Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
301,00 291,00 297,00
GO MT RJ
285,00 294,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2940,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2610,00
Novilha 18m 3010,00
Vaca Boiadeira 3220,00

Atualizado em: 7/5/2021 10:29

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Leite: produtores contam prejuízos

 
 
 
Publicado em 16/11/2020

A associação de fatores negativos – a seca prolongada, a forte elevação de preços dos insumos e a baixa demanda pelos produtos lácteos – criou uma situação de graves perdas para os produtores de leite de Santa Catarina, alerta a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), que reivindica medidas de apoio do Governo Federal.

“Precisamos de medidas agora para evitar que as perdas deixem os produtores em condição de insolvência”, pede o presidente José Zeferino Pedrozo. A FAESC e a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) estão sustentando a necessidade de medidas urgentes ao Ministério da Agricultura.

A seca que assola grandes regiões brasileiras e, com mais intensidade, o sul do Brasil, reduziu a disponibilidade de água nas regiões produtoras, destruiu boa parte das pastagens e acabou com 40% das silagens. Obter água e alimentos para a bovinocultura leiteira tornou-se o grande desafio dos pecuaristas catarinenses.

O custo de produção cresceu fortemente porque o Brasil exportou grande parte da safra de grãos (milho e farelo de soja), forçando para cima os preços desses dois importantes componentes da nutrição animal. A saca de milho está sendo vendida acima de R$ 80 reais e, a tonelada de farelo de soja, acima de R$ 2.700,00 – ou seja, subiram 75,2% e 96,6%, respectivamente, em outubro deste ano na comparação com o mesmo mês em 2019. Na contramão desse processo, enquanto os custos sobem, os preços pagos pelos laticínios aos produtores estão em queda, reflexo do comportamento do varejo: o consumo popular também está em queda.

Pedrozo aponta que a margem bruta da atividade no primeiro semestre deste ano foi 29,5% menor em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados do CEPEA. A queda na produção de leite foi de 11,7%, de acordo com o IBGE.

O dirigente reconhece que o Governo Federal adotou medidas para atenuar os prejuízos, como o auxílio emergencial, que estimulou o consumo de lácteos, o aumento de recursos para o programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e a autorização para que laticínios com o Selo de Inspeção Federal (SIF) comprassem leite de pequenas indústrias com inspeção estadual ou municipal.

O horizonte dos próximos meses, entretanto, é preocupante. Os Conselhos Paritários de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleites), que reúnem produtores e indústrias nos estados para definir os preços do produto, apontam redução de 4,8% no valor do leite produzido em outubro a ser pago em novembro, com perspectiva de queda até o final do ano.

A CNA e a FAESC propõem, entre outros pontos, a operacionalização de instrumentos de política agrícola como os leilões utilizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a compra de insumos a preços mais acessíveis pelos produtores, a subvenção ao prêmio pago na aquisição de contratos de opção privada de compra de grãos e outras iniciativas que possuam o mesmo fim.

É uma complexa questão da cadeia produtiva em pauta e uma “situação contraditória”, mostra o presidente da FAESC. O Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do planeta, mas, em razão da exportação acentuada de grãos, está sujeito a importar essa mesma matéria-prima (soja, milho e arroz) – pagando preços maiores – para manter setores essenciais do agronegócio, como o seu gigantesco parque agroindustrial.

Pedrozo esclarece que é absolutamente contra qualquer intervenção estatal no mercado porque o Brasil trabalha em regime de liberdade econômica, mas admite que é preciso encontrar um ponto de equilíbrio entre os interesses dos produtores de grãos e os produtores de aves, suínos e leite.

Observa que é uma matéria sensível, mas que precisa ser discutida pelo setor, até porque exportar produto acabado rende oito vezes mais para a balança comercial brasileira do que exportar commodities. Com informações da FAESC.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/05/2021] - Arroba: volume de negócios está fraco
[07/05/2021] - Quanto está valendo o boi em São Paulo?
[07/05/2021] - China: importações de carne próximas a recorde
[07/05/2021] - Arábia Saudita embarga frigoríficos brasileiros
[07/05/2021] - O que está por trás do embargo saudita?
[07/05/2021] - Câmara aprova cota para leite nacional na merenda
[07/05/2021] - Polícia faz operação contra roubo de gado em MS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[07/05/2021] - Bolsonaro vai a manifestação de produtores rurais
[06/05/2021] - Queda do boi não vai durar muito
[06/05/2021] - Arroba: frigoríficos pagam menos em SP
[06/05/2021] - Leite: produtor recebeu mais, mas riscos continuam
[06/05/2021] - Custo de produção do leite segue nas alturas
[06/05/2021] - Qual a previsão para o preço do milho?
[06/05/2021] - Governo esgota orçamento para crédito subsidiado
[06/05/2021] - Crédito rural cresceu 12% em um ano
[06/05/2021] - Bolsonaro deve mandar Força Nacional a Rondônia
[06/05/2021] - Tereza pede aprovação rápida da regularização
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa
[05/05/2021] - Lucro do Minerva cai com alta do boi
[05/05/2021] - Inseminação pode crescer 25% em 2021
[05/05/2021] - Europeus não querem regularização no Brasil
[05/05/2021] - Regularização fundiária não favorece a grilagem
[04/05/2021] - Frigoríficos seguram as compras
[04/05/2021] - Preço do boi tem pequena queda em Goiás
[04/05/2021] - Arroba: boi não cai em Mato Grosso
[04/05/2021] - Safra de milho deverá ser menor que o esperado
[04/05/2021] - Preço do milho pode subir ainda mais
[03/05/2021] - Exportações de carnes: o melhor abril da história
[03/05/2021] - Bolsonaro defende direito de propriedade
[03/05/2021] - Arroba: frigoríficos já escalados para esta semana
[03/05/2021] - Confinadores tentam reduzir custos
[03/05/2021] - Milho: produtores continuam segurando vendas
[03/05/2021] - Deputado quer criar mais despesa para pecuarista
[03/05/2021] - Criminosos simulam compra e roubam gado
[03/05/2021] - Governo prorroga dívidas de produtores rurais
[30/04/2021] - Força Nacional vai atuar contra grupo armado em RO
[30/04/2021] - Agro: maior geração de empregos desde 2007
[30/04/2021] - Arroba: pressão aumenta mas pecuarista resiste
[30/04/2021] - Leite: preço reage e volta a subir
[30/04/2021] - Milho: governo anuncia medidas para ampliar oferta
[30/04/2021] - Milho: já tem gente querendo R$ 110 pela saca
[30/04/2021] - Vacinação contra aftosa começa amanhã
[29/04/2021] - Queda do boi não deve durar muito
[29/04/2021] - Scot: oferta aumentou, mas boi segue a R$ 312
[29/04/2021] - Alta do boi não compensa valorização do milho
[29/04/2021] - Custo da recria e engorda disparou em MT
[29/04/2021] - Pressão de ambientalistas atrasa regularização
[28/04/2021] - Roubo de gado atrai crime organizado
[28/04/2021] - Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários
[28/04/2021] - Polícia faz operação contra carne de gado roubado
[28/04/2021] - Arroba: boi China continua em alta
[28/04/2021] - Arroba: frigoríficos testam preços menores
[28/04/2021] - Leite não sobe mesmo na entressafra
[28/04/2021] - Milho: tarifa zero não afetou preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br