Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
302,00 289,00 281,00
GO MT RJ
276,00 282,00 284,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2560,00
Garrote 18m 2790,00
Boi Magro 30m 3770,00
Bezerra 12m 2070,00
Novilha 18m 2530,00
Vaca Boiadeira 2820,00

Atualizado em: 18/5/2022 10:15

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MS: pecuaristas pagaram a conta do embargo chinês

 
 
 
Publicado em 20/01/2022

Mesmo com o embargo da China, que suspendeu os embarques de carne para seu território por mais de três meses, os frigoríficos que atuam em Mato Grosso do Sul fecharam o ano de 2021 com faturamento 20,5% maior e com um volume de carne exportada levemente superior em relação ao ano de 2020.

O faturamento dos frigoríficos de MS, em 2021, registrou US$ 153,4 milhões (R$ 834,8 milhões na cotação de 19 de janeiro) a mais do que no ano anterior.

Se em 2020 as vendas para o mercado externo atingiram US$ 747 bilhões (R$ 4,06 bilhões), em 2021, os abatedouros do Estado receberam US$ 900,4 milhões (R$ 4,89 bilhões) pelos embarques de carne para outros países. Os números são da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

No que diz respeito ao volume de carne embarcada para outros países, em Mato Grosso do Sul houve um leve aumento na exportação de carnes no ano passado.

Em 2020, foram exportadas 189,9 mil toneladas da proteína de origem bovina e, no ano passado, foram 192,5 mil toneladas exportadas.

Por causa desse desempenho – sobretudo, o financeiro – significativo, o Estado aumentou sua participação no volume exportado pelo Brasil. Antes, MS respondia por 9,4% dos embarques do Brasil e 8,8% do faturamento com as vendas externas, agora, tem uma fatia de 10,3% do volume exportado e de 9,7% de faturamento.

O volume é expressivo porque, proporcionalmente, representa um aumento de faturamento maior que o do setor na média nacional.

Na quantidade de carnes exportadas, mostra crescimento, enquanto os números do Brasil indicam um leve decréscimo.

No ano passado, o País conseguiu vender menos carne, mas faturar mais com as vendas – e estamos falando de pagamento em dólar, antes mesmo da conversão das transações em moeda estrangeira para o real.

Em 2020, o volume de carne embarcado para o exterior pelas aduanas e portos brasileiros foi de 2,01 milhões de toneladas, sendo a China a principal compradora. No ano passado, o país asiático se manteve como o principal comprador (mas reduziu sua participação no total de exportações), e o Brasil exportou 1,86 milhão de toneladas de carne.

Menos carne enviada, contudo, não significa menos dinheiro na conta dos frigoríficos. Em nível nacional, o faturamento passou de R$ 8,48 bilhões (R$ 46,18 bilhões), em 2020, para US$ 9,2 bilhões (R$ 50,24 bilhões), no ano passado.

O valor médio do quilo da carne para o mercado externo, passou de US$ 4,2 para US$ 4,94, uma valorização de 17,5%.

Um faturamento maior dos frigoríficos, porém, não significa ganho mais significativo para os produtores.

O embargo entre setembro de 2021 e dezembro de 2021, serviu apenas para reduzir a arroba do boi de um preço médio de R$ 330 para a época do embargo, para R$ 250.

O presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Alessandro Coelho, enfatiza que a instabilidade é prejudicial.

“A maior preocupação do pecuarista é essa instabilidade no mercado. Além da oscilação no período do embargo, tivemos algo ainda pior: quando o preço da arroba se aproximou de R$ 300, em janeiro do ano passado, o preço ao consumidor foi às alturas e o mercado da ponta não voltou mais, só foi para cima, mesmo com os embargos das exportações”, analisa.

