Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
330,00 310,00 326,00
GO MT RJ
313,00 308,00 304,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2920,00
Boi Magro 30m 3610,00
Bezerra 12m 2300,00
Novilha 18m 2670,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 27/1/2022 11:18

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MAPA quer que a China habilite novos frigoríficos

 
 
 
Publicado em 17/12/2021

A demora de 103 dias para a reabertura do mercado chinês para a carne bovina brasileira não foi culpa de falhas técnicas ou de comunicação, segundo a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Ela confia na boa relação com as autoridades do país asiático para retomar a agenda pré-pandemia e conquistar novas habilitações daqui para a frente.

“Foram dois casos [atípicos do mal da “vaca louca”] ao mesmo tempo. Eles quiseram checar o sistema e rechecar. E tiveram as conveniências e estratégias que é de cada país”, afirmou ela ao Valor. O retorno à normalidade do comércio gera alívio aos pecuaristas e novas oportunidades ao Brasil, disse ela. “O sistema brasileiro de inspeção foi validado pelo principal parceiro. Mostramos para os outros países que o Brasil está fazendo o dever de casa”, disse.

Passada a turbulência do embargo, a ministra quer retomar temas que ficaram parados nas tratativas com a China desde o início da pandemia. Ela vê espaço para novas habilitações de plantas brasileiras e espera resultados em 2022. Ao menos 12 abatedouros aguardam o aval de Pequim. Houve recuo nas tarifas de importação de pescado brasileiro.

“A relação continua como sempre esteve. A gente trata a China como parceiro importantíssimo pelos volumes que eles precisam e o Brasil tem”, disse. A preocupação da ministra se concentra agora no abastecimento de insumos para a próxima safra. Apesar de alarmismos, Tereza Cristina confia nos “volumes substanciais" de fertilizantes importados antecipadamente pelos produtores mais capitalizados no país e não vê potencial para essa crise gerar efeitos nas próximas colheitas.

“Existe uma preocupação, mas não é um assunto que fará com que não tenhamos bons resultados”, avaliou. O alerta está no custo de produção, movimento global, segundo ela, agravado pelo câmbio no Brasil. “O produtor vai ter que fazer muita conta”.

"Bolha verde"

A ministra acredita em uma “bolha verde” no planeta gerada pela antecipação no cumprimento de exigências ambientais, o que impactou na oferta de várias cadeias de suprimento, desde insumos agrícolas até pneus, baterias e chips. “Algumas coisas estão acontecendo no mundo pós-pandemia e pós-mudanças climáticas talvez foram feitas de maneira mais rápida e causou essa escassez. Isso gera custo e aumento de preço por um tempo de ajuste”.

A ministra admitiu que “não há muita coisa a fazer” na relação com Belarus, que produz 20% do potássio usado nas lavouras do Brasil e sofre com sanções econômicas para exportar. Tereza Cristina recorreu ao representante regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) na América Latina e Caribe, Julio Berdegué, para intervir a favor dos importadores de fertilizantes. Ela espera bom senso dos Estados Unidos e União Europeia para que flexibilizem as sanções. “A FAO tem que nos ajudar. Em um momento de retomada, em que mundo precisa de alimentos, ter restrição em cima de fertilizantes para produzir comida é um contrassenso”, destacou.

A “tranquilidade” no assunto, disse, vem das novidades sobre a oferta de glifosato, herbicida mais utilizado no país. “Era a nossa maior e parece estar sanada”.

A ministra pediu à Embrapa para priorizar estudos sobre a possibilidade de usar menos fertilizantes e alcançar a mesma eficiência, com manejo para ativar o potássio e o fósforo que estão retidos no solo ao longo dos anos.

Diante das reclamações de produtores sobre quebras de contratos e cancelamentos de pedidos de insumos pelas empresas para reprecificação, a ministra “foi pra cima” da indústria e ouviu que é preciso ter provas. “Eles querem que mostrem os contratos que não foram honrados, pois a política não é essa”.

