Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
301,00 291,00 297,00
GO MT RJ
285,00 294,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2940,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2610,00
Novilha 18m 3010,00
Vaca Boiadeira 3220,00

Atualizado em: 7/5/2021 10:29

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários

 
 
 
Publicado em 28/04/2021

Cerca de 40 homens fortemente armados invadiram a fazenda Santa Carmem, a 190 quilômetros de Porto Velho (RO), no dia 21 de abril. Segundo a família Leite, dona da propriedade, dez funcionários que estavam no local foram rendidos e torturados das 16h às 22h.

A suspeita é que os criminosos façam parte da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), um movimento de guerrilha armada.

Além da agressão aos funcionários da fazenda, a família Leite acusa os criminosos de terem destruído cercas, construções, áreas de reserva, carros e motos dos funcionários, além de terem roubado dois tratores e pertences dos trabalhadores. O prejuízo é estimado em R$ 2 milhões.

A fazenda Santa Carmem tem cerca de 20 mil hectares e é dedicada principalmente à pecuária, com 7.000 cabeças de gado. Por enquanto, a agricultura ocupa apenas mil hectares. Veja o antes e depois.

Não é um caso isolado.

Pelo menos quatro fazendas da região já foram invadidas e depredadas pelos bandidos. Tudo começou com a invasão na área das fazendas NorBrasil e Gleba Arco Íris, vizinhas à Santa Carmem, em julho do ano passado.

Segundo depoimento dos funcionários no boletim de ocorrência, em ataque anterior, oito homens encapuzados chegaram no local em motocicletas, efetuando disparos de arma de fogo e mandando que todos deitassem no chão. Foram roubados os celulares das vítimas e outros pertences. Um dos funcionários chegou a ser agredido pelos indivíduos com coronhadas na cabeça.

“Eles destruíram uma casa de apoio, deram mais de 200 tiros e atacaram os funcionários. Uma semana que saiu a reintegração, eles voltaram. Tem mais de 600 pessoas na nossa área de reserva legal, e eles estão derrubando tudo. Já comunicamos ao Ibama, Exército e todos os órgãos”, conta um dos proprietários dessas fazendas, Sebastião dos Santos.

A Liga dos Camponeses Pobres está atuando justamente na área onde dois policiais militares foram mortos no ano passado. Santos afirma que a suspeita é que membros do movimento tenham sido responsáveis pelos assassinatos.

Por medo de retaliação por parte dos criminosos, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon) preferiu não se manifestar.

Movimento preocupa produtores rurais da região

Produtores rurais da região estão preocupados com a autointitulada Liga Camponesa dos Pobres (LCP), conta o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Acre (Faec), Assuero Doca Veronez. “É um movimento que começa a esticar seus tentáculos pela Amazônia, com características de uma violência muito grande, e não só contra o patrimônio, mas contra trabalhadores e proprietários”, diz.

Segundo ele, a entidade, por meio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), deve apresentar uma denúncia junto ao Ministério da Justiça e ao Conselho Nacional de Segurança Pública contra a LCP. “A nossa luta é pela repressão imediata desse grupo, que pretende destruir propriedades e agredir quem produz para desestimular a continuidade das atividades e protestar contra ‘o sistema’ que não aceitam”, afirma

O movimento ainda é pequeno, de acordo com Veronez, mas pode crescer aos moldes do Movimento Sem Terra (MST) se o governo federal não atuar fortemente para coibi-lo. “Temos que desarticulá-lo enquanto está no início, porque, se não fizer nada ou se fizer pouco, vão continuar crescendo e praticando ações criminosas”, diz.

A Faec também já procurou a Secretaria Especial de Assuntos Fundiários, comandada por Nabhan Garcia, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Presidência da República.

Em vídeo divulgado nas redes sociais pelo governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, Nabhan Garcia afirma que a situação é preocupante. “Agem totalmente fora da lei. Vimos situações envolvendo possível narcotráfico, armamento pesado. É preciso que a população saiba que o governo federal está atento”, diz, ao lado do ministro da Justiça e Segurança Pública, delegado de Polícia Federal Anderson Torres.