“Com esses valores e oscilações, sofre o produtor e sofre o consumidor! Precisamos de políticas públicas para zerar a tributação sobre os alimentos básicos, bem como sobre os insumos agropecuários, pois a pecuária está intrinsecamente ligada à agricultura e todos os setores estão sofrendo com o aumento exponencial nos custos de produção”, afirmou Alessandro Coelho. Com informações do Correio do Estado.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/05/2022] - Frigoríficos aproveitam o frio para derrubar o boi
[18/05/2022] - Onda de frio: até quando?
[18/05/2022] - Arroba: preço dos machos cede em São Paulo
[18/05/2022] - Analista prevê mais quedas para o boi gordo
[18/05/2022] - Custo em alta derruba confiança do pecuarista
[17/05/2022] - China está usando os EUA para pressionar o Brasil?
[17/05/2022] - Ações de frigoríficos caem com ação da China

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[17/05/2022] - Como estão as exportações de carne em maio?
[17/05/2022] - Arroba: preços no mesmo lugar
[17/05/2022] - Preço do boi estável em Rondônia
[17/05/2022] - Lucro da Frigol dispara com exportações
[17/05/2022] - Embrapa: leite subiu menos que custo de produção
[17/05/2022] - Funcionários de fazenda presos por furto de gado
[17/05/2022] - MP muda Tabela de Frete Rodoviário
[17/05/2022] - PIB cresce 1,5% puxado pela exportação do Agro
[17/05/2022] - Inflação medida pelo IPC-Fipe perde velocidade
[16/05/2022] - MAPA corrige para cima o PIB estimado do Agro
[16/05/2022] - Arroba: pecuarista não aceita queda do boi
[16/05/2022] - Preço de produtos do Agro recuam em SP
[16/05/2022] - China habilita 13 frigoríficos dos EUA
[16/05/2022] - Milho: frente fria reverte cenário de queda
[13/05/2022] - Exportações: Brasil vendeu mais para 101 países
[13/05/2022] - Volume exportado aos EUA já bate 25% da China
[13/05/2022] - Arroba: frigoríficos seguram as compras
[13/05/2022] - Leite: custo de produção reduz ritmo de alta
[13/05/2022] - Produtores de milho protestam contra tarifa zero
[13/05/2022] - Tarifa zero não preocupa produtores de frango
[12/05/2022] - Arroba: frigoríficos aumentam a pressão de baixa
[12/05/2022] - Diferença entre machos e fêmeas bate recorde
[12/05/2022] - JBS não vê impacto de lockdowns na China
[12/05/2022] - IBGE: Abates cresceram, produção de leite caiu
[12/05/2022] - JBS tem o melhor trimestre da história
[12/05/2022] - Minerva registra resultado recorde no trimestre
[12/05/2022] - Brasil continua recebendo fertilizantes russos
[12/05/2022] - Leite: governo aumenta imposto sobre mussarela
[12/05/2022] - Governo sanciona complemento do Plano Safra
[11/05/2022] - GOVERNO ZERA TARIFA DE IMPORTAÇÃO DE CARNE
[11/05/2022] - CNA pede fim do imposto zero para mussarela
[11/05/2022] - Frigoríficos precisam depender menos da China
[11/05/2022] - Arroba: boi recua em SP
[11/05/2022] - Frigoríficos trazem boi de fora para São Paulo
[11/05/2022] - Preço do boi tem comportamento fora do normal
[11/05/2022] - Senado aprova PIS/COFINS zero para milho
[11/05/2022] - Agro gaúcho já exportou 65% a mais em 2022
[10/05/2022] - JBS investe US$ 60 milhões em carne de laboratório
[10/05/2022] - China diz que importação de carne despencou
[10/05/2022] - Arroba: China continua tumultuando mercado
[10/05/2022] - Arroba: mercado parado em São Paulo
[10/05/2022] - Abates caíram 7,46% em Mato Grosso
[10/05/2022] - Milho: safra deve bater recorde, mesmo com seca
[10/05/2022] - Milho: preços em queda no Sul do Brasil
[10/05/2022] - Leite: insumos fazem custo de produção disparar
[10/05/2022] - IGP-M tem queda forte em maio
[09/05/2022] - Arroba: fim de safra com mercado estável
[09/05/2022] - Sinais de melhora para o mercado do boi
[09/05/2022] - Milho: preços em queda
[09/05/2022] - STF adiou decisão sobre o Funrural. E agora?

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br