Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
259,00 262,00 247,00
GO MT RJ
244,00 243,00 278,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2400,00
Garrote 18m 2770,00
Boi Magro 30m 3290,00
Bezerra 12m 2100,00
Novilha 18m 2540,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 27/10/2021 11:01

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Governo renova programa de promoção do Agro

 
 
 
Publicado em 15/09/2021

O ministro das Relações Exteriores, Carlos França, afirmou ontem que a promoção da imagem do agronegócio brasileiro é fundamental para combater o “recrudescimento do protecionismo” no comércio internacional. De acordo com o chanceler, o sucesso do setor terá papel de destaque no discurso que o presidente da República, Jair Bolsonaro, fará na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) neste mês.

Durante o evento de lançamento do Programa de Imagem e Acesso a Mercados do Agronegócio Brasileiro (PAM Agro) 2021-2023, em Brasília, França alertou que “percepções equivocadas” sobre os produtos agropecuários brasileiros poderão resultar em barreiras comerciais nos próximos anos contra o Brasil.

A ação, promovida pelo governo federal e um conjunto de 15 entidades ligadas ao setor, terá foco na divulgação de informações sobre a cadeia produtiva na Europa. A preocupação é com a discussão, em alguns países europeus, de propostas legislativas que criam restrições ao comércio com o Brasil. Mesmo assim, França frisou que “estamos prestes a celebrar a ratificação do acordo entre União Europeia e Mercosul”.

O chanceler afirmou que “um desafio central é a necessidade de fortalecer, no mercado internacional, a credibilidade das instituições regulatórias brasileiras” e chamou a atenção para “barreiras ambientais” ao comércio brasileiro. Segundo ele, essas restrições representam uma “ameaça forte e injusta à reputação do agronegócio brasileiro”.

O chefe do Itamaraty disse, ainda, que as legislações aprovadas em países importadores “têm potencial de restringir” as exportações brasileiras de maneira “indevida e discriminatória”. Ele demonstrou preocupação com a “disseminação de uma visão reducionista que restringe a sustentabilidade ao seu pilar ambiental, ignorando as vertentes o social e econômica”.

Parceiro confiável

Segundo França, a sustentabilidade ambiental é mais do que apenas a questão do desmatamento, atacada incorretamente por países importadores. Ele exaltou a marca sustentável da produção agropecuária do país e o cumprimento das obrigações como fornecedor de alimentos ao mundo durante a pandemia, sem interromper exportações. “Comprovamos que somos um parceiro confiável”, disse. “O Brasil pode manter e ampliar a contribuição para segurança alimentar no mundo”, afirmou.

O PAM Agro foi lançado em 2017. A segunda fase, lançada hoje, terá foco na elaboração de uma estratégia de comunicação profissional e específica ao público europeu. O programa é liderado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Ministério da Agricultura e o Ministério das Relações Exteriores. Serão promovidos eventos, pesquisas e a divulgação de conteúdos e “mensagens-chave” ao público estrangeiro.

O presidente da Apex-Brasil, Augusto Pestana, disse que o programa vai “intensificar o combate contra a desinformação, o desconhecimento e contra as distorções” a respeito do agronegócio brasileiro. Segundo ele, a “informação boa e veraz parece ser, muitas vezes, uma commodity escassa” também no Brasil. “Vamos levar a verdade à opinião pública internacional, principalmente a europeia (...) O jogo em que entramos não será fácil nem rápido, mas é o jogo que temos que jogar com consistência caso não queiramos correr o risco de ver passivamente a destruição de um patrimônio”, afirmou. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[26/10/2021] - China libera primeira carga de carne brasileira
[26/10/2021] - Não há oferta de carne para atender à China
[26/10/2021] - Arroba: preço firmou mas mercado travou
[26/10/2021] - Carne caiu no atacado mas segue firme no varejo
[26/10/2021] - Pecuarista segura o boi para não vender barato
[26/10/2021] - Agro confirmou exportações de US$ 10 bi
[26/10/2021] - Brasil gerou mais de 300 mil empregos em setembro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[26/10/2021] - IPCA registra primeira queda no preço da carne
[25/10/2021] - Técnicos do MAPA já se reuniram com chineses
[25/10/2021] - Preço da carne ainda não acompanhou queda do boi
[25/10/2021] - Arroba: semana fechou com cotações estáveis
[25/10/2021] - Milho: compradores seguem esperando baixa
[25/10/2021] - Falta de fertilizantes pode demorar a se resolver
[22/10/2021] - Frigoríficos têm a maior margem de lucro em 2 anos
[22/10/2021] - China promete solução rápida para o embargo
[22/10/2021] - Confinadores amargam prejuízos
[22/10/2021] - Arroba: referência fica abaixo de R$ 270
[22/10/2021] - Consórcio de máquinas agrícolas cresceu 20%
[22/10/2021] - Dólar dispara com incerteza nas contas públicas
[21/10/2021] - Embargo chinês: o tiro que pode sair pela culatra
[21/10/2021] - FAESP cobra ações do MAPA contra embargo chinês
[21/10/2021] - Arroba: frigoríficos dizem ter bois suficientes
[21/10/2021] - CEPEA: preço do boi caiu mais que a carne
[21/10/2021] - Leite: preço no Brasil está maior que no exterior
[21/10/2021] - Marfrig será maior acionista da BRF
[20/10/2021] - Embargo chinês é estratégia comercial
[20/10/2021] - Frigoríficos devem parar produção para a China
[20/10/2021] - Queda do boi não chega ao preço da carne
[20/10/2021] - Arroba: pressão de baixa continua em SP
[20/10/2021] - CVM nega acordo na venda da Bertin à JBS
[20/10/2021] - Queda do boi já reflete na inflação do Agro
[19/10/2021] - Tereza pode ir à China para resolver embargo
[19/10/2021] - Exportação: volume exportado caiu, mas preço subiu
[19/10/2021] - Arroba: frigoríficos voltam a pressionar
[19/10/2021] - IMEA: queda da arroba foi maior que a expectativa
[19/10/2021] - IGP-M volta a registrar deflação
[19/10/2021] - Agro pode ganhar força com mais ferrovias
[18/10/2021] - Exportações do Agro bateram US$ 10 bi em setembro
[18/10/2021] - Arroba: preços pararam de cair
[18/10/2021] - China: produção de carne suína é a maior em 3 anos
[18/10/2021] - Leite: produtor tenta reduzir custos
[18/10/2021] - Milho: preços em queda
[18/10/2021] - Milho: custo de produção sobe em Mato Grosso
[15/10/2021] - Arroba: frigoríficos continuam derrubando o boi
[15/10/2021] - Ataques a entidades do Agro causam indignação
[15/10/2021] - Deputado da FPA pede investigação de vandalismo
[15/10/2021] - Atividade econômica perdeu força em agosto
[15/10/2021] - JBS faz novo investimento nos Estados Unidos
[15/10/2021] - Alemanha tem caso atípico de vaca louca
[14/10/2021] - China terá carne barata quando mercado reabrir?
[14/10/2021] - Militantes vandalizam sede de entidades do Agro
[14/10/2021] - Arroba: boi caiu, mas a carne ainda não
[14/10/2021] - CEPEA: pecuaristas não aceitam preços menores
[14/10/2021] - PIB da Pecuária: alta de 6,1% em 2021
[13/10/2021] - Como estão as exportações em outubro?
[13/10/2021] - Arroba: frigoríficos continuam segurando compras
[13/10/2021] - China derrubou importações de carne

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br