Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
310,00 301,00 309,00
GO MT RJ
296,00 294,00 294,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2590,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 29/11/2021 11:22

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos reclamam que falta gado no RS

 
 
 
Publicado em 17/11/2021

A instabilidade na oferta de bovinos para abate vem comprometendo a indústria frigorífica gaúcha. Não apenas o processamento de volumes tradicionais para o mercado consumidor, mas também a estrutura das plantas e até as condições de empregabilidade nas unidades. De acordo com o Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados do Rio Grande do Sul (Sicadergs), o ideal seria um abate médio semanal de 55 mil cabeças, mas, atualmente no Rio Grande do Sul, esse volume está em 40 mil. "Estamos com um déficit semanal de 15 mil bovinos para abate", afirma o diretor-executivo do sindicato, Zilmar Moussalle.

O levantamento do Sicadergs mostra que os estoques de animais vivos na pecuária gaúcha vêm diminuindo nos últimos três anos: em 2018 eram 12,46 milhões, em 2019 ficaram em torno de 11,83 milhões e, neste ano, está em 10,92 milhões. Para Moussalle, os motivos estão na substituição da atividade pecuária por lavouras como soja e trigo, que dão retorno duas vezes ao ano - somado ao cenário econômico que vem levando à redução do consumo de proteína animal pelas famílias brasileiras.
Para contornar o momento difícil, os frigoríficos estão sendo forçados a dispensar funcionários, transferir abates e, alguns casos, conceder férias coletivas. "A oferta de boi que temos hoje não é equiparada à capacidade que temos de abater. Estamos em um quebra-cabeça para não ter mais prejuízo", expressa o diretor.

O presidente do Instituto Desenvolve Pecuária, Luís Felipe Barros, acredita que a quantidade de animais represados no campo a espera de melhores cotações também contribuiu para a ociosidade no abate. De acordo com o dirigente, em 2020 houve uma evolução crescente dos preços, fato que não se repetiu até agora em 2021. A redução dos embarques e de compras internas de mercados como São Paulo e Minas Gerais ampliou a oferta de gado na saída da pastagem, levando a uma queda de preços para a indústria.
"Sabemos que existe um cenário empírico no qual a soja vem ocupando o lugar da pecuária, mas essa afirmação não vem de um estudo técnico", afirma Barros.

Segundo ele, existe sim uma diminuição da atividade pecuária, como relata o sindicato, no entanto, esse movimento não estaria ligado ao desestímulo do setor, e sim, a uma melhor eficiência na criação do rebanho. "A diminuição de abate do gado macho acima de 36 meses é compensada pelo aumento do abate de machos até 24 meses", relata.

Para o representante do Instituto Desenvolve Pecuária, a situação deve normalizar com o aumento da demanda de consumo ocasionada pelas festas de final de ano. "O cenário econômico atual de retenção de gado é causado pelo preço, e não relação com a diminuição do estoque de bois vivos", assegura Barros, ao afirmar que a entidade se propõe a ser uma ponte de diálogo com os frigoríficos. A perspectiva é de que a remuneração ao pecuarista nas próximas semanas cresça entre 10% e 15%, fato que deverá reduzir o represamento de gado dentro da porteira e ampliar a atividade nas unidades de abate. Com informações do Jornal do Comércio.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama embargo chinês de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS
[24/11/2021] - Rússia libera exportações de 12 frigoríficos
[24/11/2021] - Arroba: o que fazer agora?
[24/11/2021] - Arroba: reabertura chinesa já mexe com o preço
[24/11/2021] - Tereza: embargo chinês pode cair em dezembro
[24/11/2021] - Lácteos: preços em queda no Paraná
[24/11/2021] - MAPA bota em marcha a diplomacia dos insumos
[24/11/2021] - Vacina será comunicada online em Mato Grosso
[24/11/2021] - Governo americano vai subsidiar frigoríficos
[24/11/2021] - Molina paga R$ 20 milhões para encerrar processo
[23/11/2021] - China dá primeiro sinal de fim do embargo
[23/11/2021] - Brasil é o único país que pode atender cota russa
[23/11/2021] - Frigoríficos recebem mais pela carne exportada
[23/11/2021] - Arroba: frigoríficos não acham boi pra comprar
[23/11/2021] - Boi subiu quase 10% em Goiás
[23/11/2021] - Aprosoja: UE pratica protecionismo disfarçado
[22/11/2021] - Arroba: em SP a referência já bate os R$ 310
[22/11/2021] - Arroba: boi também subiu na Bahia e no Rio
[22/11/2021] - Leite: margem do produtor está apertada
[22/11/2021] - Pecuaristas se retiram do Conseleite RS
[22/11/2021] - Milho: preço médio é o menor em 14 meses
[19/11/2021] - Rússia confirma liberação de frigoríficos
[19/11/2021] - Arroba: frigoríficos já pagam acima de R$ 310
[19/11/2021] - Arroba: disparada do boi continua em São Paulo
[19/11/2021] - CNA protesta contra ameaça à carne do Brasil
[19/11/2021] - Senador dos EUA quer barrar carne brasileira
[18/11/2021] - Brasil exporta leite à China pela primeira vez
[18/11/2021] - Arroba: pecuaristas estão segurando as vendas
[18/11/2021] - Arroba: parece que o jogo virou
[18/11/2021] - Rússia zera tarifa para importação de carne
[18/11/2021] - Produtores dos EUA querem barrar carne do Brasil
[18/11/2021] - JBS compra empresa de carne de laboratório
[18/11/2021] - Rússia garante venda de fertilizantes ao Brasil
[18/11/2021] - FPA: prorrogação da desoneração é boa para o Agro
[17/11/2021] - Diplomata chinês prevê volta das importações
[17/11/2021] - Com a volta da China, para quanto vai a arroba?
[17/11/2021] - Exportações: volume menor, preço bem maior
[17/11/2021] - Arroba: já tem frigorífico pagando mais de R$ 300
[17/11/2021] - Confinamento recua em MT após trava chinesa

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br