Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
281,00 265,00 279,00
GO MT RJ
269,00 270,00 264,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2250,00
Garrote 18m 2690,00
Boi Magro 30m 3430,00
Bezerra 12m 2010,00
Novilha 18m 2430,00
Vaca Boiadeira 2660,00

Atualizado em: 15/1/2021 10:31

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Analista prevê ano favorável para a pecuária

 
 
 
Publicado em 11/01/2021

A oferta de gado para abate no Brasil não deverá ser melhor em 2021 do que foi no ano passado, fator que, aliado a uma demanda firme da China pela carne brasileira, deverá continuar a oferecer sustentação à arroba no campo. Mas, com a queda, o consumo doméstico deverá seguir mais fraco, sobretudo depois do fim do auxílio emergencial do governo.

“É um ciclo espetacular para o pecuarista, puxado principalmente pelo mercado externo”, resume o sócio-diretor da MB Agro, Alexandre Mendonça de Barros. Depois de bater recorde em novembro, quando superou R$ 280, o indicador Cepea/B3 para a arroba do boi gordo fechou o ano passado a R$267,15, 26,1% mais que no último dia de 2019 (R$206). Neste ano, o índice já acumula, em plena safra, ganhos de 4,62%. Na sexta-feira passada, o indicador fechou a R$279,50.

No que diz respeito à oferta, não é difícil compreender as razões que a farão continuar restrita. Com as cotações em alta, os pecuaristas vão, mais uma vez, reter as matrizes para tentar aproveitar ao máximo a boa maré de preços da arroba e do bezerro. Esse movimento do ciclo pecuário começou no quarto trimestre do de 2019.

A oferta reduzida de animais se reflete na queda de abates. Nos nove primeiros meses de 2020, o abate de bovinos recuou 8,3% em relação ao mesmo período do ano anterior, para 22,3 milhões de cabeças. Os dados fechados do ano deverão ser divulgados em fevereiro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Além dessa oferta restrita, o suporte dos preços virá da firme demanda chinesa. “Vamos exportar mais e, possivelmente, produzir a mesma coisa. Assim, os preços internos devem continuar testando os limites do consumidor”, diz Alexandre Mendonça de Barros.

No mercado doméstico, os preços alcançaram máximas no atacado em São Paulo. Os cortes do traseiro chegaram a R$22 o quilo, bem acima do recorde da última década (R$14). “Provavelmente, janeiro será bem mais frágil do ponto de vista de poder aquisitivo, e esse preço vai ter que cair”. Segundo o IPCA, os preços de cortes mais caros, como o filé mignon, registraram queda de 11,35% no varejo de janeiro a novembro. Mas acém e costela, por exemplo, subiram - 16,27%, e 26,4% respectivamente.

O teste de limites encontrará pelo caminho fatores como o fim do auxílio emergencial, o avanço do coronavírus e o elevado nível de desemprego - 14,6%, segundo dados do IBGE referentes ao terceiro trimestre de 2020.

Esses componentes, juntos, agravam uma tendência que já vem de alguns anos, que é a queda no consumo de carne bovina no mercado doméstico. Segundo dados da Scot Consultoria, o consumo de carne bovina no país cai 6,7% em 2020, para 26,79 quilos por quilos por habitante ante 2019.

“Chegamos a 40 quilos por habitante ao ano quando PIB subiu 7%, no governo Lula. A tendência é que esse recuo no consumo doméstico persista e a média volte a patamares dos anos 1970”, projeta o sócio-diretor da MB Agro.

Por outro lado, os pecuaristas deverão continuar com os custos de produção mais altos já vistos - os preços de grãos como soja e milho, básicos para ração em confinamentos, bateram recordes históricos em 2020 e continuam nas alturas.