Os últimos dias do ano ainda podem reservar boas notícias para o seguro rural. A Junta de Execução Orçamentária (JEO) aprovou mais R$ 100 milhões para a subvenção. Hoje, o Congresso pode aprovar reforço de mais R$ 80 milhões. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[26/01/2022] - Pecuaristas protestam contra queda do leite
[26/01/2022] - EUA: deputados culpam frigoríficos por carne cara
[26/01/2022] - Arroba: mercado lento em SP
[26/01/2022] - Preço da carne bovina caiu no atacado
[26/01/2022] - Batistas fecham acordo com a CVM sobre a Eldorado
[25/01/2022] - Exportações de carne bovina dispararam em janeiro
[25/01/2022] - Demanda pela carne brasileira deve continuar forte

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[25/01/2022] - Exportações do Agro bateram recordes em dezembro
[25/01/2022] - Arroba: pressão de baixa perdeu força
[25/01/2022] - Arroba: semana começa com poucos negócios
[24/01/2022] - EUA liberam exportações de unidade do Minerva
[24/01/2022] - Arroba: mercado continua lento
[24/01/2022] - Safra de milho tem fortes perdas em MG
[24/01/2022] - Milho em alta preocupa compradores
[24/01/2022] - Tabela de fretes sobe quase 10%
[21/01/2022] - Boi parado há nove dias em São Paulo
[21/01/2022] - Frigoríficos pagam até R$ 10 a mais por boi China
[21/01/2022] - Importador prevê mais carne brasileira na China
[21/01/2022] - Diferença entre boi e frango é a segunda maior
[21/01/2022] - Brasil importou menos lácteos em 2021
[21/01/2022] - O calor vai continuar no Rio Grande do Sul?
[20/01/2022] - EUA lideram compras do Brasil pelo segundo mês
[20/01/2022] - Arroba: mercado parado em SP
[20/01/2022] - MS: pecuaristas pagaram a conta do embargo chinês
[20/01/2022] - Prefeitura pede que JBS devolva terreno
[20/01/2022] - Milho já passa de R$ 100 a saca no Sul
[20/01/2022] - Itália tenta conter surto de peste africana
[19/01/2022] - Arroba: exportações podem bater recorde histórico
[19/01/2022] - Agro domina exportações em portos do Paraná
[19/01/2022] - Marfrig: ômicron não afeta abates
[19/01/2022] - Pecuaristas recusam acordo com frigorífico fechado
[19/01/2022] - Leite: ano pode ser complicado para o produtor
[19/01/2022] - Milho volta a rondar os R$ 100 a saca
[19/01/2022] - IGP-M volta a acelerar
[18/01/2022] - Exportações de carne estão acima de janeiro 2021
[18/01/2022] - Arroba: cenário de estabilidade
[18/01/2022] - Escalas estão menores em Mato Grosso
[18/01/2022] - Briga por ICMS sobre o milho vai à Justiça
[18/01/2022] - Pecuaristas protestam contra a Globo Rural
[17/01/2022] - Arroba: nem pra cima, nem pra baixo
[17/01/2022] - Frigorífico fecha e deixa dívida milionária
[17/01/2022] - Milho volta a ser negociado acima de R$ 100 a saca
[17/01/2022] - JBS anuncia novo presidente da JBS Brasil
[17/01/2022] - Globo Rural ataca a Pecuária brasileira
[17/01/2022] - Estados decidem elevar ICMS sobre combustível
[14/01/2022] - PIB do Agro cresceu 10% em 2021
[14/01/2022] - Arroba: pecuarista vai segurar o boi
[14/01/2022] - Arroba: preços não acham espaço para cair
[14/01/2022] - Milho: produção deve crescer em 2022
[14/01/2022] - Varejo vendeu mais puxado por supermercados
[14/01/2022] - Exportações do Agro cresceram 9,5% em SP
[14/01/2022] - Câmara aprova incentivo a reservas em fazendas
[13/01/2022] - Arroba: frigoríficos seguem tentando pressão
[13/01/2022] - CEPEA: ano inicia com arroba em alta
[13/01/2022] - Chineses vão pagar mais caro pela carne suína
[13/01/2022] - Tereza Cristina visita áreas atingidas pela seca
[13/01/2022] - Safra tem perdas severas também no Paraná

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br