão curtos em MT
[20/10/2020] - Alta do IGP-M perde força
[20/10/2020] - EUA e Brasil dão passo para acordo comercial
[20/10/2020] - EUA e Brasil podem dobrar comércio em 5 anos
[19/10/2020] - Arroba: frigoríficos vão em busca de vacas
[19/10/2020] - Mercado futuro segue prevendo arroba a R$ 280
[19/10/2020] - Carne sem osso subiu em SP
[19/10/2020] - JBS diz que parcelou incentivo irregular de MS
[19/10/2020] - Governo zera imposto de importação do milho
[19/10/2020] - Importação de milho pode reduzir custo do leite
[19/10/2020] - Milho dispara e passa de R$ 70 a saca
[19/10/2020] - Brasil e EUA iniciam hoje acordo comercial
[19/10/2020] - Bolsonaro defende acordo comercial com os EUA
[16/10/2020] - Arroba: boi segue rumo aos R$ 270
[16/10/2020] - Medida do governo pode derrubar arroba do boi
[16/10/2020] - Exportações de carne têm reação em outubro
[16/10/2020] - Boi: rebanho cresceu pela primeira vez em 3 anos
[16/10/2020] - Leite: produção é a segunda maior desde 1974
[16/10/2020] - Preço do milho dispara na bolsa
[16/10/2020] - JBS: Brasil produz mais carne com menos terra
[16/10/2020] - JBS: operação mira grupo de Cid Gomes
[16/10/2020] - MAPA amplia rede de adidos agrícolas
[16/10/2020] - Mudanças fazem ITR disparar em algumas cidades
[15/10/2020] - Mercado futuro já projeta arroba a R$ 280
[15/10/2020] - Arroba: preço das fêmeas subiu
[15/10/2020] - Procura por bezerros está forte no Rio de Janeiro
[15/10/2020] - JBS: Batistas tentam pôr fim a escândalos nos EUA
[15/10/2020] - Produtores são vítimas de golpe em Santa Catarina
[15/10/2020] - Inmet prevê retorno consistente da chuva
[14/10/2020] - O tombo forte do confinamento

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br