Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
313,00 302,00 313,00
GO MT RJ
304,00 298,00 298,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 6/12/2021 11:15

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Real valorizado trava exportações de lácteos

 
 
 
Publicado em 17/02/2011

MARCO AURÉLIO BERGAMASCHI
Publicado na Folha de S. Paulo - 17/02/2011

O Brasil é, historicamente, importador de lácteos. Somente a partir de 2000, as exportações do segmento cresceram devido à melhor taxa de câmbio, ao mercado mundial aquecido e ao aumento da renda no campo.

Em 2004, a produção nacional leiteira não apenas atingiu a autossuficiência como também apresentou saldo positivo na balança comercial de lácteos.

Esses tempos áureos de Brasil exportador perduraram até 2008, quando foi obtido o maior superavit, de US$ 297,7 milhões (77,9 mil toneladas de lácteos), com US$ 509,3 milhões exportados e US$ 211,6 milhões importados.

O desempenho da atividade leiteira foi comprometido pela crise no final de 2008, que provocou queda nas exportações devido à retração comercial e ao menor consumo de leite e derivados.

Além disso, em virtude de uma conjuntura cambial completamente diferente, com o real supervalorizado, ocorreu perda de competitividade do produto brasileiro.

Entre janeiro de 2009 e janeiro de 2011, o dólar caiu 25% ante o real, o que resultou em redução das exportações e aumento das importações -situação que perdura até hoje.

No caso do leite em pó, carro-chefe das exportações de lácteos, o problema foi a aquisição de matéria-prima.

Os valores do produto final comercializado pela Austrália e pela Nova Zelândia, atualmente os maiores exportadores, eram inferiores ao nosso custo de produção.

No ano passado, os preços internacionais desse derivado aumentaram. Mas, novamente devido ao câmbio, o Brasil não conseguiu reagir.

Além dos mercados importadores tradicionais, como a União Europeia e os Estados Unidos, o Brasil busca intensificar a comercialização com países emergentes da Ásia e da África que, ano após ano, aumentam o consumo.

Apesar de ser o quarto maior produtor mundial de leite, a China é o mercado consumidor mais promissor.

O crescimento econômico apresentado nos últimos anos, somado à melhoria da renda dos chineses, promoveu a mudança de hábitos, e os produtos lácteos ganharam espaço na alimentação.

As oportunidades de inserção do produto nacional no mundo são muito claras, mas para isso é preciso aumentar a produção (que hoje praticamente atende apenas à demanda interna), melhorar a qualidade, a fiscalização e, acima de tudo, reduzir os custos e ampliar os investimentos em genética, em manejo e em nutrição.

O governo, por sua vez, não poderá se furtar em oferecer políticas públicas, principalmente no que tange à desoneração da atividade produtiva, com redução da carga tributária e dos juros, estimulando o consumo e inibindo a importação de produtos subsidiados.

*MARCO AURÉLIO BERGAMASCHI é médico-veterinário com doutorado e responsável pelo sistema de leite da Embrapa Pecuária Sudeste.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[06/12/2021] - EUA não vão parar de importar carne do Brasil
[06/12/2021] - Não vai ter carne para atender chineses
[06/12/2021] - Arroba: frigoríficos vão pagar ainda mais?
[06/12/2021] - Arroba: mercado de olho no consumo
[06/12/2021] - Milho: vendedores seguram oferta e preço sobe
[03/12/2021] - Arroba: referências em alta
[03/12/2021] - Arroba: frigoríficos pagam bem mais

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[03/12/2021] - Leite: mercado sofre ajuste
[03/12/2021] - Exportações do Agro cresceram quase 20%
[03/12/2021] - Agro precisa de apoio, diz FAESP
[03/12/2021] - Minerva conclui compra de frigoríficos
[03/12/2021] - Crédito rural: contratações cresceram 23,5%
[02/12/2021] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[02/12/2021] - CEPEA: boi volta a bater nas máximas
[02/12/2021] - Rússia habilita mais duas unidades para exportação
[02/12/2021] - Vizinhos da Rússia também querem importar carne
[02/12/2021] - Por que o PIB do Agro caiu?
[02/12/2021] - Inflação medida pelo IPC também perdeu força
[01/12/2021] - Arroba: boi segue em alta
[01/12/2021] - Arroba: frigoríficos já estão pagando mais em SP
[01/12/2021] - EUA devem aumentar importação de carne do Brasil
[01/12/2021] - Exportações: volume caiu, mas preço da carne subiu
[01/12/2021] - Deputados debatem aumento de custo na pecuária
[01/12/2021] - MAPA prorroga vacinação em 14 estados
[01/12/2021] - Câmara aprova indenização a pecuaristas
[30/11/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[30/11/2021] - Scot vê oferta curta de boi
[30/11/2021] - Boi gordo em alta em Goiás
[30/11/2021] - Abates aumentaram 18% em Mato Grosso
[30/11/2021] - Frigoríficos prevêem disparada do boi
[30/11/2021] - Leite: preço do leite caiu com força
[30/11/2021] - Senado aprova preço mínimo para perecíveis
[30/11/2021] - Tereza: produtor precisa ser pago por preservação
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama ameaça da UE de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS
[24/11/2021] - Rússia libera exportações de 12 frigoríficos
[24/11/2021] - Arroba: o que fazer agora?
[24/11/2021] - Arroba: reabertura chinesa já mexe com o preço
[24/11/2021] - Tereza: embargo chinês pode cair em dezembro
[24/11/2021] - Lácteos: preços em queda no Paraná

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br