Apesar de ter acontecido na fronteira com o Acre, o crime está sob jurisdição de Rondônia. E a Polícia Civil do estado está investigando, pelos meios legais, quem pode estar por trás da liga.

“O MST invade propriedades e fica lá, enquanto não se expede uma ordem de reintegração. Nesse caso, a LCP invade, destrói e sai. Então não teve como prendê-los e localizá-los. A polícia está tentando localizá-los, principalmente os líderes, para serem responsabilizados”, conta Veronez. Com informações do Canal Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/05/2021] - Arroba: volume de negócios está fraco
[07/05/2021] - Quanto está valendo o boi em São Paulo?
[07/05/2021] - China: importações de carne próximas a recorde
[07/05/2021] - Arábia Saudita embarga frigoríficos brasileiros
[07/05/2021] - O que está por trás do embargo saudita?
[07/05/2021] - Câmara aprova cota para leite nacional na merenda
[07/05/2021] - Polícia faz operação contra roubo de gado em MS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[07/05/2021] - Bolsonaro vai a manifestação de produtores rurais
[06/05/2021] - Queda do boi não vai durar muito
[06/05/2021] - Arroba: frigoríficos pagam menos em SP
[06/05/2021] - Leite: produtor recebeu mais, mas riscos continuam
[06/05/2021] - Custo de produção do leite segue nas alturas
[06/05/2021] - Qual a previsão para o preço do milho?
[06/05/2021] - Governo esgota orçamento para crédito subsidiado
[06/05/2021] - Crédito rural cresceu 12% em um ano
[06/05/2021] - Bolsonaro deve mandar Força Nacional a Rondônia
[06/05/2021] - Tereza pede aprovação rápida da regularização
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa
[05/05/2021] - Lucro do Minerva cai com alta do boi
[05/05/2021] - Inseminação pode crescer 25% em 2021
[05/05/2021] - Europeus não querem regularização no Brasil
[05/05/2021] - Regularização fundiária não favorece a grilagem
[04/05/2021] - Frigoríficos seguram as compras
[04/05/2021] - Preço do boi tem pequena queda em Goiás
[04/05/2021] - Arroba: boi não cai em Mato Grosso
[04/05/2021] - Safra de milho deverá ser menor que o esperado
[04/05/2021] - Preço do milho pode subir ainda mais
[03/05/2021] - Exportações de carnes: o melhor abril da história
[03/05/2021] - Bolsonaro defende direito de propriedade
[03/05/2021] - Arroba: frigoríficos já escalados para esta semana
[03/05/2021] - Confinadores tentam reduzir custos
[03/05/2021] - Milho: produtores continuam segurando vendas
[03/05/2021] - Deputado quer criar mais despesa para pecuarista
[03/05/2021] - Criminosos simulam compra e roubam gado
[03/05/2021] - Governo prorroga dívidas de produtores rurais
[30/04/2021] - Força Nacional vai atuar contra grupo armado em RO
[30/04/2021] - Agro: maior geração de empregos desde 2007
[30/04/2021] - Arroba: pressão aumenta mas pecuarista resiste
[30/04/2021] - Leite: preço reage e volta a subir
[30/04/2021] - Milho: governo anuncia medidas para ampliar oferta
[30/04/2021] - Milho: já tem gente querendo R$ 110 pela saca
[30/04/2021] - Vacinação contra aftosa começa amanhã
[29/04/2021] - Queda do boi não deve durar muito
[29/04/2021] - Scot: oferta aumentou, mas boi segue a R$ 312
[29/04/2021] - Alta do boi não compensa valorização do milho
[29/04/2021] - Custo da recria e engorda disparou em MT
[29/04/2021] - Pressão de ambientalistas atrasa regularização
[28/04/2021] - Roubo de gado atrai crime organizado
[28/04/2021] - Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários
[28/04/2021] - Polícia faz operação contra carne de gado roubado
[28/04/2021] - Arroba: boi China continua em alta
[28/04/2021] - Arroba: frigoríficos testam preços menores
[28/04/2021] - Leite não sobe mesmo na entressafra
[28/04/2021] - Milho: tarifa zero não afetou preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br