Na bolsa de Chicago, a oleaginosa superou os US$ 13 dólares por bushel, enquanto milho flerta com os US$ 5 por bushel. “Ainda assim, o criador que faz ciclo completo vive um momento excepcional. Já para quem faz recria e engorda o cenário é mais difícil, pelo alto custo dos grãos e do bezerro. Mas usando bem o pasto, é possível ter um bom desempenho”, afirmou.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[15/01/2021] - Arroba: frigoríficos seguem oferecendo mais
[15/01/2021] - Greve dos caminhoneiros: se ocorrer será pontual
[15/01/2021] - IGP-10 recua com queda de preços ao consumidor
[15/01/2021] - Doria cumpre parcialmente acordo com produtores
[15/01/2021] - Marfrig emite dívida ao menor juro de sua história
[14/01/2021] - Arroba: frigoríficos voltaram a pagar R$ 290
[14/01/2021] - CEPEA: boi já recuperou queda de dezembro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/01/2021] - China importou quase 10 milhões de t de carne
[14/01/2021] - Leite subiu mas não melhorou situação do produtor
[14/01/2021] - Caminhoneiros ameaçam Bolsonaro
[14/01/2021] - Doria ainda não mandou publicar redução do ICMS
[14/01/2021] - Secretário promete que redução de ICMS vai sair
[14/01/2021] - Pagamento por serviços ambientais vira lei
[13/01/2021] - BNDES desiste de vender ações da JBS
[13/01/2021] - Safras: alta do boi é muito agressiva
[13/01/2021] - Arroba: frigoríficos pagam até R$ 11 a mais
[13/01/2021] - Analista prevê boi firme até março
[13/01/2021] - Milho: EUA esperam safra menor no Brasil
[12/01/2021] - Exportações de carne começaram o ano em forte alta
[12/01/2021] - Agro: exportações dispararam em janeiro
[12/01/2021] - Exportações do Agro passaram de US$ 100 bi
[12/01/2021] - Arroba: frigoríficos estão precisando de boi
[12/01/2021] - Arroba: boi dispara também em Goiás
[12/01/2021] - Pecuaristas de MT estão otimistas
[12/01/2021] - Carne continua em falta na China
[12/01/2021] - Empresa da JBS paga multa para encerrar processo
[12/01/2021] - Bolsonaro cobra apoio da bancada do Agro
[12/01/2021] - Minério de ferro pressiona e IGP-M segue em alta
[11/01/2021] - Analista prevê ano favorável para a pecuária
[11/01/2021] - Arroba: preço do boi tem forte alta
[11/01/2021] - Milho: preços em disparada
[11/01/2021] - Argentina suspende veto às exportações de milho
[11/01/2021] - Dólar começa a semana em disparada
[08/01/2021] - Governo de SP promete recuar após tratoraço
[08/01/2021] - Produtores rurais protestam na Ceagesp
[08/01/2021] - Caminhoneiros voltam a ameaçar paralisação
[08/01/2021] - Arroba: alta do boi se espalha pelo Brasil
[08/01/2021] - Reposição começou 2021 devagar
[08/01/2021] - Carne: exportações bateram 2 mi de toneladas
[08/01/2021] - Ladrões fazem reféns para roubar gado em MT
[08/01/2021] - Setor de máquinas agrícolas está otimista
[07/01/2021] - Produtores protestam contra imposto maior em SP
[07/01/2021] - Arroba: frigoríficos já pagam R$ 280
[07/01/2021] - CEPEA: pecuária começa 2021 com boa perspectiva
[07/01/2021] - Agrifatto prevê arroba menor no fim de janeiro
[07/01/2021] - Exportações do Agro devem bater recorde em 2021
[06/01/2021] - Arroba: frigoríficos oferecem mais pelo boi
[06/01/2021] - Atacado da carne em compasso de espera
[06/01/2021] - Itaú prevê ano complicado para os frigoríficos
[06/01/2021] - Leite: produtor deve receber menos em janeiro
[06/01/2021] - Leite: preço dos lácteos não cederam
[06/01/2021] - Milho está mais caro em 2021
[06/01/2021] - Doria não recua e impostos subirão em SP
[06/01/2021] - ABAG protesta contra alta de impostos em SP
[06/01/2021] - Empregos no Agro registram novo crescimento
[06/01/2021] - Crédito rural cresceu 18% nesta safra
[05/01/2021] - Arroba: boi começa o ano em alta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br